‘Swaps’ – abordagens teóricas (IV)

– continuado de ‘Swaps’ – abordagens teóricas (III) –

‘Swaps’ de Moeda

FX (moeda estrangeira, abreviatura em inglês) representa o câmbio em moeda estrangeira, e os ‘swaps’ em moeda são algumas vezes designados ‘FX swaps’. Os ‘swaps’ em moeda são permutas de obrigações de pagar fluxos de caixa (cash-flows) numa moeda para obrigações a pagar noutra moeda.

‘Swaps’ de moeda surgem como um instrumento natural para cobertura do risco no comércio internacional. Por exemplo, suponha que uma empresa dos EUA vende uma ampla variedade de produtos da sua linha no mercado alemão. Todos os anos, a empresa pode contar em receber receitas da Alemanha na moeda alemã, ‘Deutschemarks’ ou DM em versão abreviada. As taxas de câmbio flutuam, isto submete a empresa a riscos consideráveis.

Se a empresa produz os seus produtos nos EUA e os exporta para a Alemanha, então a firma tem de pagar aos seus trabalhadores e fornecedores em US $ (dólares). Mas, está a receber algumas das receitas em DM (marcos alemães). A taxa de câmbio entre o US $ e o DM altera-se permanentemente. Se o DM aumenta de valor, as receitas recebidas da Alemanha têm um valor maior em US $, mas se o DM cai tais receitas descem.

Suponha-se que a firma pode contar em vender 100 milhões de DM de mercadorias anualmente para a Alemanha. Se a taxa de câmbio é de 2 DM para cada US $, então a firma recebe US $ 50 milhões. Mas, se a taxa de câmbio foi aumentada de um DM para  cada US $, a empresa pode receber somente US$ 33,333 milhões pelos seus 100 milhões de DM. Naturalmente, a empresa gostaria de se proteger a si própria contra estas oscilações de moeda.

Para fazer isso pode optar por uma operação ‘swap’ de moeda. Aprenderemos mais acerca exactamente das condições que um tal ‘swap’ pode ser, mas, por agora, podemos assumir que o ‘swap’ é por cinco anos para um valor fixo de 100 milhões de DM para US $ 50 milhões em cada ano. Agora, sem interessar o que sucede com a taxa de câmbio entre DM e US $ ao longo dos cinco anos, contanto que a firma faz 100 milhões de DM em cada ano das vendas dos seus produtos, será permutado este valor por US $ 50 milhões anualmente.

 Nós não abordamos a questão de como o mercado define preços para ‘swaps’, seja de taxas de juro de ‘swaps’ ou ‘swaps’ de moeda. Com os exemplos de fixo para flutuante e o ‘swap’ de moeda, acabamos de citar algumas condições. Não vamos entrar em grandes detalhes exactamente como é feito, mas podemos salientar os pontos mais importantes.

‘Swaps’, como derivados e futuros, são essencialmente transacções de soma-zero, o que significa dizer que, em ambos os casos, o mercado define os preços a um nível justo, e nenhuma das partes tem qualquer ganho substancial ou perda no momento em que o negócio é assegurado. Por exemplo no ‘swap’ de moeda, a taxa de ‘swap’ é alguma média das expectativas do mercado de quais será a taxa de câmbio a vigorar durante a vida do ‘swap’. No ‘swap’ de taxas de juro, as taxas são estabelecidas como justas para as flutuantes e fixas as taxas para o credor, tendo em conta a credibilidade de ambas as partes. Podemos na verdade estabelecer os preços de ‘swaps’ justamente, uma vez que saibamos como estabelecer preços

– continuação em   ‘Swaps’ – abordagens teóricas (V) –

Trackbacks

  1. […] continuado de ‘Swaps’ – abordagens teóricas(IV) […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.