José Hermano Saraiva

Morreu o historiador. Uma oportunidade de o conhecer melhor, não obstante os «baldes de àgua fria» que às vezes apanhamos por sermos novos e não sabermos «da missa metade».

Aqui fica um exemplo de como sabemos muito pouco da nossa História (admito, mas quero aprender, com humildade).

Foi também advogado, professor do ensino liceal e ministro da Educação. É sobre este cargo que fui à procura de informação na História do Ensino em Portugal de Rómulo de Carvalho (António Gedeão), editada pela F.C.G., obra de referência: J. H. Saraiva esteve no poder enquanto ministro da Educação durante ano e meio, sucedendo a Galvão Teles.  Segundo Carvalho, Saraiva viu-se envolvido numa luta incómoda com a Academia de Coimbra:”É uma história quase anedótica mas que merece ser citada, pois teve papel preponderante no processo de renovação do ensino que então se pretendia executar.”

Um episódio triste, uma vez que foram feitas detenções a estudantes (Alberto Martins – ex-Ministro da Justiça entre 2009 e 2011-, o estudante que contestou publicamente o Governo de que José Hermano Saraiva fazia parte), violências foram praticadas, proibições aos estudantes de continuarem a estudar na Universidade, etc.

Por aquilo que me deu conhecer, J.H.S. terá, em Abril de 1969, reorganizado o Instituto de Meios Audiovisuais, de que fazia parte a Telescola. Não me consta nada mais de significativo, a partir da leitura daquela obra.

Apesar do episódio que Rómulo de Carvalho refere, não deixo de admirar o comunicador e o amante da nossa História, que foi José Hermano Saraiva. Isso ainda não vi em mais ninguém…Teremos outro?

Um homem não é só o seu passado!

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    Para a Telescola – programa que de vez em quando via e era bom – da sua criação fazia parte também amigo meu de longa data (trabalhei na DG Ensino Primário Curso de Adultos) fazia parte dizia eu – Luis de Pina – falecido – que, igualmente, foi director da TV e da sua programação e foi um tempo em que a TV era a melhor do mundo – ainda preto e branco – Hermano Saraiva foi ainda consul de Portugal no Brasil (creio que foi ele e não seu irmão – familiar de Saraiva do Jornal ?? Público ?? não sei – na minha idade tenho direito e ter má memória e pior poder de concentração – Não sabia que tinha morrido – não ouvi nada no noticiário – tenho dele um excelente livro de História de Portugal – Raíz e ALVORADA – muito bom – excelente – ilustrado

  2. Tito Lívio Santos Mota says:

    sobre este estoriador (grafo à moda da idade média para distinguir de Historiador que é outra coisa), sobre este estoriador catódico, dizia eu que era o oposto de Alexandre Dumas.
    Alexandre Dumas dizia ter violado a História mas ter-lhe feito filhos muito bonitos.
    Também acho.
    O problema com este estoriador é que a violou mas só nasceram abortos.


  3. Luta incómoda? eu ouvi o tiro. Não vi. Mas alguém ficou incomodado no fígado.
    Centenas tiveram depois o incómodo de uma incorporação imediata a caminho da guerra. Também podes procurar guerra nos livros. Chama-se colonial. Alguns tiveram o incómodo de morrerem.
    JHS nunca foi julgado por isso, e ainda deixou pessoas como tu na doce ilusão de ter sido apenas alguém com incómodos. O problema é esse.

  4. José Luís Graça says:

    Sim temos outro. Chama-se Joel Cleto e aparece publicamente no Porto Canal. E haverá outros ainda, a quem não foi dada a oportunidade de se aguentarem sozinhos diante duma câmara de tv, como o faz Cleto e fazia o Saraiva.

    Tome lá um cheirinho aqui:
    http://www.youtube.com/watch?v=cAk8kzITock&feature=related

    e depois veja o Porto Canal, nas televisões por cabo.

Trackbacks


  1. […] e o mítico entretidor televisivo José Hermano Saraiva nunca teria tido a exclusividade e os elogios populares, que bem vistas as coisas, até merece, da parte dos receptores. Hoje até estou muito liberal: […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.