Rating eleitoral: lixo

Passos

A organização terrorista financeira Fitch anunciou ontem a manutenção da classificação da dívida pública da portuguesa em BB+ (“lixo”), reiterando assim as avaliações de Abril e Outubro passadas. A agência norte-americana aponta baterias ao Tribunal Constitucional, ao desaceleramento da consolidação orçamental e ao incumprimento das metas do défice a que o governo se propôs. Por muito que insista no milagre económico português, invisível para o português comum que continua a emigrar, a não encontrar emprego e a suportar uma carga fiscal brutal, o governo não consegue obter a benção das instituições que tanto venera e estima, apesar da clara articulação com as mesmas.

Passos Coelho, de visita ao Japão, não demorou a reagir, afirmando que tal decisão se deve ao facto de as agências financeiras aguardarem o desfecho das Legislativas deste Outono. O primeiro-ministro insistiu na ideia de que estas entidades pretendem aferir se o caminho prosseguido até aqui terá seguimento: “acho muito natural que, após as eleições, haja uma melhoria que é compatível com o caminho e os resultados que temos vindo a evidenciar“.

Ora para quem um dia afirmou “que se lixem as eleições“, Passos Coelho demonstra uma vez mais que a campanha eleitoral se encontra já em curso, e procura com estas declarações colocar uma pressão adicional no eleitorado português, num tom subtil de ameaça, para que se mantenha quieto e sereno, sem enveredar por “aventuras” alternativas como começa a acontecer um pouco por toda a Europa. Ou seguimos o “inevitável” caminho da austeridade, ou nunca sairemos do contentor. É preciso continuar a ajustar, a privatizar e a subtrair funções ao estado social. O “ímpeto reformista” não pode esmorecer. Tal como a chantagem.

Entretanto, nesse estranho país chamado Islândia, coisas incríveis continuam a acontecer. Contos para crianças?

Comments


  1. Desconfio muito desses Ratings e das agências que os fazem. De qualquer forma, este governo pôs-se a jeito com as políticas incompetentes e ruinosas que tem vindo a pôr em prática. O meu país não é lixo e o portugueses não são lixo. Vivemos é num país lixado, onde o povo é quem se lixa por culpa de um governo de lixo que vive num luxo lixado.

Trackbacks


  1. […] O regime lá arranjou uma agência que tirou o rating do balde e nos informou que sem bloco central não existe estabilidade. No mundo real, o rating – da dívida e do governo – mantêm-se no lixo. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.