Vítor Gaspar informa: meta do défice para 2015 não será cumprida

Gaspar

Em Agosto, o governo garantia aos portugueses que o défice de 2015 ficaria abaixo dos 3%, sem necessidade de recorrer a medidas adicionais.

No início de Setembro, a UTAO revelava que o défice no primeiro semestre, ajustado de medidas extraordinárias, rondaria os 4,7% e que para conseguir atingir a meta dada como garantida pelo governo seria necessário que o valor do défice não ultrapassasse 1% durante o segundo semestre de 2015.

Passos não desarmava e, no calor do combate eleitoral, chegaria mesmo a afirmar que o atingimento da meta dos 3% era “uma questão de honra“. Os amigos do Banco de Portugal ainda tentaram vir ontem em socorro do cacique mas Vítor Gaspar, directamente do quartel-general do FMI e de folha de Excel em punho, colocou um ponto final na encenação e apresentou a revisão em alta do Fundo para os números do défice: 3,2%, meio ponto percentual acima da previsão utópica feita para iludir gado ovino em período pré-eleitoral e, ainda assim, uma previsão muito optimista e simpática para um valor que actualmente se aproxima mais do dobro do valor anunciado pela propaganda governamental.

Mais um embuste deste governo, mais uma meta que não será cumprida. Resta saber que desculpa irão os Pàf’s usar desta vez para encobrir o logro.

Comments

  1. l.rodrigues says:

    Ah, mas a oposição não pode dizer nada porque com a oposição o déficit seria muito maior. Ailás, a oposição gosta de déficits.

    • Nightwish says:

      Para a oposição, e para a economia, o défice é irrelevante se se quiser ter a economia a crescer. Vai estudar, pá.

  2. Aventanias2 says:

    ” …que desculpa irão os Pàf’s usar desta vez …”
    Os gastos com o julgamento do Sócrates ?

Trackbacks


  1. […] faziam a sua parte mas a UTAO não parecia interessada em alinhar no embuste e o próprio FMI, ironicamente pela voz de Vítor Gaspar, apresentava uma previsão revista na casa dos 3,2%, poucos dias após as eleições e longe ainda […]