E recebem ajuda?

“59% dos sobre-endividados que pedem ajuda à Deco vivem com o salário mínimo”, lê-se no Público. Independentemente do assunto, sempre que me dirigi à DECO, bati sempre nesta questão: “É associado? “

Comments

  1. Guilherme Rodrigues says:

    Pois. Ou seja, a Deco usa os pedidos de ajuda (a que certamente não dá seguimento nos casos em que as pessoas não se associam) para fazer publicidade nos media!

  2. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Fui associado da DECO muitos anos e quando tive um problema e pedi ajuda, fiquei a falar sozinho. Eram muitas as dificuldades. Vão lá uns quinze anos, mas de lá para cá … “Não obrigado”.

    • Ana A. says:

      Exactamente o que me aconteceu a mim. Entretanto, agora com umas campanhas para criar grupos de pressão, para obter melhores preços junto de certos fornecedores: electricidade, grande distribuição, etc., quando nos inscrevemos no site pedem-nos o nr. de telefone. Posteriormente, a troco da entrega de um cartão para o efeito, “comem-nos a cabeça” pelo telefone, para nos tornarmos sócios. Ou seja, daqui a pouco tem que ser criado outra organização cívica para nos defender da DECO.


  3. A DECO dá um chouriço só a quem lhe der um porco.

  4. joão lopes says:

    quando recorri aos serviços da DECO ,a burocracia era de tal maneira(a não ser que fosse,la esta,socio) que rapidamente me afastei de quem supostamente me poderia defender.parecia os serviços do banco barclay que mal se assina o papel…desaparecem os sorrisos das senhoras “colaboradoras” do referido banco.

  5. Konigvs says:

    Mas por acaso a DECO é a Santa Casinha ou alguma empresa pública de defesa dos incautos? Não é nem nunca foi, contudo, ironicamente, muitas vezes faz mais trabalho social do que quem deve, que não faz a puta dum corno.
    Existe uma ASAE (uma polícia pública) que – supostamente – deveria investigar o que andamos a comer. Faz alguma coisa? Não, está mais interessada em aparecer nas feiras, munida de metralhadoras para apreender DVD piratas, isto porque ver filme copiado é muito mais grave do que poder morrer com aquilo que se come! No entanto (só um exemplo) quem mostrou que andamos a comer carne contaminada (com salmonella por exemplo) foi a DECO, isto porque quem deveria investigar e analisar o que comemos não o faz.

    Mais. Se em Portugal alguma empresa tem verdadeiramente medo, não é dos livrinhos de reclamações, que mais parecem livros de condolências, ou a simples forma dos clientes extravasarem as suas frustrações, e pensarem que algo vai acontecer, quando na prática nada acontece (e eu já escrevi no livro há anos e a senhora ANACOM nem se dignou a responder-me). Escrever no livro de reclamações é simplesmente cair em saco roto. Mas acreditem, quando se faz queixa na DECO (e eu já fui associado durante dez anos) e não sei o que é que eles fazem, mas de repente o conflito resolve-se de imediato e o prestador de serviços, de repente já nos dá tudo e mais alguma coisa.
    Mas como comecei por dizer, a DECO, não é a Santa Casinha. E se existisse um organismo público verdadeiramente interessado em defender o consumidor, associações como a DECO nem tinham razão de existir.

  6. Jaculina says:

    Quem faz publicidade agressiva e enganosa como a DECO não tem qualquer autoridade moral para reclamar nem para avaliar outras empresas ou produtos.