Em Portugal, só jogo no Benfica

«Contrariando rumores de que irei jogar no Sporting, e apesar do respeito que tenho pelos clubes portugueses, em Portugal só jogo no Benfica».

— Fábio Coentrão

***

«A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD informa que chegou a acordo com o Real Madrid CF para a transferência do jogador Fábio Coentrão por empréstimo na época desportiva de 2017/18.».

Benfica´s midfielder Fabio Coentrao (C) runs after scoring against Porto during a Portuguese Cup football match at Dragao Stadium in Porto, northern Portugal, on February 2, 2011. FRANCISCO LEONG/AFP/Getty Images (http://bit.ly/2tKf2kv)

Efectivamente, não pode ser

The people ahead of them are shooting up to the stratosphere, and then comes the scapegoating.

Noam Chomsky

***

Amigo atento enviou-me esta primeira página, com palavra criada exclusivamente para a norma portuguesa pelo Acordo Ortográfico de 1990. É sabido, desde d’Andrade e Viana, que a ‘rutura’, além de inventada, é “injustificada”. Contudo, ei-la.

Além disso, tratando-se do presidente da direcção do Sporting, a grafia correcta é ‘ruptura’.

Exactamente.

Aliás, como é sabido, pelo menos desde que se leu aquilo que ainda há pouco escrevi («palavra criada exclusivamente para a norma portuguesa pelo Acordo Ortográfico de 1990»), no Brasil, [Read more…]

O Sporting Clube de Portugal defende Fação

slimani eslimani

© Álvaro Isidoro/Global Imagens (http://bit.ly/1Rbh3ao) & © AFP/Getty Images (http://uefa.to/22uGWJE)

O Sporting decidiu fazer «uma campanha contra a contrafação [?]», alinhando com Patríssio, Squeloto, R. Smedo, Couts, Bruno Cézar, Williams, J. Dário, Adriano S., Brian, Guterres e Eslimani. Como sabemos, há quem seja acusado de contra Fação. Contudo, o Sporting defende Fação. Exactamente: Fação.

O New York Times e a falta de perspectiva

New York Times' Quarterly Profits Falls 58 Percent

© Ramin Talaie/Getty Images (http://for.tn/1O6S6ub)

Ficámos a saber, através do Expresso, que um artigo do Expresso chegou ao New York Times (o Expresso não faculta a ligação para o artigo do New York Times, mas faculto eu). Curiosamente, há dias, li no New York Times um artigo em que se citava Bernardo Mello Franco, um colunista da Folha de S. Paulo.

Igualmente curioso é, na última semana, ter sido possível ler, na Folha de S. Paulo, «o tribunal pode examinar a lei em todos os seus aspectos», «o espaço, que inclui recepção, biblioteca», «a falta de perspectiva», «um dos motivos da ruptura» ou «em situações excepcionais” e, no Expresso, “ainda que haja aqui outro aspeto“, «a Deco “divulgou publicamente” a receção», «na perspetiva da sua pré-campanha», «a rutura com a Primavera de Praga» (efectivamente, ‘perpetiva’ e ‘rutura’ no mesmo artigo) e «em situações “excecionais». [Read more…]

Jardim vs. Bruno e a Arte de Bem-Foder

????????????????Entre o actual presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o actual treinador do Sporting, Leonardo Jardim, vai a enorme distância entre a ejaculação precoce crónica e a arte de bem foder habitual. [Read more…]

Augúrio de um Orgasmo Verde

Aposto dez tampas de cerveja em como o Sporting Clube de Portugal vai bater o Sport Lisboa e Benfica. Sente-se no ar o aroma a goleada. Ganhar por dois ao Sport Lisboa e Benfica já o seria. Jardim conhece Jesus. Conhecer Jesus representa mais de meia táctica e três quartos de estratégia. A garotada verde sabe que terá pela frente uma equipa temente de si mesma e fragilizada. A casa sportinguista está a ser varrida, arrumada e arejada, ao contrário da sport-lisboa-e-benfiquista, a gastar balúrdios como se não houvesse amanhã, e cujo presidente é um confesso ignorante da bola. Isto está um dia perfeito para um orgasmo verde. Ou um espasmo.

Adenda: afinal foi espasmo.

Total desrespeito pela instituição Sporting Clube de Portugal

RTP SCP

 

A Direcção do Sporting Clube de Portugal acusa um dirigente do Futebol Clube do Porto de “conduta inqualificável de total desrespeito pela instituição Sporting Clube de Portugal”. Em meu entender, esta acusação deve aplicar-se mutatis mutandis à RTP. Tratando-se de uma transcrição e ainda por cima quando na RTP se garante a “adopção de tecnologia, técnicas e equipamentos que proporcionem a melhoria da qualidade ou eficiência do serviço público de televisão”, este episódio é, no mínimo, lamentável.  Haja respeito.

 

Post scriptum: *retratassem do comunicado — como episódicas ocorrências de ‘contracto’, ‘conductor’ e ‘traducção’ — poderá servir a alguns paladinos do AO90 para justificarem a supressão das consoantes não pronunciadas. Trata-se de argumento já utilizado, mas falacioso. Para as arestas serem limadas, não é preciso destruir-se o sistema.

 

%d bloggers like this: