Dia da Mãe

Almada Negreiros, maternidade, 1935

(Almada Negreiros, Maternidade, 1935)

Carregam na barriga, mas é no coração que os ou nos guardam.

São chatas. Impõem regras. Obrigam a fazer, mas fazem também.

Lavam, limpam, varrem. Os lixos e o que nos vai na alma.

Correm para a frente para dar o exemplo, e levam os filhos atrás.

Contam histórias dos livros, outras constroem-nas, por analogia, para o que é amargo de dizer. 

Controlam, mas fingem nada saber quando, em torrente, os filhos despejam o que os atormentam.

Ser mãe é ter a profissão mais completa e complexa que existe.

E as nossas são sempre as melhores.

O que seriam os nossos mundos sem elas?

O que seriam os mundos dos nossos filhos sem nós?

Um feliz dia a todas as mães e a todos os filhos que sabem sê-lo.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: