E porque se há-de arrepender quando a conta vai para os cubanos?

Alberto João Jardim não se arrepende de ter aumentado a dívida e diz que “não tinha, em consciência, o direito de deixar de aproveitar dinheiros de graça”. Tão de graça que até deixaram um buraco que parece o da camada do ozono.

Trackbacks


  1. […] esse Sócrates sem Paris, é o mais português dos políticos portugueses, porque, na realidade, ninguém pode negar que tenha realizado obra. partilhar:Facebook Esta entrada foi publicada em política nacional, com as tags alberto joão […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.