Conversas Vadias 51

Na quinquagésima primeira edição das Conversas Vadias, marcaram presença os vadios António de Almeida, Fernando Moreira de Sá, João Mendes e José Mário Teixeira, que conversaram sobre irritante, irritado, Marcelo Rebelo de Sousa, António Costa, vichyssoise, chumbos, Elvira Fortunato, Fernando Medina, João Gomes Cravinho, Mariana Vieira da Silva, sociedade civil, PSD, estadistas, desafios do PSD, Pedro Duarte, Carlos Moedas, Câmara Municipal de Lisboa, Cristina Rodrigues, animais, animalistas, Chega, MRPP, morte aos traidores, emigrantes, círculo Europa, PCP, Iniciativa Liberal, BE, transferência de votos, falta de óleo, Espanha, Pacheco Pereira, José Magalhães, Nogueira de Brito, Lobo Xavier e Cavaco Silva.

No fim, as habituais sugestões:

[Read more…]

Aventar Podcast
Aventar Podcast
Conversas Vadias 51
/

Citações: Para o que der e vier temos o Lobo Xavier…

Antes da citação, a pergunta: o Douto Jurista Lobo Xavier e/ou os tais clientes a que se refere, fizeram queixa às entidades competentes? E tendo-o feito, as ditas fizeram alguma coisa? E sobre a sua Opus Dei os clientes do douto jurista nada declararam? Nestas coisas não se pode ser selectivo. Não se deve, pelo menos. Isso e se não sabe se é verdade então não acredita nos seus clientes, é isso?

Eu nunca a vi nem sei que forma ela toma, mas eu tenho clientes que me dizem que são vítimas de extorsão por serem ameaçados, fazendo isto entregando dinheiro e quantias e assumindo comportamentos, senão são perseguidos por uma rede maçónica que vai desde a política até às magistraturas”, denuncia António Lobo Xavier.

Logo de seguida, Lobo Xavier sublinha não saber “se isso é verdade”, mas diz que tem “desconfianças”.”Eu tenho desconfianças, leio livros sobre a maçonaria, conheço a história da maçonaria. Que haverá maçons existem. O problema é que eu não sei quem eles são, nem eles se declaram, tirando uma ou duas figuras em Portugal que assumem isso publicamente”, sustenta.

E agora, em que ponto ficam os inúmeros juízos de valor que foram tecidos?

“Eu não partilhei SMS com ninguém, quem conhece os meus SMS são os meus interlocutores e eu”, assegurou, dizendo que afirmações que surgiram na praça pública sobre o conteúdo destas mensagens “não é verdade”. António Domingues, ex-presidente da Caixa Geral de Depósitos

Há duas hipóteses:

  1. Ou o ministro resolveu prejudicar-se a si mesmo.
  2. Ou Lobo Xavier mentiu.
  3. Ou então, já que não há duas sem três, António Domingues está a mentir.

Aguardam-se novos episódios na novela. Especialmente, quanto à segunda comissão de inquérito sobre o caso SMS, o SMSGate

Pacheco Pereira a Lobo Xavier explicam a democracia a António Costa

O Papa abdica, o povo é que exerce censura sobre os governantes e António Costa defende o Relvas. O fim do mundo foi mesmo em Dezembro,

Sectarismo, Como de Costume

beO Bloco já nos habituou a isso.

Não é de hoje.

O Lobo que é raposa

“Espécie de nomeação em que pomos o representante das raposas a definir as regras de protecção do galinheiro”

É o que diz Ana Drago de Lobo Xavier.

PSD: "Directas" ao assunto

Tal como há muito se tinha afirmado no Aventar, Aguiar Branco junta-se a Passos Coelho na corrida à liderança do PSD. E não foi por acaso que há duas semanas se sublinhou, igualmente no Aventar, a tentativa de “onda” para um avanço de Rangel. É só lerem o arquivo e/ou andarem atentos ao blog.

Os três candidatos são muito diferentes. Embora todos partilhem algo em comum, assaz curioso, de semelhança com três diferentes figuras do CDS. Se Pedro Passos Coelho é uma espécie de Manuel Monteiro para melhor e Aguiar Branco um Lobo Xavier mais expedito, já Paulo Rangel parece querer ser o Paulo Portas do PSD. E é aqui que, salvo seja, a porca torce o rabo.

Ao contrário de outros, eu não vou relembrar o que disse Rangel durante e após as Europeias sobre uma putativa candidatura sua à liderança. Não. Prefiro um outro registo. A campanha de Rangel nas eleições Europeias foi, reconhecidamente, boa. Mas quando comparada com o cinzentismo da actual liderança. Paulo Rangel foi uma espécie de Paulo Portas pela sua irreverência e inteligência. Animou as hostes, partiu para a luta meio sozinho (quem ainda recorda os primeiros tempos de Portas no PP?) e arrastou o laranjal com muito populismo, soundbites e teve o seu momento Soares/Marinha Grande na história da papa maizena. [Read more…]