Interliga, Cristas, interliga


acpp

Assunção Cristas, em permanente campanha por todo o lado, surgiu ontem de ar grave e semblante taciturno a comentar a consolidação orçamental. Engole em seco quando afirma que “a consolidação orçamental é relevante“, imediatamente rematando com um “é preciso ver como é que é feita essa consolidação orçamental e o que vemos é uma grande degradação de serviços públicos“, apontando baterias ao estado da Saúde e da Educação.

A lata não surpreende. Apesar de ter integrado um dos governos que mais atacou o Estado Social, que desinvestiu brutalmente na Educação e que deixou os serviços de urgências do país a rebentar pelas costuras, sem que a preocupação que agora procura demonstrar estivesse presente, a líder do CDS-PP parece esquecer-se que, mesmo assim, o executivo co-liderado pelo seu antecessor falhou todas as metas do défice. Todas. E que o país pagou caro os sucessivos falhanços. Na relação com a UE como na degradação dos serviços públicos que agora parece ter descoberto.

Mas Assunção Cristas consegue ir mais longe. Quando recorre ao papão Sócrates, para afirmar que o antigo primeiro-ministro anunciou ao país um défice de 2,8%, para dois anos e meio depois nos deixar a braços com um resgate, algo de que se recorda quando lhe “falam de questões sem as interligar”, Cristas esquece-se de interligar esse resgate com a crise financeira que o precipitou. Mas esta não é a única interligação que escapa à deputada-candidata autárquica. Ou será que interligou o crescimento económico do seu governo com a destruição de direitos laborais? E as descidas do desemprego, propagandeadas pelo seu governo, será que as interligou com a engenharia política alicerçada em estágios profissionais e emigração em massa? E o embuste da saída limpa, será que o interligou com aquele Banif que estava escondido debaixo do tapete? E a demissão irrevogável, será que a interligou com a sede de poder último grande herói do seu partido? E os malabarismos no Parque Expo, será que os interligou com a pouca vergonha que grassa na política? E o Jacinto Leite Capelo Rego, será que o interligou com algum amigo ou conhecido? Interliga, Cristas, interliga. Vais ver que o que não falta por aí são questões que a malta se esquece de interligar. A senhora deputada incluída.

Foto: Lusa@RR

Comments

  1. Esta parelha mais parece uma versão dos irmãos Dalton que a rir, a rir nos vãos alegremente aos bolsos.

  2. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Assunção Cristas estava de semblante carregado porque procurou e não encontrou bilhetes à venda para o próximo espectáculo do Tony Carreira…
    O resto, é conversa da treta.

  3. joão lopes says:

    a deputada especalizou-se nos pimbas(t.carreira,cristina ferreira,etc…) com o obvio intuito de sacar votos aos velhinhos que estão em casa a vêr a tvi…e estes é que são os famosos “factos alternativos”,porque ainda faltam os factos ortodoxos,os conservadores,os pra frentex,e mais não sei quantos factos,que andam por aí a voar.

  4. martinhopm says:

    Mas o País deve-lhe muito. Não pode deixar de estar devedor, venerador e obrigado a tão excelsa e impoluta personagem. A sua actuação à frente do Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (quem muitos burros toca, não fica algum para trás?), no XIX Governo Constitucional, foi brilhante. Além de ter autorizado a disseminação da plantação de eucaliptos, como coroa de glória, aponto a alteração da designação do ‘Instituto de Meteorologia’ para ‘Instituto do Mar e da Atmosfera’. Esta a sua mais valiosa contribuição para o grande progresso económico e sobretudo social registado pelo país sob a batuta do Coelho/Portas.

  5. Depois de dar vida ao morto,é aplicada a geringonça mas esta não larga mesmo até que o quasi-morto fique de novo morto morto.depois…outros que desenterrem.que lhe deem o xarope(que será amargo de certeza),e quando estiver quase curado lá virá de novo o diabo para o afundar de novo.

  6. Atento/Sempre says:

    Para os interessados:

    O 2º colóquio destas comemorações vai realizar-se na Parede, em Cascais, na Av. dos Bombeiros Voluntários, nº 142, pelas 15 horas de sábado, dia 11 de Fevereiro.

    Contamos com a presença e participação de todos os interessados em debater e aprender com esta Revolução.

    1) Natureza de classe da revolução de Outubro
    2) A revolução e a questão agrária

    Com a presença do Jurista Arnaldo Matos

  7. Anti-pafioso says:

    Porca Miséria .

  8. Já não sei quem
    Mais grande lata tem
    O Pedro trapaceiro artista
    Ou a sonça São de crista…

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s