Radicais para todos os gostos

RadicaisFotomontagem@Uma Página Numa Rede Social

No Domingo abateram-se os corruptos gregos. Na Segunda o sistema salivou como se não houvesse amanhã. Hoje, Terça-feira, coisas extraordinárias acontecem. O PSI-20 abriu a sessão em queda. Culpa do Syriza? Nada disso, culpa dos radicais que geriram e destruíram a PT e do BPI, que foi hoje alvo de “corte de rating” por parte do BBVA. Culpa do Syriza? Nada disso, culpa dos “fracos rácios” de eficiência na operação do banco e do “modelo de negócio desequilibrado em Angola. Aguenta Ulrich, ninguém te mandou fazer negócios com radicais.

Outra: Espanha foi aos mercados buscar financiamento. Taxa de juro? Perto de 0%. Ai a ameaça do Podemos que não dá descanso aos pobres espanhóis. Sorte a deles poderem contar com o PP de Rajoy e Barcenas, malta muito moderada mas bastante radical no que toca a aldrabar as contas do partido.

Mas o grande destaque do dia para este vosso amigo plebeu é mesmo a oferta de David Cameron a Alexis Tsipras, esse radical fundamentalista extremista isolado: o primeiro-ministro britânico, revela-nos hoje o The Guardian (via Jornal de Negócios), ter-se-à colocado à disposição do governo de Tsipras para a transferência de know-how relativo ao modelo inglês de cobrança de impostos, nomeadamente no que diz respeito a fazer com que os mais ricos paguem mais impostos. Um radical portanto. Senhor Cameron, quando terminar em Atenas, passe por Lisboa que esse tipo de radicalismos vinham mesmo a calhar.

Entretanto, no pasto do bloco central à beira-mar plantado, outros radicais vão depenando o nosso país e dizendo-nos que está tudo bem. É ver os anéis serem vendidos, a função pública ser “requalificada”, a dívida e os impostos a aumentar, os hospitais sem capacidade de resposta a delegar no privado, a emigração e levar-nos jovens qualificados e o desemprego que já nem com o esquema dos estágios profissionais consegue ser disfarçado. Para quem andou a dizer coisas destas, convenhamos que os pseudo-sociais-democratas são malta dada a algum radicalismo. E aldrabice claro.

Radicalismos? É o que mais há por aí…

Comments

  1. joao lopes says:

    engraçado,é o nosso PM ser incapaz de pronunciar o nome do Syriza,dizendo:”o partido que ganhou na Grecia é um conto de crianças”.senhor PM de portugal,porque não se cala? p.s-sem duvida que o Pablo iglesias é apreciador da canção de Leonard Cohen,aquela em que o cohen conquista o mundo,com a sua inteligencia e talento(qualidades que os nossos politicos não tem)


    • contos de crianças anda esse indivíduo desonesto a contar desde que aldrabou os portugueses na campanha para as anteriores legislativas. não sei se o Pablo Iglesias será um dia um bom dirigente mas à beira dele, Passos Coelho é uma pura e simples nulidade.


      • Há uma diferença (considerável) entre alguém ser engenhosamente manipulado e o querer ser enganado por qualquer tecnocrata que apareça… há que admitir que a cultura cívica e política da maioria dos eleitores é fraca ou mesmo inexistente. Mas claro que nenhum partido tem interesse em chamar a atenção dos cidadãos para tal facto (muito menos em corrigir a situação), afinal de contas, quanto menos sabem e menos se empenham menos exigem aos seus excelsos representantes.

        Em ano de eleições tais realidades tornam-se não só inconvenientes para o regime (uma hidra de muitas cabeças partidárias) para passarem a ser tabu.


  2. Passos Coelho e o seu governo e mais o PR são mais do género radicais livres.


  3. Quando saírem do governo, vai ser uma correria para a gestão de empresas privadas, tal será a oferta!

  4. lisboa says:

    ó DEUS leva esta quadrilha de malfeitores para o inferno.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.