Diz que é uma espécie de TSU


Luis Marques Mendes em entrevista com Tania Madeira . Conversas com vida .

Foto: Paula Nunes@Diário Económico

Num momento de singular inspiração, Luís Marques Mendes teve este apontamento, digno de figurar na saudosa rúbrica “Concatena, filho, concatena“:

Este imposto sobre o património é uma espécie de TSU de António Costa.

Apesar de há muito viver rendido à perspicácia do barão do PSD, suspeito que Marques Mendes se tenha esquecido de pensar antes deste momento de profecia futurológica. É que, em 2012, a tentativa de Pedro Passos Coelho de retirar rendimentos aos trabalhadores para aliviar a pesada austeridade que pendia sobre os patrões foi, em certa medida, o início do fim político de Pedro Passos Coelho. Encheu ruas e praças por todo o país, com os números a atingir as centenas de milhares de manifestantes. Honestamente, e talvez esteja errado, ou não fosse eu um esquerdalho patego, tenho algumas reservas quanto ao efeito mobilizador de um imposto residual, cobrado a uma ínfima parte da população e cuja condição multimilionária não sei sequer beliscada, no seio da população portuguesa. 

Ainda assim, esforcei-me, dei o que tinha e o que não tinha, pedi mesmo aos céus que me inspirassem com a mesma fé que inspiraram Assunção Cristas em 2012 mas, profano que sou, continuo sem conseguir imaginar a Avenida dos Aliados ou a Praça de Espanha entupidas com milhares e milhares de portugueses a protestar contra as migalhitas que poderão vir a ser subtraídas a um universo de, na melhor das hipóteses, 44 mil indivíduos. Tentei mesmo rezar 12 pai-nossos e 47 ave-marias a São José Gomes Ferreira, na esperança de conseguir desligar o cérebro e acreditar na fábula dos 500 mil, mas, lá está, a minha fé não é irrevogável como a de um líder do CDS-PP. Nem o exemplo dos amarelitos ou dos remediados que, por estes dias, acreditam fazer parte da pequena elite com património imobiliário superior a 500 mil euros, me valeu. Estou condenado a arder no fogo do Inferno.

Participantes da manifestação "Que se lixe a troika! Queremos as nossas vidas!", que surgiu na Internet, através das redes sociais, empunham cartazes e gritam palavras de ordem contra as medidas de austeridade anunciadas pelo Governo, no Porto, 15 de setembro de 2012. Mais de 50 mil pessoas são esperadas hoje, em Lisboa, na manifestação contra as medidas de austeridade anunciadas pelo Governo, num protesto que também vai decorrer noutras 40 cidades portuguesas. PEDRO GRANADEIRO / LUSA

Comments

  1. Anónimo says:

    Os cães ladram e a caravana passa.
    Se a caravana parasse cada vez que os cães ladrassem, distraia-se, perdia o rumo, perdia tempo, perdia energia, e nunca mais chegava ao destino.
    Por isso é que os cães ladram.
    Por isso é que a caravana não liga aos cães.

    No fim de semana ouvimos os agricultores e criadores de gado do Baixo Alentejo, a queixarem-se amargamente da seca e dos custos para alimentar o gado.

    Mas ninguém perguntou ao Sr Ministro da Agricultura, “para que é que fizemos o Alqueva”?

  2. anónima says:

    GOVERNO CONCESSIONA 30 EDIFÍCIOS HISTÓRICOS E ESPERA 150 ME DE INVESTIMENTO PRIVADO
    (http://24.sapo.pt/noticias/nacional/artigo/governo-concessiona-30-edificios-historicos-e-espera-150-me-de-investimento-privado_21316035.html)

    Será que os 5 milhões por edifício (média) pedidos aos investidores privados vão depois pagar IMI? Provavelmente não porque são apenas concessões. Parece ser uma boa forma de investir em imobiliário e não pagar o IMI “especial”. Bem visto!

    “O Turismo de Portugal já tem linhas de apoio a este tipo de projetos, como a linha de Apoio à Qualificação da Oferta, lançada em 2016, que privilegia a reabilitação urbana, …”
    Este Governo é esperto: cria incentivos e linhas de apoio à reabilitação urbana para atrair os investidores privados e, depois de reabilitado o prédio, pumba … cobra IMI “especial”. Bem visto!

    • Nascimento says:

      Não tás bem vai até lá fora( França) e vê lá quanto largas em euritos…mas há mais por essa europa e sus capitais…olé!

  3. anónima says:

    GOVERNO CONCESSIONA 30 EDIFÍCIOS HISTÓRICOS E ESPERA 150 ME DE INVESTIMENTO PRIVADO
    (http://24.sapo.pt/noticias/nacional/artigo/governo-concessiona-30-edificios-historicos-e-espera-150-me-de-investimento-privado_21316035.html)

    Ainda a propósito deste anúncio (e da “a linha de Apoio à Qualificação da Oferta, lançada em 2016, que privilegia a reabilitação urbana”) queria deixar uma sugestão ao Governo: realizar uma sessão conjunta para potenciais investidores de apresentação deste projecto (1ª parte) imediatamente seguida de um debate acerca do novo imposto (2ª parte). A segunda parte podia ser moderada pela Mariana Mortágua.

    • Sugestões para o governo podem/devem ser enviadas directamente para o Palácio de São Bento ou para o Terreiro do Paço. Quanto ao Aventar, e pelo menos da parte que me toca, lamento mas não estou disponível para receber sugestões de anónimos ao serviço sabe-se lá de quem.

  4. até a dormir pensam na mariana.

    • Nascimento says:

      O putedo cobardolas assina “anónimamente”. Deve ser o putedo “Kristas” que despejou milhares com a lei das rendas.Mas é putedo para ir de joelhos a Fátima quando vier o Papa em 2017.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s