Inter Rail 40 Anos

A fazer mais, muito mais, pela construção e fortaleza da Europa do que muitos, mesmo muitos, euroburocratas.
O futuro é o comboio… liberdade, liberdade, liberdade!

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    O transporte por combóio é o transporte por excelência e só tem vantagens e nenhum inconveniente – Portugal tinha a mais excelente cobertura por combóio de quase todo o território- É por isso que o inteligente 1º ministro Cavaco Silva mandou fazer as IP que rasgam o território e desfazem pequenos e grandes relêvos, destroem pequenos e grandes ecossistemas – poluem o ar e as paisagens, obrigam ao consumo de gasolina de preços cada vez mais insuportáveis e dão lugar a acidentes mortais, alimentam cartéis gasolineiros, obrigam a comprar carros mesmo por quem não tem dinheiro mas não querem perder o status até mesmo nas aldeias e ao desfazer o sistema rodoviário deixam populações isoladas do mundo mesmo que o combóio possa atravessar continentes – É relativamente acessível em preço de transporte de pessoas e mercadorias – é rápido e seguro – O avião é para ricos e para vencer grandes distâncias e começam a cair por todos os países em que cada vez mais não se faz a sua manutenção para as companhias pouparem embora seja dito que é o transporte mais barato mas não estou a ver a comunicação entre aldeias por avião – É transporte para fazer recreio e turismo a pequenas distãncias por mais confortável que seja neste caso o so do automóvel. É mais uma faceta do consumismo e de isolamento de quem não pode usar o avião nem nteressa para menores distâncias nem só para passear e conhecer os mundos – o combóio do Tua é disso o melhor exemplo que ao ser desactivado impede fluxos turísticos O combóio é o transporte colectivo mais antigo e confortável e olham-se as paisagens a correr e até permite o convívio que no avião não é possivel e pode-se parar em qualquer lugar mesmo que não esteja programado – Fica mais económico para quem o usa, para o país e para manutenção sendo que o avião é apenas para grandes distâncias e intercontinentais e é altamente poluente em CO2 – E o TGV pra países tão pequeninos como o nosso é um bom disparate e não pára, como o combóio tradicional, de aldeia em aldeia sendo nesta situação preferível o avião e sendo que o combóio é um lindo elemento a ver correr nas paisagens

  2. xico says:

    Tem razão sobre o inter-rail. Eu adoro comboio e é uma pena ver o que se fez em Portugal. Mas o low cost pôs uma pedra no inter-rail. Acho eu. Hoje é mais barato ir a Barcelona de avião do que ao Algarve de comboio.


    • Mas quem disse que o utilizador do inter rail apanharia um avião porque é (dizem) mais barato?
      Se num comboio viajamos, num avião apenas nos deslocamos, e não me parece ser isso que procura o passageiro do inter rail, não busca deslocação ou rapidez: busca experiências. Das que não vêem nos livros nem se reservam na internet.

  3. nonsense says:

    O realizador do documentário é o português António Pedro Nobre, também autor de O Guia do Mochileiro e De Comboio Pela Europa, publicados por Arte Plural Edições.
    Abraço e boas viagens

  4. Ricardo Santos Pinto says:

    Quem nunca fez o inter-rail nunca fez nada na vida…

  5. Maquiavel says:

    Eu fiz o meu 1.o Inter-Rail em 2010, com 35 anos, mulher, e uma filha de 3 anos e outra de 1 ano. Foi à experiência, afinal viajar com crianças pequenas e mais näo sei o quê.

    Em 2012… venho de fazer o nosso 3.o Inter-Rail consecutivo! 😀

    Sim, viajar com crianças pequenas é um inferno… DE CARRO! 😀 De comboio? Especialmente nos ICEs alemäes/austríacos/suíços/dinamarqueses? Até o carrinho duplo cabe nos corredores!

  6. Maquiavel says:

    O que deita pedras no Inter-Rail säo as “reservas obrigatórias” (já para näo falar de luminárias como as do (des)Governo de Portugal que quer acabar com o Sud-Expresso), que tanto podem ser nos TGV como nos IC. o problema é quando näo há mais nenhum comboio a fazer o trajecto, como em França.
    E é nos países caga-na-estaca como Portugal que se paga mais! Queres ir no IC, mesmo lento? Arrota com 4€ de cada vez! No Alfa säo 8€. Em Espanha pagas em *todos* os näo-suburbanos, de 5€ pra cima. Näo há pachorra! Aliás, na Ibéria e no Leste näo vale a pena usar o InterRail, mais vale comprar bilhetes locais…

    Ainda mais porque nos países a sério como Alemanha, Áustria, Suíça, Benelux, Dinamarca, pode-se montar nos comboios que se quiser (sim, também nos de alta velocidade) sem pagar um chavo a mais. Liberdade total. Fizémos uma contas de sumir rápidas e concluímos que fazendo umas 5 viagens de ICE (daqueles que só param de 200km em 200km…) na Alemanha fica o passe de 30 dias pago! 🙂

  7. Labotica says:

    Olá, verifiquei que o link está morto. Envio novo link para quem quiser ver o documentário – http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=fFP8qmIbsnM. Infelizmente sem legendas em Portugês mas se converterem as legendas em Espanhol para Português funciona quase que na perfeição.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.