Não morreu, mas podia ter existido

Giorgios Kornakkis (1917-2012). Esta entrada, puro situacionismo com navalhada e tudo, os estivadores bem a merecem. Saia petardo.