Tarrafal está de volta?

Foto de Paulo Pimenta

Foto de Paulo Pimenta

Em tempos conheci por dentro o Bairro S. João de Deus, o Tarrafal! Lembro-me de uma conversa com o Cardoso, responsável máximo pela rede de tráfico de droga no bairro. Dizia-me ele:

– “Professor, esta é única forma que esta gente tem de viver. Se chega a algum lado, é cigano e diz que é do Tarrafal, ninguém lhe dá emprego”.

Lembrei-me disso pela manhã quando a Telefonia Sem Fios do meu automóvel me trouxe a reflexão de José Goulão sobre o regresso de alguns consumidores ao mundo da droga.

De facto conheço pessoalmente muita gente que deixou a dependência, mas que se mantém no limbo, com um pé dentro e outro fora de uma vida social estável. A crise não ajuda nada, claro! Mas tudo se torna MUITO pior quando  o poder da direita velha que se atira ao Rendimento Social de Inserção como se não conseguisse ver o óbvio – uma pequena parte da nossa população vai estar na miséria, sempre. É essa uma das consequências dos tempos modernos – haverá sempre uma pequena / grande margem de excluídos.

Eu prefiro que o estado consiga dar alguma capacidade de existência social a essa gente, reduzindo custos que mais cedo do que tarde irão chegar por via dos sistemas de saúde ou judicial.

Se fosse capaz de ser demagógico como a nossa velha direita diria que investir no RSI é poupar em prisões ou em centros de reabilitação.

Comments


  1. Poupar? Ó meu caro, este governo tem que continuar as PPP nalgum mercado…
    Olhe, poupar…

  2. Luís says:

    Pode ser defeito da minha visão mas nunca vi nenhum cigano a trabalhar como jornaleiro, ou como trolha , ou como mineiro, ou como cantoneiro, … pensando bem nunca vi nenhum cigano a trabalhar!
    Daí o terem direito ao RSI.
    Por outro lado sei que os ciganos praticam pedofilia e que engravidam menores de idade que têm muitos filhos como solteiras!
    Daí terem direito ao RSI.
    Sei também que as meninas ciganas abandonam a escola mal atingem a puberdade para não serem atingidas na sua pureza.
    Como vão continar a ser pobres, porque não estudam, vão ter direito ao RSI.
    Sei também que, quando um cigano comete um crime contra um não cigano, a comunidade protege-o pois um crime cometido fora da comunidade não é um crime.
    Daí terem direito ao RSI.
    Porque neste país todos os cidadãos são iguais perante a lei, outra minoria, aciganada mas não cigana, recebe também o Rendimento Social de Integração, dados aos políticos, o Rendimento Social do gamanço, dado aos banqueiros, o Rendimento Social da Trafulhice, dado aos grandes escritórios de advogados, o Rendimento Social da corrupção, dado aos senhores das PPPs etc.
    Moral da história … depois de tanta conversa esqueci-me!
    Mas sempre posso perguntar qual é o papel dos contribuintes no meio disto tudo!

  3. João Paulo says:

    Luís, obrigado por comentar, mas não podia estar em mais desacordo e se me permite devolvo a pergunta porque a sociedade não é de contribuintes, é de pessoas. A minha pergunta é: qual é a sua solução? Aumentar as cadeias?
    JP


  4. Este governos está a atacar o RSI, mas desenganem-se os contribuintes que pensam que é para os aliviar, é simplesmente para que não falte dinheirinho para as PPP!
    Um preso custa ao estado (nós) 40€ por dia. Sem contar o custo do processo em tribunal para o meter lá, também pago por nós todos.
    Um “RSI” custa menos de metade, é fazer as contas!
    Quanto à integração dos excluidos e minorias, acho que deve ser feito um esforço para não deixar ninguém de fora. Há ciganos que trabalham, como há outros que não, afinal como toda a gente. Mas não devemos por isso tolerar que hajam ciganos criminosos ou pedófilos, como todos os outros!
    Note-se que os ciganos oriundos da Roménia que andam em bandos por aí não são um problema de exclusão social mas de crime organizado, e devem ser encarados como tal.

  5. Luís says:

    João Paulo, gosto do seu texto pois põem questões reais mas que o seu politicamente correcto, (daí o seu desacordo), não resolve nem irá resolver nunca – desculpe-me o tom peremptório.
    De facto a sociedade é constituída por pessoas, mas quem paga os custos inerentes ao viver em sociedade é o execrável contribuinte, que em princípio trabalha e cria riqueza.
    Ora o contribuinte parece-me que não se importa muito que o seu dinheiro seja gasto em proteger os idosos, os portadores de deficiência física ou mental ou ambas, os doentes crónicos impossibilitados de trabalhar, a maternidade e as crianças – isto em todas as sociedades mais ou menos desenvolvidas é aceite sem grande contestação.
    Solidariedade, (não caridade), de quem pode para quem precisa.
    Mutualismo enfim!
    Sustentar malandragem, só porque nasceram com determinada raça ou em determinado berço, ou partido ou ainda religião, é que não.
    É injustiça!
    E se para reparar esta injustiça for preciso abrir mais prisões … pois que se abram.

    • Nao gosto de racistas says:

      Luis nao sei o porque que tas contra os ciganos ou uma cigana deu te a sola ou qurias levar no cu de um cigano.tas a diser qe o cigano nao trabalha??sim trabalhao feiras é a vida dos ciganos.violar nao isso e mentira.matar os filhos mulher pai mae violar a filha filho nao vez dos ciganos agora nos branco é que tens que falar a sim porque violao os filhos matao e maltratao filhos para os ciganos é vitoria agora nao digas merda porque tu es.. RACISTA e bom falar em quanto estamos em branco porque a cores nas cuecas podis ver merda

  6. alexandra says:

    Abrir mais cadeias não é solução de nada. Ah, sim….proporcionaria mais emprego para carcereir@s e afins.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.