Quando «Mais vale só …»

 

(Foto: blog Dúvida Metódica)

Nos últimos dias, muito se tem falado e escrito sobre idosos que vivem sós e que morrem sós. Hoje, uma notícia no Público mostra o problema de um outro ângulo: o idoso pode estar muito só, não obstante morar sobre o mesmo teto que a família. Ou, pior, debaixo do teto de um anexo da família. 

Uma mulher de 77 anos viveu numa garagem durante um ano.  Um ato cruel e desumano levado a cabo pela própria filha, que a agredia, que a obrigava a utilizar uma lata para as suas necessidades biológicas e, não espanta, que a alimentou mal.

Esta situação só não se prolongou por mais tempo porque os vizinhos a denunciaram à PSP.

Comments

  1. marai celeste ramos says:

    ou filhos que visitam os pais para lhe retirarem a pequena pensão social que têm sob pretexto de que não são já capazes de a gerir e desaparecem
    era interessante que se visse a reportagme TV de há menos de duas semanas com 4 con viaddos médicos em que o único que sbia em profundidade e inteligência emocional (e não tecnicista) o que dizia – o médico Bruto da Costa achando eu que a reportagem devia ser exibida mais vezes – para que se saiba – pois que depois de ser exibilda volta, como os velhos, a total esquecimento – e é presico que todo os mais novos e velhos vejam tantas vezes como as necessárias mesmo exibido-as nas ESCOLAS até ficar sabido – esta decoreu depois da última descoberta de velho em casa já sem vida, em lisboa ou em jan ou fev deste ano – lamento não recordar – també sou velha com muitos probelas comuns a todos os velhos e sei que que falo por viver aquilo de que falo e não tenho paciência para as biocas dos jovens malcriados e anormais que escrevem nos documentários do AVENTAR que não têm neda na cabeça e mesmos no sentir e quanto ao saber têm nada de nada . parecem actofres ce circo – por isso sou brutal .pa a socidde cruel pois ser o que são é outra foema de crueldade – ainda ontem estive em reunião de junta a discutir o peoblema das RENDAS – senhorios e inquilinos – também dos VELHOS – os jovens que aqui escrevem são mais velhos do que eu e, pior, estão pôdres sem saber – são mortos vivos com “bocas insuportáveis” e até rojando o ordinário – deviam ir dar sangue como foi hoje (11 fevereiro 2012) mais uma vez pedido ou serem voluntários a distribuir sopa aos velhos homeless – pensar em fazer algo decente e humano e necessário e nunca se sabe se chegarão a velhos ou se um dia serão homeless porque há muitos que já estiveram BEM na vida e a vida e familiares os abandonaram e para a RUA – don’t tale it for granted – d’ont take it for granted – ou emigrem que não fazem cá falta nenhuma e muito menos a escrever merdices que revelam bem quem são – nem a gente chegam – e não se esqueçam de ver a reportagem de TV com dr Bruto da Costa e, essa sim, merecia comments do Aventar porque o Aventar é um blom BLOG de gente inteligente e culta – os que escrevem os originais – os documentários são IXECRÀVEIS – se eu fosso adepto da censura irradicá-los-ía mas ainda ben que não e, assiom, é um bom retrato (e não carcatura) de tanto idiota que há no país – emigrem r façam algo pela sociedade que vos pagou as escolas para só falarem do seu próprio lixo – pelo andar da carruagem logo se vê quem vai lá dentro – a revolução maior de portugal deveria ser a de tornar os intelectuais menos merdosos

  2. marai celeste ramos says:

    E peço desculpa pelas minhas disreacções dactilográficas mas essa é, também, a distracção própria dos velhos – tenho pena mas não sou JOVEM por fora e quem não souber ler também não percebe um erro ortográfico, ou de sintaxe – mas aceitam o brasilês porque são modernos sem essência – emigrem para o brasil


  3. A Céu Mota revela um aspecto que, normalmente, não se refere e no qual eu já tinha pensado. A ninguém cabe na cabeça que certos idosos prefiram estar sozinhos?
    Eu também sou adepta da divisa: “mais vale só…”


  4. POIS…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.