Primeiro-Ministro contesta Passos Coelho

Já durante a campanha eleitoral, foi possível assistir a terríveis disputas entre Pedro Passos Coelho e o então presidente do PSD. Recentemente, já o Ricardo Santos Pinto pôde demonstrar que o actual Primeiro-Ministro tomou decisões contrárias àquilo que Pedro Passos Coelho tinha prometido. No discurso de ontem, o Primeiro-Ministro acabou por atacar o chefe do governo português, que, recentemente, defendeu a emigração dos desempregados:

Estou bem consciente dos problemas que tantos enfrentam, sobretudo o dos jovens que querem começar a realizar os seus sonhos e o daqueles mais velhos que, apesar do capital acumulado de saber e de experiência, se vêem afastados do mercado de trabalho. Uma sociedade que se preza não pode desperdiçar nem os seus jovens nem as pessoas que se encontram na fase mais avançada da sua vida activa.

Pela parte que me toca, devo dizer que já dei por mim a concordar, algumas vezes, com Passos Coelho, embora nem sempre tenha estado de acordo com o Presidente do PSD. Do Primeiro-Ministro discordo quase sempre, à excepção da última frase do seu discurso natalício. O facto de uma multidão ser a mesma pessoa já foi experimentado por um poeta com resultados fecundos e já deu origem a vários internamentos por razões psiquiátricas. Quando isto acontece com um governante, são os cidadão a beneficiar de tanta fecundidade e de parcos pagamentos.

Comments

  1. MAGRIÇO says:

    Segundo consta, está para breve o envio de uma carta aberta, que Passos Coelho está a escrever, endereçada ao Primeiro Ministro…


  2. Passos Coelho diz : …bipolar eu? Imaginem!!!…
    Primeiro Ministro diz: …sou tripolar!!!…


  3. … por razões de coerência política e respeito à verdade (o que quer que isso seja…) o Pedro Passos Coelho deveria mesmo pedir ao Primeiro Ministro para se demitir!
    Na falta de imaginação (mais do que demonstrada…) poderia recorrer a algum do argumentário que usou com o Sócrates…
    Feliz Natal para todos! Incluindo políticos honestos, desonestos, e cidadãos que acreditaram no Pai Natal. E já agora também para os que continuam a acreditar!…

  4. maria celeste d'oliveira ramos says:

    estas heteronimias dos governantes (e dos políticos em geral e dos que se reformam em geral e passam a ser comentadores políticos em jornais e TV) é admirável revelando muita imaginação como é apanágio dos portugueses que ganham prémios internacionaos mas de que a parte mais criativa como estes de quem se fala deveriam estar nas grades já que quem lá está foi “criativo demais” – o tribunal internacional só condena “alguns” por crimes de guerra mas deveria ter uma extensão para os criminosos das economias e moral de cada país pois que o circo em que se tornou já nem graça tem e se para o circo há leis da ONU para proibir “animais no circo”, estes deverial ser “tratdos” como ainda, em Portugal, se tratam os animais-animais – pois e – o querido “lider” até as andorinhas estão a chorar por ele e vieram homenageá-lo – em Porugal (pelo menos no meu bairro) já nem andorinhas tem – matam tudo até a “primavera”


  5. Declamador de poesia Nuno Miguel Henriques quer disputar liderança com Passos Coelho
    fonte Jornal de negocios
    27/12/2011

    O declamador de poesia Nuno Miguel Henriques anunciou hoje a intenção de disputar a liderança do PSD com Pedro Passos Coelho, por entender que este deve deixar esse cargo e dedicar-se exclusivamente ao de primeiro-ministro.

    Para ser candidato à liderança do PSD nas eleições directas de 3 de Março do próximo ano, Nuno Miguel Henriques terá de reunir 1500 assinaturas de militantes sociais-democratas e apresentá-las até ao dia 28 de Fevereiro.

    Em conferência de imprensa, num hotel de Lisboa, este licenciado em ciências sociais, de 38 anos, consultor de imagem e declamador de poesia, natural da Covilhã, afirmou que “obviamente” tem apoios suficientes para isso e que quer ser “levado a sério”.

    Em 2008, Nuno Miguel Henriques foi director de campanha e mandatário nacional do candidato à liderança do PSD Mário Patinha Antão, mas abandonou essa candidatura antes das eleições e foi depois dado como apoiante de Pedro Santana Lopes.

    Membro da Assembleia Municipal do Fundão e da comissão política concelhia social-democrata de Torres Vedras, Nuno Miguel Henriques fez o anúncio de que tenciona candidatar-se às directas de 3 de Março numa das salas de um hotel de quatro estrelas onde se realizam habitualmente as reuniões do Conselho Nacional do PSD, perante meia dúzia de jornalistas.

    “Esta candidatura preconiza um objectivo primordial: a libertação do primeiro-ministro de Portugal da obrigação de ser em simultâneo presidente do PSD”, justificou, defendendo que “o presidente do PSD deve estar disponível a tempo inteiro para as funções político-partidárias junto dos militantes e simpatizantes do PSD”.

    Nuno Miguel Henriques alegou que sabe “aquilo que é bom para o país, principalmente para o PSD” e que conta “com alguma colaboração de militantes um pouco por todo o país”, tendo já começado a recolher as 1500 assinaturas necessárias para formalizar a sua candidatura.

    Questionado se não teme não ser levado a sério, respondeu: “Por que não? Por que é que não devo ser levado a sério? Qual a razão por que não se leva a sério um militante que sempre se empenhou, que pretende contribuir positivamente com ideias? Não temo nada, porque quem teme nunca alcança, e a sorte protege os audazes”.

    Na sua página na Internet, http://www.nunomiguelhenriques.com, apresenta-se como consultor e assessor de imagem e protocolo, como professor, conferencista, “diseur” de poesia, autor e encenador de teatro, com onze CD de poesia editados.

  6. Pedro Pereira says:

    Finalmente alguém com coragem para denunciar as contradiçoes do mprimeiro.

  7. Demecília Freire says:

    Primeiro Ministro? Quem é? Não damos por ele. O Gaspar (significa gamar em brasileiro, segundo o Acordo Ortográfico) é o Lindinho de Gabinete que manda, pode mandar e até lhe pedem para mandar!

Trackbacks


  1. […] desses exemplos encontra-se nas duas placas em Massamá, a recordarem que nem mesmo grave esquizofrenia agravada por séria incoerência verbal impedirá o nosso PM de cumprir o seu […]


  2. […] desses exemplos encontra-se nas duas placas em Massamá, a recordarem que nem mesmo grave esquizofrenia agravada por séria incoerência verbal impedirá o nosso PM de cumprir o seu destino. Outro […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.