Dedicado a todos os emigrantes lesados pelos terroristas do BES

Não que sejam os únicos merecedores desta dedicatória, mas Agosto é o mês deles e custa-me vê-los abdicar de um dia que seja das suas merecidas e sempre curtas férias para terem que ir para a rua reivindicar o que é seu mas que um bando de trafulhas lhes roubou, sem que nada de relevante lhes tenha acontecido. Infelizmente vivemos num país em que o trafulha, em particular o trafulha da elite banqueira, tende a estar acima da lei. Afinal de contas, com tanto político que comprou pelo caminho, se um destes tipos cai, a probabilidade de caírem uns quantos engravatados parlamentares dispara. 

É triste que estas pessoas, muitas das quais deixaram o país por não terem alternativa, sejam sujeitas a este tipo de gatunagem. Trabalham, em muitos casos, em profissões duras e fisicamente exigentes, longe da sua terra que não tinha espaço para eles, e mesmo assim insistem em ajudá-la, investindo as suas economias na nossa banca para que um dia, quem sabe, possam regressar a Portugal para envelhecer com a folga que nunca tiveram enquanto jovens e adultos. Que frustração a destas pessoas ao perceberem que foram enganadas por estes trastes da Comporta.

Mas não foram só os trastes da Comporta que enganaram estas pessoas. No Palácio de Belém mora um impostor que mentiu ao país e que contribuiu para o assalto às economias destas pessoas. Um impostor que garantiu ao país que estava tudo bem com o BES. Um impostor que apesar dessas declarações, que podem encontrar no vídeo em cima, teve a distinta lata de afirmar que nunca tinha feito declarações sobre o BES, com a mesma cara de pau com que afirmou que não sabia se a sua reforma milionária chegaria para pagar as contas que não tem. Eu até lhes sugeria manifestarem-se também à porta da residência do presidente da Aldeia da Coelha, a tal que resultou de uma permuta mal explicada com um desses seus amigos do BPN, onde de resto é vizinho de alguns terroristas bancários que em tempos integravam governos seus. Mas não vale a pena, já perderam tempo demais com trafulhas e impostores e as férias não duram para sempre.

Comments

  1. Joao Jose Tavares Capelo says:

    As palavras infelizmente são levadas pelo vento e o super juiz está caladinho ,enganar o povo não e crime especialmente por um pR.?!M

  2. Ausente52 says:

    Carlos Alexandre que eu reputava de juiz isento e não influenciável, perdeu para mim toda a isenção.
    Deixar no conforto do lar um Ricardo Salgado e um Armando Vara cujas falcatruas cometidas ascendem a milhões de euros – dando a Portugal uma péssima imagem – e mantendo preso (preventivamente) há mais de um ano em Évora um inspector da PJ acusado de vários crimes ligados ao negócio do ouro, pergunto: uns são presos e outros ficam á solta?
    Creio que os euros arrecadados – se se confirmar – pelo Inspector comparados com os milhões da dupla Salgado/Vara, são meras cascas de amendoins.
    Porra para a justiça em Portugal.


  3. O que me ressalta do drama destes enganados são: Querem que eu pague as trafulhices que a seita do BES cometeu, mas eles andam por aí, estão vivos, sabe-se quem são e têm bens para que os tribunais lhes possam chegar; eu nunca investi no BES, não tinha conta, nem me deixei seduzir por juros “chorudos” ou não chorudos., de modo que puxarem-me para contribuir para o andor é gozarem com a minha cara.
    Segundo os enganados, provavelmente mal informados, continuam a ser manipulados, carne para canhão numa vergonhosa campanha que como é obvio, não visa repor a justiça(essa faz-se nos tribunais), mas sim usarem os tolos na campanha politica. Eles podem ter interesse legitimo na campanha de dizer mal do governo, mas aqui são os patos, mais uma vez, e que serão descartados até 4 Outubro; perante tanta ingenuidade, até me apetece lembrar que os eleitores nem sempre são vitimas, por vezes são é cumplices e como tal ou abrem os olhos ou, merecem o que estes mentirosos politicos lhes fazem.Boas férias totós!!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.