Angola, entre a corrupção e a mortalidade infantil


 

Comments

  1. Se isto é de esquerda ou de direita não interessa, o que interessa é saber como e porquê tudo isto é possível num país tão rico como Angola … é de partir o coração ver tanta miséria provocada pela “estupidez humana ” !!!

    • martinhopm says:

      O governo diz-de de esquerda. Sou de esquerda, desde que me conheço e não me revejo nestes governantes. O seu a seu dono. Mas não foi a Dª. Isabel começou a sua vida de empreendedora, quase na penúria, a vender ovos?!

  2. José Peralta says:

    E porque é que o Jornal de Angola não se rebela contra o New York Times ?

    Presumível e possivelmente porque, segundo o repórter americano em off “A relação E.U.A.-Angola é um verdadeiro caso de amor.”

    E revela que a assistência americana desresponsabiliza os “angolanos abastados”, na medida em que lhes subsidia o seu estilo de vida extravagante. Em vez de lhes darmos dinheiro, (sublinha o repórter) devíamos exigir responsabilidade”.

    (Por “extravagante”, poder-se-á perceber porque “certa gente” angolana, faz duas ou mais viagens mensais a Lisboa, para “frequentar” as lojas de luxo da Baixa e da Av. da Liberdade, enquanto o seu Povo, as suas crianças, morrem de doença e fome…).

    E continua o repórter : – “Não nos esqueçamos das companhias petrolíferas ocidentais. Elas também têm as mãos sujas de sangue, por facilitarem esta corrupção e, consequentemente, a morte de crianças como a Denize”.

    “A menina de onze meses acabou por morrer de malária, mesmo depois de os pais terem subornado médicos num hospital, para proporcionarem à filha, melhores cuidados de saúde”.

    Aqui há tempos, fui aqui “acusado” de “colonialista”, por ter divulgado este mesmo vídeo, (uma “mentira reaccionária”, pelos vistos…), e ter revelado uma notícia de Angola (mas não do JdeA, que é “a voz do dono” oficial, e que relatava o estado de degradação, de exaustão e penúria de tudo, (desde comprimidos, vacinas contra a malária e outra doenças, luvas, material de higiene e antisséptico, etc. etc.) em que “funcionam” os Hospitais em Luanda.

    E relatei essa notícia, com um “fac-simile” em que esse jornal revelava que no seu FB, a multimilionária isabel dos santos, fazia “um patriótico apelo” aos seus concidadãos “para doarem” alguns “meios” que suprissem as dramáticas carências de um hospital pediátrico…

    E houve “alguém” que teve a coragem (porque “parece” que em Angola, é preciso ter coragem…) de fazer um comentário no FB da d. isabel, mais ou menos assim :- “Pois ! as se houvesse uma multimilionária que se dispusesse a contribuir…”

    Mas…não liguem ! Porque “o mentiroso sou eu” !

    • martinhopm says:

      Pena um país, a explodir de riquezas, que podia e devia dar cartas ao mundo. Já não falo em relação a África. Aí devia ser um farol, um exemplo a seguir. Mas o que é que temos? Pobreza, corrupção, desigualdades. Lá como cá, embora numa escala diferente.
      Embora as multinacionais do petróleo tenham a sua quota-parte de culpa, para mim, os verdadeiros responsáveis são os governantes.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s