Ténis de mesa: Marcos Freitas avança para a terceira ronda

Marcos Freitas nos jogos olímpicos de Londres

Foi uma partida brilhante, ganha por 4:0. No terceiro jogo, Marco Freitas recuperou de uma desvantagem considerável, onde o adversário tinha liderado até ao penúltimo  ponto.

Parabéns e venha a próxima partida (segunda-feira).

Foto

Comments

  1. Konigvs says:

    Eu vi o jogo gravado que a RTP transmitiu, e que perde toda a emoção a partir do momento em que já sabemos o resultado, mas de facto foi um belo jogo apesar do adversário estar muitos lugares abaixo no “ranking” do português.
    Acompanhei sim em direto o jogo da primeira mesatenista portuguesa presente numas olimpíadas e foi um jogo épico em que infelizmente ela perdeu na negra do último set. Teve todas as possibilidades de afastar a tailandesa que estava cinquenta lugares à sua frente no “ranking” mundial.
    Ao menos de quatro em quatro anos vemos ténis de mesa na televisão pública, desporto que de longe é muito superior em espetacularidade ao ténis, não fosse a bola que de entre todos os desportos atinge mais velocidade e mais rotação.

  2. Amadeu says:

    Eu tive a sorte de ter ido passear não ter visto o jogo.

  3. maria celeste ramos says:

    mas eu vi e achei – e não jogo claro mas em agronomia havia sala de jogos com bilhar e pingpong e matraquilhos e eu era uma “batoteira” com matraquilos e adorava – ping ponf era q.bem. mas se o adversário era melhor do que eu até parecia que eu era um ás – em bilhar era uma xatice mas era bom mesmo assim – e aind há e nem sei porque +e que as meninas que já jogam futebol não se “atiram” ao rugbi já que a equipe de agronomia é mesmo boa – mas eu só ía ver e tinha um prof que jopgava, prof e vizinho, que à 2ªfeira tinha “escritos no nariz – era mesmo a sério – mas vi ontem o Volei Suissa e ??? e adorei pois que também joguei (e fazia igualmente patins e adorava e fazia o que já não se usa – o ringue e jogar ao mata e era excelente – andava de biciclete e de joelhos esfolados e fazia remo no lago do Parque das Caldas da Rainha e no Estoril – mas já não há nas praias – só barcos motorizados
    adorava cada desporto que fazia + dança + canto coral +++ sei lá e nunca me faltou tempo para ser a melhor aluna

  4. maria celeste ramos says:

    Não sei se haverá alguma criança que não goste de desporto seja ele qual for – e música (que salvou muitos meninos negros do Bronx – com o canto) e ainda os pobres das barracas de Caracas com o Duhamel que lá vivia e aprendeu música e ensinou aos seus meninos do bairro e tal que Obama o convidou para o Bronx e creio que hoje é o director da filarmónica de L.A. há actvidades – mas foi convidado para tocar com os seus meninos no Carnagie Hall – há matérias das artes que salvam os meninos – aliás Yagni Yoga disse que “o homem só se salva pelas artes” – acho que sim – até ficam a gostar da odiosa matemática – mas com Crato não há “nada” – crato não existe – é um biraco mais do que vazio – nem sequer é o verbo de encher

  5. maria celeste ramos says:

    mas eu adorava matemática e português que achei que eram iguais em proporcionar desenvolvimento cognitivo

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.