Professores: exame para ficar desempregado

Os leitores mais atentos ao aventar terão reparado numa série de posts sobre as questões do desemprego docente como consequência das medidas da TROIKA e do MEC: os mega – agrupamentos e as alterações do currículo são as mais visíveis.

E agora surge Nuno Crato a falar de uma prova de acesso: “para entrar na profissão, em termos definitivos, vai haver uma prova de acesso.”

Cá está, mais uma promessa que vai ficar por cumprir.

E porquê?

Porque como não haverá ninguém a entrar “em termos definitivos” na carreira…

E eu a pensar que isto era para levar a sério.

Ou então, trata-se de alguma medida articulada com os Centros de Emprego e esta medida destina-se a ordenar os hoje contratados, amanhã desempregados, para tirarem a senha no centro de emprego…

É! Deve ser isso: um método inovador de ordenar desempregados!

Comments


  1. ANUNCIA-SE uma medida destas sem indicar quem e como irá ser feita a dita prova. Brinca-se mais uma vez com os contratados…se for para cumprir o está escrito no estatuto da carreira docente os danos serão mínimos…mas é autêntico atestado de incompetênca a quem faz a formação de professores. Sou contratado, fiz uma licenciatura de 5 anos (4+1) com estágio de um ano (penúltimo ano a ser remunerado) numa escola onde fui avaliado em todos os aspectos (componente pedagógica e científica) e agora terei de fazer uma prova??enfim só neste país…Para este sr. crato tudo se resolve com exames…pena é que ele não tivesse de fazer um exame sobre o ensino para chegar a ministro…reprovava de certeza…

  2. maria celeste ramos says:

    Ninguém propõe uma “prova de acesso” para Crato ?? Aquele ar desgraçadinho de tristeza endémica e crónica que parece com os olhos a cair, dêm-lhe férias e mandem-no às urgências para se tratar se é que é possível

  3. Gajo Republicano Laico e Mação... says:

    Certa do bom acolhimento desta missiva, tomo a liberdade de torn6-la pfblica(falta vírgula a montes
    esperando que este posicionamentod e cidadd e de encarregadad e educagao
    possa contribuir para a salvaguarda de um patrimonio colectivo fruto de tantos
    s6culosd e Historiae de uma Literaturaq ue tanto nos orgulha.P or entenderq ue
    esse fegado das gerag6es passadas 6 pertenga das gerag6es futuras, e que dele
    urge sermos todos “fi6is deposit6riosa” ctivos,n este contextot 6o anomaloq ue faz
    recairs obre esta geragdou ma especialr esponsabilidaddee impor

    anomalocaris mesmo ….pois se a prova for de putogoês nã passa nem o crato….

    só se fore de matemática…

  4. Gajo Republicano Laico e Mação... says:

    restringir o acesso a quem?

    a quem tenha menos de 6 anos de serviço certificado pelas DR ‘s (DREL DREC etc
    como fez guterres

    e abri-la aos restantes licenciados via universidade aberta e afins?

    ora isso sempre se fez ….a escala agora é maior

    tá descansado que daqui a 10 anos há falta outra vez

    cavaco baixou o nº clausus dos médicos por pressão da classe e deu no que deu

    já a limitação pela ordem dos profes até agora nã funcionou

    mas num estado corporativista como este sempre foi desde 1111….

  5. Gajo Republicano Laico e Mação... says:

    os que estão estão os que não estão…paciência ficam no índice 151…

    demo cracia Eles avisaram nem todos podem ser uns professores massões…não é quem quer
    é quem phode…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.