Cortamos o que escolhemos cortar

Os cofres estão cheios mas preparam-se novos cortes em pensões.

Comments

  1. Ana A. says:

    O Salazar deve estar a rebolar-se de riso na tumba…”Demo… quê”?! Ora, meninos tenham juízo, e vão lá votar na mesmice de sempre, e finjam que é o povo quem mais ordena!


  2. E no entanto a oposição continua a não convencer…


    • Se se refere ao PS, a oposição acaba por ser mais do mesmo, daí não descolar…


      • A referência é mesmo a todos. Se é verdade que PS é mais do mesmo também é igualmente verdade que o BE está desejoso de ser o parceiro júnior numa coligação. Como penso que já comentei noutro post, é a fome com a vontade de comer.

        Nota: o não descolar tem que se lhe diga… nenhum partido “descolou”. A falta de dinamismo e autenticidade de todas (sublinho: todas) as campanhas é notória.


        • Não pode acusar o PCP de falta de autenticidade. Se há partido que não engana ninguém no sentido de se saber, à priori, com o que se conta, esse partido é o PCP. Eu atenção que não milito nem tenho qualquer ligação ao partido. Mas considero-o o único partido ideologicamente honesto neste país.


          • Será talvez um partido (algo mais) coerente mas dizer que há grande autenticidade e dinamismo seria um exagero. A prova disso está na sua incapacidade de produzir qualquer mensagem apelativa aos “não crentes” (como todos os outros).

            Apesar de os comentadores/agentes políticos tentarem motivar as pessoas para mais uma ronda do concurso de popularidade o desinteresse, quando não mesmo asco, do cidadão médio face ao regime começa a ser algo palpável.


      • O ps não é oposição, é coligação na união nacional fascista ps psd cds.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.