6_5373 mundos

 

O Ponto. Técnica Mista sobre tela. 120cmx80cm. BS.

 

CAPÍTULO 6
Morrer

O “argot” permanece a linguagem de uma minoria de indivíduos vivendo à margem das leis estabelecidas, das convenções, dos hábitos, do protocolo, aos quais se aplica o epíteto de vadios (”voyous”), ou seja , de videntes (“voyants”) e, mais expressivo ainda, de Filhos ou Descendentes do sol. A arte gótica é, com efeito, a art got ou cot (Xo), a arte da Luz ou do Espírito.
Fulcanelli, O Mistério das Catedrais

 

Às três horas e nove minutos da madrugada do dia vinte e três de Setembro do ano de dois mil e dez, Basilides entrou em coma profundo. O coração ainda batia, como um punho que se abre e fecha lentamente, e o Cordão de Prata estava aparentemente intacto. Mas a Alma de Basilides ordenara já o início da grande viagem que adiara durante mais de cinquenta anos.

[Read more…]

Largo di Torre Argentina, Roma, 24/7/2017

Foto: Francisco Miguel Valada (24 de Julho de 2017)

Reflexão acerca dos azulejos

Segundo  do Boston Globe, «visitors to Portugal will see tiles throughout the country». Ainda bem, porque «o azul não tem qualquer conotação clubística». Efectivamente.

Da Palestina

edf
Hoje comprei uma caixa de tâmaras maduras da Palestina.
Custou-me quatro vezes mais que as caixas de tâmaras maduras oriundas da mesma área geográfica.
Porque será?

5_5373 mundos

 

Desenho do autor

 

CAPÍTULO 5
Basilides Villanova: o nosso planeta

Ora, a alma – diz o nosso autor – está apenas parcialmente encarcerada no corpo, tal como Deus está apenas parcialmente confinado no corpo do mundo.
Carl Gustav Jung, Psicologia e Alquimia

 

-Porque trouxeste o Mocenigo?

-Foi ele que pediu para vir. Insistiu que queria falar com o Avô.

-Porque quiseste ver o Avô, Mocenigo?

[Read more…]

Yes, we can!

Of course we can.

Fotografia retirada daqui.

A morte do SNS: como desmontar um mito

Podia o SNS estar muito melhor do que está? Podia e devia. Mas está longe do caos anunciado pela direita paranóica, como bem explicou o Marco Capitão Ferreira.

Sr. Costa, e para isto, vai haver dinheiro?

Consórcio do TGV executa Estado em €192 milhões

Racismo e Iogurtes

Nunca fiando, não se esqueça de ir ao Continente e de passar pela praia do Meco.

Alguém tem visto o senhor Ministro das Finanças?

just checking.

Efectivamente, ‘selecção’ ≠ ‘seleção’

A selecção partiu. A seleção ficou.

4_5373 mundos

Desenho do autor

 

CAPÍTULO 15
Clarice

– A sua mulher lê muitos filósofos?
– Enormemente! – exclamei.
António Victorino D’Almeida, coca-cola Killer

 

Lisboa, dois de Novembro de mil setecentos e cinquenta e cinco

Querida Clarice,
espero que esta te encontre de saúde.

Houve um grande terramoto aqui em Lisboa. Uma desgraça muito grande.
A Tia está bem.
Amanhã partimos para o Freixo. Escrevo-te de lá.

Beijos,
Conde Vidraça

Arte é arte

arte_santo_tirsoSilêncio, por favor. É arte.

Frédéric Chopin: Concerto para piano No. 1 em mi menor

Ouça-se este monumento do romantismo, soberbamente interpretado por Olga Scheps.

3_5373 mundos

Rollerball pen e Tinta da China | Desenho do autor

 

CAPÍTULO 8
A Loja Malkuth

Diz-se também que estes dois planetas [Saturno e Júpiter] são os mais importantes para o destino do mundo, e em particular para o destino dos judeus.
Carl Gustav Jung, AION

 

Simon de Monfort era o nome simbólico de Simões Aboab, um judeu sefardita cuja família se radicara na cidade do Porto no início do século XV. Aboab era respeitado e temido na sua comunidade, não só devido à pistola que trazia sempre no tornozelo, mas principalmente porque se sabia que era membro destacado de uma das mais poderosas e antigas sociedades secretas portuguesas, a Loja Malkuth, pertencente a uma Obediência selvagem formada por agentes duplos dos dois principais movimentos maçónicos existentes em Portugal.

[Read more…]

O Conselho de Estado

O Conselho de Estado deveria ser transformado numa Câmara Alta, momento em que seriam definitivamente abolidas as câmaras altas informais que pululam ilegitimamente.

«Agora facto é igual a fato (de roupa)»

O resto? O resto é arena atirada para os óculos. Efectivamente.

Chorai, miseráveis!

e contemplai o Céu em adoração!

Sciences Po

“Não é possível pagar a dívida”, diz quem sabe:

2_5373 mundos

 

CAPÍTULO IV
Chove

Um dia, o xeque Khircani, que descansava sobre o próprio trono de Deus, sentiu uma grande vontade de comer uma beringela.
Farid Ud-Din Attar, A Conferência dos Pássaros

 

Do lado esquerdo do quarto, por baixo de uma grande janela, estava o leito da morte de Basilides Villanova, um homem cujas rugas do rosto, se pudessem unir-se numa só linha, chegariam para dar uma volta inteira ao mundo e traçar três vezes o labirinto de Chartres. Basilides era um velho tranquilo mas marcado por uma vida muito longa que o deixara exausto.

– Chumbei, Krebs – dizia, sorrindo ao seu filho, estendido no leito da morte. – A possibilidade de conhecer com a razão termina quando chegamos a vislumbrar o que somos. E como somos apenas espelhos do mundo, resta-nos a consolação da viagem pela espiral divina, o velho caduceu de Hermes, por esse jardim que se estende pelos céus em círculos de raio crescente e que nunca terminam. Se não ganhamos altura e amplitude, se não mudamos em nós a escala da Visão, chumbamos, Krebs. Mergulhamos na noite do Deus sob o peso do chumbo, que é o peso do mundo de Sísifo, da repetição circular e do tédio. Do labirinto. No fundo, é como se nos matássemos, meu filho. Somos condenados pelo Eterno e pelos fantasmas de Blake a viver como árvores pela infinitude dos tempos.

Krebs tremeu por dentro ao ouvir as palavras do pai. Achava-as injustas, até cruéis, ditas de si mesmo por um homem que toda a vida lutara pela justiça e pela harmonia do mundo. Mas naquele momento não tinha força nem ciência para ripostar. Não tinha sequer os setenta e dois anos que permitam ao seu pai uma tal soberania e tanta impiedade sobre o seu próprio mistério.

– Mas nem tudo está perdido, meu filho – prosseguiu o velho Basilides, acendendo um cigarro. – O Alquimista sabe que não se chega ao Ouro sem conhecer o chumbo e que a vida é o laboratório secreto onde a grande transmutação lentamente se opera. Lentamente. Muito lentamente. Mas deixemos agora isso. Que farás quanto à proposta que te fiz, meu filho?

Krebs apertou involuntariamente a frágil mão de Mocenigo, que se mantinha aparentemente distraído e silencioso, e disse a primeira coisa que lhe veio à cabeça:

– Chover, meu pai! Eu quero chover!

Filhos de Imigrantes

time_magazine_trump

Branquear o erro com um adjectivo

«“tecnologias efectivas de reconhecimento” para barrar conteúdo pirateado» – Não, todo o conteúdo será sujeito à censura prévia e ao arbítrio.

Festa da Diversidade

Um programa solidário para o fim de semana, no Cais do Sodré, em Lisboa.

1_5373 mundos

CAPÍTULO II
O Jardim

Sobre as origens de Josef Knecht não se sabe nada.
Herman Hesse, O Jogo das Contas de Vidro

 

DEUS, clemente e misericordioso, cujo Nome é Santo, não me deixa mentir. No dia vinte e dois de Setembro de mil seiscentos e dezasseis, à mesma hora em que na cidade de Estrasburgo se conhecia a primeira edição das Bodas Alquímicas de Christian Rosenkreutz, uma brisa morna e um canto de Poupa abriram o céu do Jichang Yuan, o belo jardim de Wuxi, onde há mais de quatro mil e quinhentos anos o Imperador Amarelo plantou uma árvore infinita.

Dizia-se que quem comesse o seu fruto não conheceria a morte.

Mocenigo Alba vagueou durante alguns minutos entre os lagos de nenúfares, enquanto esperava por um homem que desconhecia e com o qual marcara este encontro havia mais de cento e oitenta anos.

O Plástico

Vanilla is the new cocaine

e existem gangues a traficá-la e a matar por ela, em Madagáscar.

E quando pensas que o Sporting bateu no fundo

Mário Machado candidata-se à liderança da Juve Leo.

PS igual a PS

A chantagem do governo contra os professores

Parece que foi ontem

Mas já lá vão uns tempos.

Outra vez, Benfica?

Novas suspeitas de branqueamento de capitais e fraude fiscal, buscas domiciliárias e ao Estádio da Luz e seis novos arguidos. Deve ser a tal “cavala” de que se falava há uns dias…