O regresso dos vómitos do Lemos

Valter Lemos escreveu na Gazeta do Interior sobre a greve dos professores. Queixa-se do que aconteceu em 2005:

A razão dessa greve foi o protesto contra a decisão do governo sobre a “ocupação plena dos tempos escolares”, que ficou conhecida como as “aulas de substituição”.

Considerando essa reivindicação irrelevante (e só por si até seria, com a curiosidade de apenas afectar os professores com mais de 50 anos de idade, para além de ser uma barbaridade pedagógica que até Nuno Crato quase deixou cair).

No Público de hoje pode ler-se isto:

greve professores 2005

A mentira em Valter Lemos é algo de compulsivo. E tudo isto para concluir que esta greve, em resposta ao que ele e Maria de Lurdes Rodrigues iniciaram exactamente com os mesmos objectivos privatizadores, “só peca por defeito”.

Compulsivo e doentio.

Comments

  1. Não sou professor , mas apoio os professores que devem
    lutar pelos seus direitos .
    Força e coragem

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.