O Umbigo

O umbigo é a mais bela e simbólica cicatriz corporal. (Uma ideia tonta que me assaltou). Essa depressão na pele que nos marca a todos por igual. Iguais desde o nascimento à morte.

Damos-lhe pouco importância.

Não o cientista  Georg Steinhauser, que estudou a sujeira que se acumula no umbigo. Descobriu coisas engraçadas: os fiapos do umbigo não são apenas feitos de tecido. Na sua composição encontram-se fragmentos de pele morta, gordura, suor e poeira.

E depois há as expressões tão curiosas à volta dele:

1. Devemos cortá-lo definitivamente (cordão umbilical)

2. Não devemos centrar-nos no nosso próprio umbigo

3. Não somos o umbigo do mundo

4. Umbigo do sonho (expressão criada por Sigmund Freud: “… existe pelo menos um ponto em todo o sonho no qual ele é insondável – um umbigo, por assim dizer, que é o seu ponto de contacto com o desconhecido”)

Você deve conhecer mais!

Comments


  1. Reblogged this on Beto Bertagna a 24 quadros.

  2. Amadeu says:

    Umbigos de todo o mundo, uni-vos !
    Umbigos há muitos.
    Mais vale um umbigo só que mal acompanhado.
    O teu umbigo põe-me louco.


  3. “Tenho o umbigo enterrado na minha cidade”. No sentido de sempre se retornar ao local onde nasceu.
    Grata e Boa sorte!
    Norma
    (Interessante o assunto. agora percebo que pertenço a uma família onde todos tiveram e tem umbigos belíssimos. Bem cortados e cuidados. Ninguém ficou abandonado no berço por muito tempo… Belas cicatrizes! Pisc*)

  4. Amadeu says:

    Da Wikipédia:
    Uma preocupação comum, ainda que inofensiva, é a formação de fiapos de tecido no umbigo.
    (Um) estudo constatou que:
    — 2/3 das pessoas têm fiapos no umbigo
    — pessoas mais velhas tem mais fiapos no umbigo
    — maior incidência em homens do que em mulheres
    — existe uma relação entre a cor dos fiapos e a cor da pele, pessoas de pele clara têm fiapos claros.
    — o tipo de pele não afeta a incidência de fiapos
    — a presença de fiapos está muito ligada a quantidade de pêlos na pessoa. Muitos ou poucos pêlos diminuem a quantidade de fiapos.

  5. Matateu says:

    Da Wikipedia:
    Uma preocupação comum, ainda que inofensiva, é a formação de fiapos de tecido no umbigo, a ponto de este ter sido o assunto em sérios experimentos científicos.
    O estudo constatou que:
    • 2/3 das pessoas têm fiapos no umbigo
    • pessoas mais velhas tem mais fiapos no umbigo
    • maior incidência em homens do que em mulheres
    • existe uma relação entre a cor dos fiapos e a cor da pele, pessoas de pele clara têm fiapos claros.
    • o tipo de pele não afeta a incidência de fiapos
    • a presença de fiapos está muito ligada a quantidade de pêlos na pessoa. Muitos ou poucos pêlos diminuem a quantidade de fiapos.


  6. Umbigos… O meu é normal. COMO TODOS OS OUTROS!!! pfff, esta foi boa, tava eu na minha querida porno e fui ter aos umbigos e fiapos! -.-‘
    Sem dúvida que dará uma longa conversa! :-V (para quem nao tem nada que fazer… eheh, como eu :-}

    bjnhs, BICHAZINHA GODA FOFA

    • Joana says:

      deves pensar que es o melhor – quando é que as pessoas deixam de ser porcas de uma vez por todas!


  7. Querida Joana, não pretendia ser mal educada. Sim, sou uma rapariga. Se fores menor, pára de ler agora esta resposta. (eu avisei)… Se fores maior, virgem ou não virgem, QUASE TODA A GENTE VÊ PORNO, PORQUE É BOA! Eu até já tive os dois braços partidos, mas a porno foi boa na mesma! 😀
    O problema das pessoas não é serem porcas, mas sim mentirosas consigo mesmas. Eu gosto de porno, vejo porno. Tu não gostas de porno, não vejas porno e NAO ME CHATEIES. E se gostas de porno, sê quem tu és e vive a tua vida, porque és a única pessoa com controlo em ti própria. (esta calhou-me mal, mas pronto… -.-‘) BEIJINHOS Joana. Passa bem, com ou sem porno… Com os umbigos se quizeres. ;-D

    • Joana says:

      até gosto de porno, mas nao ando lá sempre – desculpa se fui eu a mal educada. BJ para a conversa secante dos umbigos.

  8. Armindo de Vasconcelos says:

    Se alguma vez me passou pela cabeça que um umbigo destemperasse tanto uma conversa… Eu acho lindos quase todos os umbigos de mulher. Poderia dizer que me lembram a maternidade, mas estaria a mentir. Eu adoro os umbigos porque são misteriosos e podem ser vulcões. E aos fiapos eu prefiro mil vezes um fio de mel a cair ali, no mistério, a encher vertigens. E, por falar em vertigens, já tentaram olhar a cratera de um vulcão? Ou derramarem-se em crispação? Bem, fico-me por aqui, com a ideia para um blogue, algures, onde desfio as minhas vidas na variedade das palavras. Porque os pensamentos podem atraiçoar-me. (honi soit qui mal y pense)


    • Clap,Clap,Clap! Voltamos aos trilhos….

      • Armindo de Vasconcelos says:

        Trilhos! Há-os violentos, perdidos em montanhas várias, com o sol dardejando as urzes.
        Há-os, suaves caminhadas por cima de canalizações de água murmurante, como em Santa Luzia, começa no aqueduto.
        Há-os na alma, fruto de lágrimas e fracassos.
        Há-os no rosto, onde o sal formou socalcos.
        Há-os na maternidade, feitos estrias de amor.
        E há os seus, norma7! Os meus. Os dos outros, quem sabe se alguns nossos.
        Trilhos! Uma palavra onde podem escrever-se tantas vidas, tantos sentimentos, tantas emoções.
        E onde podemos também ver o que ficou de nós ou em nós. O cinzel é vário e constrói a eternidade da nossa história.

        • Maria do Céu Mota says:

          Uau! Armindo, é só puxar um fio e eis que lhe sai logo poesia!
          abraço

          • Armindo de Vasconcelos says:

            “A única coisa a que não resisto é à tentação” de um umbigo. Ou de um trilho!
            Obrigado por ter visto poesia nas minhas palavras. Uma boa surpresa, estes trilhos. Ou umbigos.


  9. Também vi poesia, Ma. do Céu.
    Umbigos não me causam inveja (vide coment. acima), porém quanto a trilhos é uma outra história. Já que falo de Ipanema/RJ/Brasil, sou mal servida dos mesmos. Os trilhos são livres, abertos para paisagens que passam e você estático só usufruindo…delícia! Você na janela e o mundo te acenando. Até as paradas, você antecipa as existências e a duração. E melhor, sabe que a viagem vai continuar! Invejo trilhos, invejo à Alemanha e sua malha ferroviária e agora a você Armindo, que tem como saciar-se com tantos trilhos, os metafóricos e os físicos.
    Armindo, por sua gentil ‘correção de rumo’ aos trilhos:
    Poema de António Jacinto, dito por José Ramos:
    http://youtu.be/CNMj9EDKwyI
    Boa Sorte, Norma

    • Armindo de Vasconcelos says:

      Já que me seduziram com poesia – este acordar nublado abriu-se – eu deixo este presentinho que vale o que vale, mas é meu. E partilho-o com duas mulheres, que são a companhia perfeita para as palavras sussurradas.

      Só posso dizer-te

      Sexta, 27 Março 2009 às 00:36

      Esta noite, sonhei contigo.
      Contigo ou com os sentimentos? Contigo ou com os sentidos?
      Reparti iodo pela tua pele para ficares com as cores do verão.
      Do verão ou do moreno? Do verão, porque és o sol? Do moreno, porque és a minha visão singular?
      Nos sonhos, não há as marcas do tempo. Só as marcas da paixão? Só as marcas que deixas na minha alma?
      Por isso, um dia, ainda que o improvável sobreleve, deixarás de ser a vestal que inunda de fogo as madrugadas. E serás a mulher inteira do desassossego.
      Porque cuidarei dos sonhos sem ficção. E não simularei esta angústia de não seres contígua à minha pele. De voares, apenas, neste limbo, que é esta ilusão de te ter, nunca te tendo. Porque estás para além das montanhas, e não há trilhos escavados na pedra. Porque és uma estrela, e não sei voar o teu infinito. Porque o teu encalço, apesar de indelével, é a minha utopia.
      Esta noite, sonhei contigo.
      Mas há este vazio onde apenas consigo tactear os contornos impensáveis do fogo.


      • Sexta, 27 Março 2009 às 00:36 – Oi?!

        Supondo ser uma das mulheres em que confias relatar um sonho já tão remoto (27/03/09 – Oi? Já realizado ou abandonado?), aos sussurros – porque os sonhos que envolvem sentimentos e sentidos, assim o exigem, Nando me dá o toque (desculpem-me a intimidade, porque o vosso Poeta é um ‘querido” especial): “E vê que ele mesmo era. A Princesa que dormia.”

        Eros & Psique

        http://youtu.be/xXGxAE8nfDU

        Isso posto, fico confortável para dizer-te que gostei bastante.

        (Quem poderia imaginar que o Post (sério e científico sobre Umbigos) da Ma. do Céu, levaria a desentendimentos sobre filmes pornôs, a trilhos e a Eu Lírico???)

        Vestais: cuidam do fogo – Matriarcas: também. O desassossego faz parte da vida do gênero feminino (e da Alma). O fogo também… (Mitologia upgraded?)

        “…e não sei voar o teu infinito. Porque o teu encalço, apesar de indelével, é a minha utopia.”

        A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar.
        Eduardo Galeano

        E nem aprenda a voar no infinito alheio, aconselho! E nem no teu… Só caminhe e sonhe…
        I rest my case, Armindo!

        Fique Bem, Norma (*)
        P.S:Eu como tu, também gosto de ‘verdades verdadeiras’ e de manter fidelidade a sentimentos despertados em priscas eras: falo de Trilhos…mencionados em 2009.

        (*) Norma (Bellini) – Sacerdotiza dos Druídas (tb tenho uma tia chamada Adalgisa – Humpf! Contudo, menos trágica que Medeia…) – e que ‘finge’ muito bem lidar com os 4 elementos, inclusive o fogo…, de vantagem só: “Sabem com quem estás falando? Não sou uma Vestal qualquer…”rs.rs.rs.
        Mãe (Maud) apreciava a ária “Casta Diva” – o que há de se fazer….?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.