A pobre democracia

No Dia da Liberdade, olha-se para a democracia portuguesa com mais atenção e reparamos que não anda de boa saúde, está frágil, tristonha e sem graça como o tempo metereológico. Este diz que está em crise, o outro “com baixa intensidade”, aquele outro que “os interesses do povo não estão à frente de coisa nenhuma” e ainda que “não há condições para uma democracia plena”. Que “temos hoje uma democracia autoritária” que “a negociação social desapareceu” que os que nos governam estão a fazê-lo “sem norte, sem um plano estratégico para o futuro”. Que “até os direitos dos cidadãos passaram a ser problemas para a economia”. Que a sociedade civil não é ouvida nem achada, numa sociedade de obscenas desigualdes.

Freitas do Amaral pergunta, através das palavras de Cícero: “até quando, Catilina, abusarás de nossa paciência”.

Já não há pachorra para comemorações e seus discursos furados e vazios de verdade.

Comments

  1. Fernando says:

    O que é democracia?

    É democracia as políticas que afectam as nossas vidas sejam criadas por um cartel internacional de bancos, mais as suas sucursais FMI-Banco Mundial-OCDE-UE-etc?

    É que já era assim mesmo antes da “ajuda” financeira…

    Será que alguma vez vivemos em democracia?
    Será que aquela gente da assembleia não passam de actores que nos vão entretendo diariamente, tal como as telenovelas, enquanto quem verdadeiramente manda está por detrás da cortina a decidir o que fazer de nós?

Trackbacks


  1. […] Mota, no Aventar, April 25, 2012 at 07:00PM Partilhe:Gostar disto:GostoBe the first to like this […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.