Bloco contra coligação de interesses em Angola

SONY DSC

O Bloco apresentou hoje na Assembleia da República uma proposta para solicitar às autoridades judiciais angolanas a libertação e anulação do julgamento do jornalista Rafael Marques. Uma proposta corajosa que dignifica qualquer democracia  e que toca na questão central do Charlie Hebdo. Liberdade de expressão, lembram-se? Apenas o Bloco e 5 deputados do PS (Isabel Santos, Eduardo Cabrita, Bravo Nico, Carlos Enes e António Cardoso) votaram a favor. PS, PSD, CDS, PCP e Verdes votaram todos contra. Tenho a certeza que a esmagadora maioria de militantes e simpatizantes do PCP e PS reprovam e não compreendem a posição do respectivo partido.

70 anos depois da libertação de Auschwitz, 50 anos depois da marcha entre Selma e Montegomery, depois de décadas de combate a ditaduras criminosas, a governos corruptos e a quem com eles compactuou, eis que em 2015 a cobardia, o lambe-botismo e os interesses económicos mais sujos disseram presente com toda a força na Assembleia da República. Uma vergonha. Hoje as águas ficaram bem separadas no parlamento.

Comments

  1. Absolutamente de acordo. O mais curioso é o PCP apoiar o MPLA quando este há muito está na Internacional socialista.

  2. Nascimento says:

    Uma vergonha. É por estas ” pequenas” contradições, que o meu voto, em eleições gerais, não vai o partido do “nosso povo”….e, muito menos para as “melancias”, que nunca foram a escurtinio eleitoral.

  3. fontedora says:

    “O Bloco apresentou hoje na Assembleia da República uma proposta para solicitar às autoridades judiciais angolanas a libertação e anulação do julgamento do jornalista Rafael Marques.”
    Ora, em 1º lugar, o homem não está preso, consequentemente o pedido de libertação não faz qualquer sentido.
    Em 2º lugar, eu pergunto: é legítimo impedir, amordaçando as vitimas dessas denúncias ou calúnias, negando-lhes o direito de recorrerem aos tribunais? Penso que Rafael Marques estará bem seguro das denúncias que fez e que será uma excelente oportunidade para as provar. Ainda por cima, está bem protegido por uma máquina de propaganda, pronta para o defender em quaisquer circunstâncias.

    • Nascimento says:

      Um grande amigo meu,trabalhou e trabalha ainda no sector da restauração,uma vez num encontro casual na FNAC /Almada, só me dise isto :- antes quero comer pão com manteiga…-. Pirei-me porque aquilo é demais, pró meu estomago!Ele, ganhava muitissimo bem, e tinha muitos ” conhecimentos”, mas… Aquilo é 20/ 24…sabe o que é ? não? 20kg de bagagem, e 24horas para te pores a andar, se cais em desgraça com a numenclatura. Nos vinhos, por exemplo? uI, É SÓ RIR. Está tudo pelos cabelos , para conseguir receber o guito !! não untas as mãos ao General/MPLA, NÃO HÁ DESCARGA PRA NINGUÊM! E fico por aqui….
      E é verdade, Rafael Marques tem uma ganda máquina de propaganda, talvez seja por isso que ainda está VIVO mas, o que denuncia ,toda a gente sabe ser verdadeiro.

      • fontedora says:

        Nascimento, sei muito bem o que é 24/20. Eu trabalhei lá na formação de professores 6 anos, não ganhava nenhuma fortuna e nunca tive problema algum. Agora cai dizer: Ai e tal, porque também entrou no esquema…
        É preciso não esquecer que Rafael Marques não era ninguém, antes de começar a trabalhar para George Soros. Informe-se.

    • joão lopes says:

      vá viver para angola e logo vê se o rafael marques está ou não preso.de qualquer forma o rafael marques fala de milhares de angolanos que estão realmente presos por exemplo no nordeste de angola pelas empresas de extração de minerios(e há muitas formas de “prender” as pessoas).por outro lado o rafael marques não precisava de sêr um jornalista anti-mpla.podia sêr mais um burguês a viver à pala do eduardo dos santos.por isso o maka angola incomoda muita gente…já agora parabens para a “tinta da china”

  4. Pedro says:

    Algures já tinha referido o que fontedora expõe: como se pode pedir a libertação de alguém que não está preso? É absurdo. Adiante. O jornalista Rafael Marques foi processado por indivíduos que acharam que o seu bom nome foi ultrajado. Concordemos com as acusações ou não, estão no seu direito. Então, o mais sensato a fazer, neste momento, não será esperar pela deliberação do tribunal? Se este agir de forma isenta e houver realmente fundamento para as acusações de Marques pode muito bem acontecer que acabem por ser os tais indivíduos a serem acusados. Aguardemos…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.