Esta gente nem um corno vale

O engraçado dos discursos moralistas entre a classe política é que, mais cedo ou mais tarde, caem na inevitável contradição.

Um tal Mauro Xavier deu a cara pelo PSD contra uma suposta utilização de recursos públicos por parte do PS na última estupidez socialista dos cartazes.

Mauro Xavier declarou-se “revoltado com a utilização de funcionários da junta para a campanha eleitoral do PS” e considerou que tal utilização “não é normal quando é paga por dinheiro público”. [P]

Obviamente que eu condeno a utilização do dinheiro público para fins de propaganda partidária. E Mauro Xavier, o que pensará ele da mesma descarada situação que anteriormente o seu partido levou a cabo?

Ministra da Justiça admite que pedido verificação de medidas idênticas às do PS foi “erro” [P]

Ministério da Economia admite pedido “indevido” de informações sobre programa do PS [RR]

Neste caso, Mauro Xavier também se sente revoltado ou, por ser o seu partido, já não há problema? E sobre um secretário de estado, de uns tais assuntos europeus, usar o tempo e os meios do seu emprego para fins de propaganda económica, o que terá Mauro Xavier a dizer? E o que terá a acrescentar a restante direitola tão entusiasmada na defesa do feio Maçães, pim!, mas caladinha sobre os seus terem sido apanhados a usar os meios de dois ministérios para fins partidários?

macaes

Mas continuem com o discurso de moralismos caseiros que, ao menos, sempre dá para um post.

Trackbacks

  1. […] fala em 21 e 22 anos) e que paga ao secretário de estado Bruno Maçães, que já se percebeu que não passa sem o Twitter. É público que as estruturas dos ministérios foram usadas para luta partidária, com direito a […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.