Onde andará Duarte Lima?

O DN anuncia que Duarte Lima é dos homens mais procurados no mundo, por iniciativa da justiça brasileira junto da Interpol. Que intrigante! Segundo julgo saber, o homem está detido pelas autoridades portugueses, por deliberação reiterada pelo Tribunal da Relação no passado dia 27 de Fevereiro, devido à suspeita de crimes de burla qualificada.

Menos de um mês depois, a Interpol lança este apelo, “wanted”, para localizar o Lima:

www.interpol.int_001

Fonte: http://www.interpol.int/Wanted-Persons/(wanted_id)/2012-13800

O sistema de justiça do Brasil, sem peias e os artificiais obstáculos usados na justiça à portuguesa, considera  haver suspeitas sobre o ex-deputado no suicídio de Rosalina Ribeiro, incluindo-se no processo actos de crime organizado e outros referidos pelo DN.

Para impedir solução expedita do caso, não existe acordo de extradição entre Brasil e Portugal; e, pelos vistos, nem sequer se pode contar com o facto do contexto ser marcado por um reforço da cooperação entre a UE e Interpol que a comissária Malmström sintetizou em simples frase:

A Interpol é um parceiro-chave para a segurança da Europa

Se as reacções de silêncio e recusa de respostas de Duarte Lima às cartas rogatórias das autoridades judiciais brasileiras já me causavam estranheza, mais perplexo fico com a aparente falta de informação  à Interpol do paradeiro da conhecida figura, por parte de qualquer entidade do sistema judicial português, o qual, repita-se, detém preventivamente o advogado. Onde andará, afinal, Duarte Lima?

No balanço deste processo, é irresistível imaginar uns tantos que consideram o Brasil apenas terra de bagunça. Certos portugueses pseudo-cosmopolitas, muitos experimentados e deliciados com a intriga social,  conseguem a complexa combinação laboratorial da idiopatia pelo snobismo com a ignorância e, por vezes, até a boçalidade.

Visitaram uma vez Porto Galinhas e ficaram conhecedores do imenso Brasil. Oba!, oba, oba, oba…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.