Os bancos, o crédito ‘malparado’ e a imbecilidade

A crise teve origem na axiomática desregulação do ‘sistema financeiro internacional’, herança de Tatcher e Reagan – Alan Greenspan, no FED, e outros deram também contributos consideráveis.

A falência do ‘Lehman Brothers’ foi, pois, o evento mais ruidoso e, por isso, emblemático. O estridente som não foi, porém, suficiente para abafar o estrépito da bancarrota de mais de uma centena de bancos nos EUA e, por exemplo, o financiamento obsceno da AIG, porque realizado com dinheiro dos contribuintes.

EUA foram o ponto de partida. Todavia, rapidamente a crise se propagou por outros países, em que a enxurrada de investimentos em activos tóxicos associada à concessão intensiva do crédito fácil a empresas e particulares constituíram factores degenerativos de um tipo de bancos excessivamente alavancados – o recurso a meios financeiros emprestados transcendia, e de que maneira!, os rendimentos reais empresariais e familiares. A Islândia, louvada seja, foi o único país a atacar com rigor as origens da crise, punindo os responsáveis e minimizando os esforços da população do país.

Com BPN, BPP e todas as outras instituições financeiras de permeio, Portugal não ficou imune, nos danos causados pela banca. Os 12 mil de milhões destinados à recapitalização dos bancos, acrescidos de 35 mil milhões da “ajuda da troika” para o fundo de garantia bancário, nem paliativos são. A Economia, fonte natural da riqueza e da distribuição de rendimentos, ausente das prescrições do FMI, CEE e BCE, bem como de governos ‘neoliberais’, está submetida a uma contracção profunda, multiplicadora de pobreza e de miséria.

Quando a imprensa, citando o BdP, anuncia níveis históricos de crédito malparado no sector empresarial (10.290 milhões, equivalente a 9,74% do crédito concedido) e a particulares (5.138 milhões de euros), é efeito óbvio da agiotagem muito ambiciosa, e sem regras.

Se o ónus das cobranças duvidosas caísse única e em exclusivamente sobre a banca, dormiria tranquilo. O grave é que, das mais diversas formas, da perda de emprego ao aumento de impostos e redução de rendimentos, a ‘troika’ e o governo exigir-nos-ão, sempre que necessário,  pagar as consequências das nefastas políticas desencadeadas pelo ‘sector financeiro’. Ainda que seja através da morte, como sucedeu há dias a Pai e Filho de 2 anos em Viana do Castelo.

O mais perverso e ofensivo é constatar que ainda existem ensaístas, militantes da futilidade e da causa anti-humanística. Nem sequer evitam a baixa e reles censura da sensibilidade de quem sofre com os dramas alheios.

É o caso desta autopromovida ensaísta que, salvaguardada pelos que lhe asseguram abrigo remunerado pela prática de continuados desaforos, se atreve a desafiar um dos bens mais perenes da sociedade humana, a solidariedade – Tatcher afirmava que sociedade não existia, mas apenas indivíduos e família. Para a ensaísta, nem sociedade, nem família. Bem penteada, massajada e vestida, anda por aí a monte.

Comments

  1. Luís says:

    Não vale a pena fazer uma análise muito profunda à “ensaísta” para a classificar como ser humano – é uma “má pessoa” e está tudo dito.

    • Carlos Fonseca says:

      Gosto de chamar os bois pelos nomes e de os identificar. Talvez um defeito de minúcia, proporcional ao ‘pó’ que lhe tenho.

  2. joao riqueto says:

    Concordo, sim senhor. Mas, nos anos noventa,aconteceu nos EUA um fenómeno económico, que está por explicar e que pode ter sido a causa primeira. Bill Clinton herdou um dos maiores deficit da história americana e em oito anos inverteu a situação de tal modo que, quando sai, entrega a George Bush um superavit de mais de 200 mil milhões de dólares. Milagre? Nem Dom Dinis, que foi o governante mais competentes de quantos já houveram, e ainda por cima era casado com uma Rainha Santa.

    • Carlos Fonseca says:

      A época de Clinton marcou um período das maiores euforias económicas dos EUA e no mundo; todavia, as raízes do mal começaram exactamente aí com o entusiasmo bolsista e as políticas do Greenspan que, já em plena crise e fora do FED, veio assumir culpas pelo excesso de desregulação e falta de controlo na mistura entre bancos comerciais, de investimento e hipotecas,
      Criou-se, nessa período, um ‘superavit’, mas o alucinado Bush filho com a Guerra do Iraque, do Afeganistão e ainda uma maior permissividade (subprime) fez o mundo caminhar rapidamente para a crise.
      A história desde Clinton ainda está por fazer, mas existem já algumas publicações interessantes, parte das quais de Joseph Stiglitz que, por um certo período, foi conselheiro de Clinton e vice-presidente do Banco Mundial. E não tão simpáticas como se possa imaginar com o amigo Bill.

    • Maquiavel says:

      Por acaso até foi simples: houve a explosäo das empresas “.com”, cujos valores de venda eram insufladíssimos de cada vez que trocavam de mäos, acompanhado pela desregulaçäo das operaçöes bolsistas/financeiras.
      Eu também pensava que essa “explosäo cibernética” seria um fenómeno menor no total da economia dos EUA, mas o meu Catedrático de Macroeconomia (estadunidense) tratou de mo explicar. Só que…
      Esse inusitado aumento do valor acrescentado foi convenientemente taxado, o que possibilitou os “tais” superavites orçamentais. Quando o George WC Bush chegou ao poder, por opçäo ideológica decidiu reduzir os impostos, especialmente aos mais ricos.
      Ah, mas a bolha cibernética rebentou? Pois, mas seguiu-se a bolha imobiliária e financeira, cujo valor eclipsou o daquela anterior! E como os esses valores acrescentados eram quase livres de impostos, mesmo sem as guerras, os EUA teriam sempre défices orçamentais sob Bush II.

  3. Orvalho says:

    Se actualmente os Bancos não emprestam dinheiro e continuam a guerrear-se por depósitos que remuneram cada vez mais, se cada vez têm mais crédito em atraso, se os seus gestores continuam com ordenados pornográficos … os Bancos vivem de quê? Da espiral de depósitos até à salvação estatal?

    • Maquiavel says:

      Basicamente, sim. Mais analiticamente
      os Bancos vivem da espiral de criaçäo de valor virtual a partir de depósitos (por cada 1€ depositados aparecem magicamente nos activos até mais 0,9€ por cada crédito concedido) até à salvação estatal…


  4. Lamento discordar mas a crise teve origem nos roubos que muita gente anda a fazer inclusive os bancos privados que continuam a ter lucros á custa do dinheiro que os estado lhes dá para depois emprestarem ao estado arrecadando na diferença dos juros á custa de todos os portugueses, se são privados então que sejam.
    A troka ou o truco são um embuste que todos estamos a sofrer e este governo e os que o antecederam criaram o ambiente para que tudo acontecesse como se o país devesse ao exterior uma grande quantia que tinha de pagar, GRANDE MENTIRA.
    E o resultado é que os governos têm feito aquilo que os ricos precisavam para colocarem o povo de cocras.
    Porque não empregam o dinheiro em investimentos diversos para criar riqueza, NÃO, dão aos bancos privados falidos para que as familias se mantenham ricos o resto do povo que se lixe.
    Gostava de ver as contas das dividas devidamente auditas.


  5. Reblogged this on Discurso do Método.

  6. nightwishpt says:

    Podia ter dito logo que era a Helena de Matos, escusava de ter carregado no link.

    • Carlos Fonseca says:

      Tenho agonia em citar, escrito ou oralmente, o nome de tão abjecta figura. Creia que não foi por medo, mas por repugnância, De resto, usar o epíteto ‘ensaísta’ é um gozo, uma vez que a pretensiosa criatura o escolheu para se projectar nesta sociedade de medíocres Helena, Camilo, Relvas e de mais um batalhão deles que por aí andam a gozar com a pobreza e a miséria dos outros-


  7. HÁ MAIS DE 30 ANOS QUE ANDO A DENUNCIAR A CORRUPÇÃO
    NA BANCA , QUE JÁ VEM DESDE HÁ MUITOS MAIS ANOS .
    A CORRUPÇÃO NA BANCA NÃO TEM SÓ A VER COM BANQUEI-ROS , MAS TAMBÉM COM MEROS FUNCIONÁRIOS BANCÁRIOS .
    TODOS QUEREM SÓ COMER , CADA UM Á SUA ESCALA .
    TUDO ISTO VENHO DENUNCIANDO HÁ MUITO TEMPO NO BAN-
    CO DE PORTUGAL , NAS AUTORIDADES POLICIAIS E NOS TRI-BUNAIS . NINGUÉM LIGOU SOBRETUDO OS MAGISTRADOS ,
    QUE QUANTO A MIM CONTINUAM A NÃO LIGAR . SÓ NUM CASO
    OU NOUTRO É QUE ELES TOMAM MEDIDAS . VEJA-SE O CASO
    DO BPN . SÓ UM É QUE FOI PRESO , ISTO PARA NÃO FALAR NOS CASOS DOUTROS BANCOS .
    A CORRUPÇÃO , SEM LIMITES , ALTAMENTE GANANCIOSA DA BANCA , CADA VEZ ME LEVA A CRER QUE BANCA , JUSTIÇA E POLÍTICA ESTÃO COMPLETAMENTE FEITOS UNS COM OS OUTROS , PARA NÃO DIZER QUE TENHO A CERTEZA ..
    CITO , APENAS A TÍTULO DE EXEMPLO , QUE QUEM QUISER
    MOVER UMA ACÇÃO CONTRA UM BANCO , COM APOIO JUDICI-
    ÁRIO , NÃO CONSEGUE APROVAÇÃO , APESAR DE SER CON-TRA A LEI.OU DIFICILMENTE CONSEGUE . .
    TENHO PROVAS E CONTINUO A LUTAR CONTRA TODA ESSA GENTE , DE QUE TENHO SIDO VÍTIMA , DE TAL MANEIRA QUE ME DEIXARAM NA MISÉRIA . .


  8. A CORRUPÇÃO BANCÁRIA FOI A A PRINCIPAL CAUSADORA DA DESGRAÇA DESTE PAÍS .

    • João Paz says:

      “A corrupção Bancária foi a principal causadora da desgraça deste país” Se disser que foi A SEGUNDA MAIOR CAUSA… passo a estar de acordo consigo Fernando Cardoso porque, a meu ver, a primeira foi o encerramento de (quase) todas as grandes empresas e actividades que faziam concorrência ao directório europeu (com especial proeminência para a Alemanha) como os estraleiros navais, a Siderurgia etc etc etc e os EMPRÉSTIMOS OBRIGATÓRIOS para “completar” as “ajudas” da CEE/UE. A partir daqui foi o desastre que o REGABOFE BANCÁRIO só atrasou por algum (pouco) tempo.


      • SR JOÃO PAZ , SEM PRETENDER DISCORDAR DO SEU PONTO DE VISTA COM O QUAL TAMBÉM CONCORDO , QUE ANALISANDO BEM , NÃO DEIXA DE ESTAR IMPLÍCITO NO SEU PONTO DE VISTA , QUE O QUE ESTÁ POR DETRÁS DA DESTRUIÇÃO DESSAS EMPRESAS FORAM OS BANCOS , PARA OS QUAIS VALE TUDO , ONDE A CORRUPÃO NÃO TEM LIMITES , EM QUALQUER PARTE DO MUNDO . ISTO É TUDO UM JOGO SUJO COMBINADO DE BANCOS , OBVIAMENTE COM OUTRAS
        ORGANIZAÇÕES COMO A MAÇONARIA E MUITAS OUTRAS DO
        GÉNERO , QUE SÃO SEMPRE SECRETAS , PARA MELHOR JO-
        GAREM À VONTADE COM A VIDA DAS PESSOAS .
        VEJA AS INDECENTES DECLARAÇÕES DO EX-ADMINISTRADOR DO BCP MILLENIUM FILIPE PINHAL , UNHA COM CARNE E COMPADRE , DE JARDIM GONÇALVES , UMA DAS MAIS SINIS-
        TRAS FIGURAS DA BANCA E DO MUNDO , COM REFORMAS E REGALIAS IMORAIS , QUE JULGO AO PÉ DO QUAL , O MADDOFF É UM SANTO , APESAR DE SER OUTRO BANDIDO , COMO OS DO GOLDMAN SACHS . CUIDADO COM ESTA GENTE SÃO CAPAZES DE TUDO . ATÉ DESTRUÍREM PÁISES .
        CLARO QUE ISTO TEM MUITO MAIS QUE SE DIGA . MAS A BASE DA DESTRUIÇÃO DAS ECONOMIAS , DAS EMPRESAS E DAS PESSOAS É A BANCA , QUE TAL COMO A JUSTIÇA , TAMBÉM FAZEM O QUE QUEREM DA FORMA MAIS ARBITÁRIA , POR CAUSA DA CORRUPÇÃO .
        SÃO AUTÊNTICOS ABUSOS DE PODER , QUE COMPRAM OS POLÍTICOS QUE NÃO PRESTAM PARA NADA DAQUELES QUE
        NÃO TÊM PRINCÍPIOS .
        TODOS OS LESADOS , EMPRESAS E PESSOAS , DEVIAM CRIAR
        UM MOVIMENTO ANTI-CORRUPÇÃO PARA JULGAR ESTA GENTE.
        TERMINO COM AS MELHORES SAUDAÇÕES .


  9. TODOS OS BANCOS DEVIAM SER PROFUNDAMENTE INVESTIGADOS .


  10. ARECAPITALIZAÇÃO DA BANCA FOI MAIS UM PASSO PARA A
    DESGRAÇA DESTE PAÍS . SÓ SERVIU PARA DAREM MAIS GOLPADAS . EM BREVE VEREMOS O RESULTADO .


  11. MUITAS PESSOAS NÃO SONHAM O QUE É PEDIR CRÉDITO À BANCA , MESMO QUE SEJA UM BOM PROJECTO , COM GARANTIAS REAIS . SE NÃO HOUVEREM LUVAS É DIFÍCIL CONSEGUIR UM EMPRÉSTIMO .


  12. NÃO SE PERCEBE COMO FORAM RECAPITALIZAR UM BANCO COMO O BANIF .


  13. DEVIA EXISTIR UMA ASSOCIAÇÃO OU ORGANISMO QUE DEFEN
    DESSE TODOS OS QUE FORAM VÍTIMAS DA BANCA , NAS MAIS DIVERSAS ÁREAS . MUITAS EMPRESAS E PESSOAS FICARAM NA MISÉRIA POR CAUSA DA BANCA , DOS BANQUEIROS E BANCÁRIOS .


  14. NIGUÉM TEM CORAGEM DE DENUNCIAR TODAS AS ATROCIDADES QUE A BANCA COMETEU , COMO UMA AUTÊNTICA ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA , COM FACHADA DE
    SÉRIA . OS PODRES NA BANCA SÃO AOS MILHARES E HORRIPILANTES .. TODA A GENTE SABE ISTO .


  15. NÃO SE ESQUEÇAM DE APOIAR CADA VEZ MAIS A BANCA PARA
    FICARMOS CADA VEZ MAIS POBRES .


  16. MUITAS EMPRESAS FORAM E CONTINUAM A SER LESADAS POR
    CAUSA DOS NEGÓCIOS ESCUROS DA BANCA .


  17. EM BREVE VAMOS TER OUTRO ESCÃNDALO COM O BANIF , QUE
    JÁ DEVIA TER DENUNCIADO ANTES DA FRADULENTA E DUVIDOSA RECAPITALIZAÇÃO , DO QUAL FUI E CONTINUO A SER LESADO EM MILHARES DE CONTOS PARA HOJE ESTAR
    NA MISÉRIA .

Trackbacks


  1. […] O artigo do Carlos Fonseca continua no Aventar. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.