A capitulação do último grande catavento

Catavento2

Miguel Pinto Luz abriu as hostilidades do congresso do PSD com ataques cirúrgicos apontados aos comentadores e críticos internos do PSD onde, até há bem pouco tempo, figurava Marcelo Rebelo de Sousa, ou, nas palavras de Pedro Passos Coelho, o “protagonista catalisador de qualquer conjunto de contrapoderes ou num catavento de opiniões erráticas em função da mera mediatização gerada em torno do fenómeno político”. Segundo o líder do PSD/Lisboa, “o PSD não está na SIC às Quartas, nem na TVI às Quintas, nem na SIC aos Sábados”. Porém, depois do congresso deste fim-de-semana, parece que vai voltar a estar na TVI ao Domingo à noite.

[Read more…]

Marcelo não vai ao congresso do PSD

mas paga inscrição para ajudar o partido. Um cata-vento altruísta.

Assis, A Metralhadora Falante do PS

Tal como Miguel Relvas no PSD, Francisco Assis é das poucas metralhadoras falantes da política nacional. Prodígio de uma oralidade supersónica e vácua pró-socratina, perito na retórica política de encher socialista, a Assis não lhe foi dado compreender um aspecto que o condena a uma imensa desvantagem e a um indelével estigma no confronto com o passado governativo socratesiano, estigma esse e desvantagem essa, pelo menos parte dele e parte dela, por haver Facebook, outra parte por haver Correio da Manhã, outra por haver bloggers obstinados, outra ainda por, no fim, haver quem some dois mais dois e estranhe tanto fumo e quase nenhum fogo que consuma alguma coisa: ser do PS é, hoje, um problema monstruoso deixado, como uma bomba ao retardador, nas mãos dos remanescentes que ainda se atrevem à exposição pública. [Read more…]

A homilia laranjinha: o país é uma casa ou uma família

Os párocos da igreja laranja vivem, naturalmente, tempos felizes, inebriados pelo odor do poder. Prontos para espalhar o evangelho, espelham tudo aquilo que os bispos lhes escrevem. Alguns, tentando ser mais criativos, entusiasmam-se com a boa nova e produzem comparações,  criam  metáforas, lançam imagens. Segundo estes iluminados, o povo percebe a austeridade, o povo aceita os cortes, o povo deseja o sacrifício, o povo é sereno. [Read more…]

Uma coisa abrupta!

Então o Aventar está em destaque no Abrupto e eu soube pelo Albergue? Anda tudo distraído aqui na casa, ehehehehe!

A Minha Outra Casa e o Congresso do PSD:

Desde a passada sexta-feira que pertenço, oficialmente, ao blog Albergue Espanhol. Sem que tal signifique abandonar o Aventar. Pelo contrário. Tenho um enorme orgulho em pertencer a esta casa, de a partilhar com uma equipa de excelência e de nela ter adquirido amigos. Procuro contribuir e sei que nunca o conseguirei fazer com a mesma perfeição dos restantes aventadores.

A presença no congresso em exclusivo pelo e para o Aventar foi a forma como pretendi agradecer a vossa generosidade e provar a minha lealdade para com esta casa. Apenas a furei por uma vez num momento “okupa” que me deu especial gozo. Por isso mesmo reservei para depois do congresso a minha primeira postagem no Albergue.

O Aventar esteve neste congresso de forma justa e perfeita. A forma como este espaço se afirmou e o modo como acompanhou as eleições directas do PSD implicaria, da parte dos organizadores, a justiça de nos reconhecer como parte no e do evento. Assim o fez o partido em causa. Foi perfeita na medida em que esteve presente de forma activa, acompanhando o essencial, marcando presença destacada no jornal do congresso e tendo sido um dos blogs convidados para a conversa informal com o novo líder. Como resultados extras, tivemos um aventador que encabeçou uma lista ao Conselho Nacional e que foi eleito (o Ricardo Almeida, cujo regresso saúdo), sem esquecer o novo aventador Carlos Osório que esteve na organização do congresso e foi o promotor do encontro de bloggers com Passos Coelho.

Não posso deixar de sublinhar e acentuar a franca camaradagem e espírito de entreajuda dos blogues presentes. O 31 da Armada, o 31 da Sarrafada (as grandes estrelas do congresso), o Albergue Espanhol e o Blog de Esquerda partilharam informação, mesas, cadeiras, fotografias, fichas eléctricas e etc.

Termino como comecei, o Aventar é a minha casa e nela continuarei, com a satisfação e o orgulho de a ela pertencer. O Albergue é a minha outra casa com a satisfação e o orgulho de a ela agora, igualmente, pertencer.

É esta a boa moeda, Sr. Presidente???

A pergunta do dia no Congresso do PSD, por Pedro Santana Lopes. (foto gentilmente palmada AQUI).