A seguir a independência, as lutas reivindicativas. Carrillo

1-maio-chicago.jpg

A história tem uma argumentação nos factos. O que denomino a lógica da história. Primeiro, luta-se pela independência, a seguir, a república cresce e nascem indústrias, trabalhadores que eram soldados e passam a ser heróis não da guerra, mas sim do trabalho. Reivindicam os seus direitos, não são ouvidos. Rebelam-se, ninguém se interessa. Os governos caem, aparece uma esperança que passa a ser uma frustração. Os lutadores persistem, como Santiago Carrillo, que faleceu no dia em que se comemoram 202 anos da libertação do Chile. Com 98 anos. Habituado as lutas, a vida não o perdoo. Como antes, a Dolores Ibarburri, La Passionária, Presidenta do Senado Espanhol, por honra.

Os trabalhadores continuam na sua luta. Sempre perdem. Este governo que nos mata, nunca mais cai. Todos esperamos esse quebre que nunca mais acontece. Batalhamos nas guerras dos burgueses, ganhamos mas não lucramos. O operariado tem os seus dias, como o 1º de Maio, que em Chicago de Século XIX causou mortes dos heróis do trabalho, como os do Chile e de Portugal.

Em 1886, realizou-se uma manifestação de trabalhadores nas ruas de Chicago, nos Estados Unidos da América, reivindicando a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias. A manifestação contou com a participação de milhares de pessoas e deu início a uma greve geral nos EUA. No dia 3 de Maio houve um pequeno levantamento que acabou em escaramuça com a polícia levando à morte alguns manifestantes. No dia seguinte, 4 de Maio, uma nova manifestação foi organizada como protesto pelos acontecimentos dos dias anteriores, tendo terminado com o lançamento de uma bomba por desconhecidos para o meio dos policiais que começavam a dispersar os manifestantes, matando sete agentes. A polícia abriu então fogo sobre a multidão, matando doze pessoas e ferindo dezenas. Estes acontecimentos passaram a ser conhecidos como a Revolta de Haymarket.

Três anos mais tarde, a 20 de Junho de 1889, a segunda Internacional Socialista reunida em Paris decidiu, por proposta de Raymond Lavigne, convocar anualmente uma manifestação com o objetivo de lutar pelas 8 horas de trabalho diário. A data escolhida foi o 1º de Maio, como homenagem às lutas sindicais de Chicago. Em 1 de Maio de 1891 uma manifestação no norte de França é dispersada pela polícia, resultando na morte de dez manifestantes. Esse novo drama serve para reforçar o dia como um dia de luta dos trabalhadores e meses depois a Internacional Socialista de Bruxelas proclama-o como dia internacional de reivindicação de condições laborais. Fonte: os Livros de Eleanor Marx sobre o materialismo histórico, a sua Biografia sobre o pai, Karl Presborck Marx, e o texto do seu genro Paul Lissagaray, La Commune de Paris, traduzido por Eleanor param inglês.

O Dia Mundial do Trabalho foi criado em 1889, por um Congresso Socialista realizado em Paris. A data foi escolhida em homenagem à greve geral, que aconteceu em 1º de Maio de 1886, em Chicago, o principal centro industrial dos Estados Unidos naquela época.

Milhares de trabalhadores foram às ruas para protestar contra as condições de trabalho desumanas a que eram submetidos e exigir a redução da jornada de trabalho de 13 para 8 horas diárias. Naquele dia, manifestações, passeatas, piquetes e discursos movimentaram a cidade. Mas a repressão ao movimento foi dura: houve prisões, feridos e até mesmo mortos nos confrontos entre os operários e a polícia.

Em memória dos mártires de Chicago, das reivindicações operárias que nesta cidade se desenvolveram em 1886 e por tudo o que esse dia significou na luta dos trabalhadores pelos seus direitos, servindo de exemplo para o mundo todo, o dia 1º de Maio foi instituído como o Dia Mundial do Trabalho.

Quando será o de Portugal? No aniversário  da morte de Carrillo, da Pasionaria, de Álvaro Cunhal? Dos patriotas socialistas? De Allende? O meu santuário de heróis, a minha pessoal Fátima.

Apenas sei o dia em que não haverá comemoração: quando este governo venha a cair, porque de renunciar, nada esperemos: estão enredados nos seus postos, ganham o que nos tiram para comer, quando cair antes que depois, será o melhor 1º de Maio das nossas vidas.

Apenas sei dizer: a vida de Carrillo, como a de Cunhal e da Pasionária, um exemplo de vida. Para imitar.

Vivam os heróis do trabalho, vivam os pobres do mundo, empobrecidos pelos burgueses, é um permanente Chicago de 1886 a vida com eles.

Raúl Iturra

19 de Setembro de 2012.

202 anos depois da nossa independência.

Comments


  1. E por fim a fase de degradação dos que se acham donos de cada país e no somatório, os donos do mundo – é o que vejo desde que nasci – TVi 24H-01:45H e´resente o jornalista Viegas e fala-se de gerontologia – diz o m+edico que o novo aprende tudo e o velho já tem o “espaço” ocupado com outras coisas – o idoso não é criativo e avança devagar – mas podem ser perigosos – fala de Manoel Oliveira e o idoso é bom para fazer o balanço – e o envelhecimentp torn a s sociedades mais resistentes à mudança~-Vieh«gs Manoem preoupado com Siza Vieura – Siza Manoel quer fazer filme sobre a minha obra – plateia velhorte Eça de Queiroz – a economia é que condiciona o envelhecimento da europa +++ senhora pergunta e as sociedades reagem como ao envelheciment pois o envelhecimento e ada um é com é a soceidade – e que tipo de munça pergunta eçla – ginástica sim é jovem mas sabedoria ??? e oque hoje está mais em dúvida é a sabedoria dos velhos e sem ginastica mental e na idade da reforma TEMOS LIBBERDAE muito mair – outro tipo de estar que não tivemos ao longo da vida + velho 78 anos – tenho surpresa do painel de gente de alta categoria e a minha surpresa é a mudança eu sou de origem rural estou convencido até 2011 aconteceu o que aconteceu (ah grande velho) – estamos fartos de que a escolha dos responsáveis e em classificados muito emprego e recritamento pela amizade a familia e (o entrevistador corta a pajavra – é jovem claro e idiota) +++ e quer intervanção mais curta (parvalhão quer que o velho corra tão depressa como o jovem mas idiota) +++ Viegas falamos em mudança que está ligada a voracidade e é do nosso tempo – e apelo a mais lentidão e a crise e da muita memória dos melhos é o conceito de temperança – parvalhão ele e os idiotas dos jovens que não percebem sequer o que dizem – Pedro o envelhevimento não é idade mas mentalidade – estive na escola dos meus filhos e menino de 12 anos queria reformar-se e fico satisteito com os reformados ++ os velhos não são todos iguais como não são os velhos – vamos ter mais velhos que novos e homem de 90 como Oliveira pode dizer o que quer e com 12 anos não pode – e porque é que oa pais para chegar a 2030 cm melhores valores e dociedade mais justa – o pravalhão da mesa diz que é politicamente incorrecto – (nem sei quem é esta besta parece que tem 40 anos) + médico
    Não quero mais ver estes disparates
    hoje estive a falar com amiga de 26 anos + outra de 60 + outra de 52 – a de 2
    Tenho 74 anos (srª) envelhecimento activo o trabalgo com mais de 60 anos devíamos trabalhar com eles para aprender a ir para a frente e a sociedade civil devia ser ouvida e não só políticos ++ Contaco com pessoas de 6 meses e de mais de 70 anos e com respeito pelos jovens do painel – mas sabemos mais do que percebemos e como os jovens nos perceneb a nós mais velhos ??? – dizer que homem com sessenta só se senta – esta mudança é preciso sbar a que mudança nos rererimos – Viegas – a ieia que fica é que existe ralação de travão e que nem todas as mudação são boas – joão em portugal não há política para idosos mas há em espanha saude lazer educação e trabalhoe intagrando departamentos integrados – olha-se a 3ªidade como encargo social e com mais saúde – e hoje poder discutir isto e esta sabedoria é memória da sociedade e instituições e os jovens valorizam o que vem dos mais velhos – importante olhar o capital humano dos velhos e que deixem contribuir para a sociedade – Fátoima arros + Sousa Homem + Viegas + outro – os 4 do painel
    por mim o painel excepto a senhora )mais jovem dos 4) falou bem – os outros só idiotices – pena
    O interessante +e que joje estive com 3 mulheres uma de 26 + 60 + 42 – a de 26 era a mais idiota peisóloga – a de 42 pena esra muito inteligente e intuitiva mas ninguém a ensinou a pensar – a de 60 uma sác«bia e tranquila e eu a tentar perceber quem era quem para si mesmo e o colectivo – foi bom mas cansativo
    Agora segue um senhor macaco Mendes fala outra vez de nada – mas ganha bem – tem uma gravata azul do céu e está bem empoado – mas para mim é odioso pois sei o que foi como ministro e anda aqui com ordinarices sem palavras ordinárias – mas é o espirito dele


  2. “Santiago Carrillo hoje é merecidamente homenageado polo podre regime bourbónico. Homenageado como o que é; um artífice da ordem política, social e económica que neste momento padecemos. E eu, como revolucionário que me considero, deixo aqui ese modesto contraponto.”: http://www.diarioliberdade.org/opiniom/opiniom-propia/31382-santiago-carrillo,-contra-obitu%C3%A1rio-de-um-traidor.html

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.