Os negócios do Policarpo

Policarpo diz que só há uma saída para a crise. Não explica porquê: talvez lhe tenha sido revelado pela “única pomba feia do mundo / Porque não era do mundo nem era pomba“.

A solução para a crise feita dogma de fé, e o “valha-nos nossa senhora” que a alternativa é a revolução, é cantiga milenar; já o Cerejeira assobiava assim e antes dele tantos outros.  Fiel ao poder que lhe beija a mão, e dela se vale, a ICAR esquece que a sua influência já viu melhores dias mas afadiga-se na defesa dos seus interesses:

– porque não pagam IMI sobre as suas imensas propriedades, em grande parte edificadas ainda no tempo do dízimo obrigatório sob a espada da inquisição? porque não pagam IRS os seus funcionários, vulgo padres? onde está o IRC da diocese de Leiria/Fátima?

Ou fingimos não ver que a transferência de funções sociais do estado para IPSS’s da ICAR corresponde ao seu controle directo sobre uma série de empregos, tal como sucede na maioria do ensino privado subsidiado e se ameaça estender à saúde? Ninguém repara que até a caridade é uma arma, distribuindo de acordo com o seu peculiar conceito de moral e mandando a equidade às urtigas? Que o poder de distribuir empregos pelos seus fiéis é uma verdadeira refundação da influência da confraria de Policarpo?

Não, não foi o espírito santo o inspirador de José Policarpo. São os privilégios e mordomias que lhe ditam o verbo, na forma peculiar de ganância que tão bem caracteriza a instituição a que por cá preside.

Comments

  1. Konigvs says:

    A igreja sempre nos vendeu o “é mais fácil passar um camelo pelo buraco da agulha que um rico entrar no reino dos céus” mas depois esta escumalha hipócrita sem qualquer pudor nem ponta de vergonha na cara mostra-nos o “olha para o que eu digo mas não olhes para o que eu faço”.
    Teve ainda o desplante de se meter na política e inventar que um dos segredos da “off-shore” de Fátima era que deus queria que se acabasse com o comunismo. Terá Cristo entretanto aderido entretanto ao capitalismo e ao neoliberalismo selvagem?

    • Maquiavel says:

      Cristo sempre foi o comunista que foi.
      Muito mais comunista que muitos PCs que o dizem ser.
      A ICAR é que também nunca foi muito cristä, embora diga que represente Cristo.

      • Konigvs says:

        E como tudo isso é irónico!! A máxima de Cristo é “ama o teu próximo como a ti mesmo” e mais comunista que isto não pode haver, e depois faz-se uma igreja em seu nome que é ultra conservadora, que até foi primeira instituição capitalista que existiu com a invenção de vender o jejum da quaresma para os ricos e que é hoje umas das instituições mais ricas do mundo e que nada faz pelos seus súbditos mais necessitados.


  2. Se a Igreja já tem cada vez menos “fiéis” com D.Policarpo destapou-se o que tem sido a exploração emocional e espiritual deste povo religioso e crente que está cagando no D. Policarpo e se junda em nome da sua Fé e não dos miseráveis representantes que têm cada vez menos empregos – coitados – deviam fazer um sindicato – mas estão acima de tudo felizmente e os tipos nem aprendem nada – aproveitam-se – são os Durão DURÂO da Igreja – por mim trouxe a igreja para minha casa e mandei-os às urtigas – Deus é e está onde eu entendo e não são estes tipos que me comovem pelo contrário – pobre Igreja que tão maus representantes têm – mas a mim não fazem falta – tenho apenas tristeza mas passa-me depressa – tudo degradou e se estes também, Deus anda mesmo Xatiado como anda o Planeta – Há homns que até essa condição já perderam

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.