Para o PIB, é óptimo se o Sporting for campeão…

Lima FCP

http://bit.ly/17pNlf6

…mas péssimo se for o Boavista. Contudo, sejamos realistas: antes o Benfica do que o F.C. Porto

Evidentemente, não existe qualquer relação directa (haverá relação indirecta?) entre o campeão nacional de futebol e a «Taxa de crescimento do PIB e PIB per capita» (por isso, peço desculpa pelo título e pela primeira frase). Se houver, é necessário que alguém, de preferência um economista, se entretenha a detectar a interferência do fenómeno futebolístico no produto interno e se disponha a apresentar parcelas – isoladas dos factores que têm, de facto, influência no PIB – devidamente justificadas (esta é a parte mais complicada do processo), em vez de resultados totais, como aqueles aqui expostos  Quando tal acontecer, retirarei imediatamente o meu “evidentemente, não existe qualquer relação directa…” e o ‘de facto’ e deixarei de achar que estas contas, cá entre nós, de pouco ou nada servem e podem dar azo a confusões do arco-da-velha. Sim, por vezes, acontece.

Contudo, a recente provocação de António Mexia (ninguém quis saber do Argel…), além de merecer a melhor atenção do presidente do F.C. Porto, teve a honra de ser objecto de comentários, aqui no Aventar, do João José Cardoso (que remete para os cálculos de Carlos Guimarães Pinto) e do Ricardo Ferreira Pinto (que os contesta) e, por isso, aproveitei quer o café a meio da manhã para fazer umas contas, quer o intervalo da tarde para as public(it)ar.

Começam em 1961 os dados da Pordata, relativamente à taxa de crescimento (%) do PIB e PIB per capita a preços constantes (base=2006) em Portugal.

Entre as épocas 1960/61 e 2009/10 (os valores de 2010/11 e 2011/12 são aqui omitidos, por serem provisórios e estarem incompletos), os campeões nacionais foram os seguintes: o Benfica (22), o F.C. Porto (19), o Sporting (8) e o Boavista (1).

Vejamos:

Ano

PIB

PIB pc

Campeão

 1961

3,58

2,84

Benfica

 1962

10,53

9,73

Sporting

 1963

3,84

3,42

Benfica

 1964

6,05

5,99

Benfica

 1965

9,41

9,86

Benfica

 1966

4,55

5,34

Sporting

 1967

4,15

4,81

Benfica

 1968

5,07

5,52

Benfica

 1969

2,43

3,36

Benfica

 1970

8,47

9,44

Sporting

 1971

10,49

10,96

Benfica

 1972

10,38

10,55

Benfica

 1973

4,92

4,89

Benfica

 1974

2,91

1,49

Sporting

 1975

-5,1

-8,63

Benfica

 1976

2,29

-0,58

Benfica

 1977

6,02

4,9

Benfica

 1978

6,17

5,03

F.C. Porto

 1979

7,1

5,96

F.C. Porto

 1980

4,76

3,64

Sporting

 1981

2,17

1,29

Benfica

 1982

2,16

1,54

Sporting

 1983

0,97

0,5

Benfica

 1984

-1,04

-1,42

Benfica

 1985

1,64

1,36

F.C. Porto

 1986

3,32

3,23

F.C. Porto

 1987

7,63

7,66

Benfica

 1988

5,34

5,45

F.C. Porto

 1989

6,65

6,8

Benfica

 1990

7,86

8,09

F.C. Porto

 1991

3,37

3,61

Benfica

 1992

3,13

3,21

F.C. Porto

 1993

-0,69

-0,81

F.C. Porto

 1994

1,49

1,22

Benfica

 1995

2,4

2,04

F.C. Porto

 1996

3,69

3,3

F.C. Porto

 1997

4,41

3,94

F.C. Porto

 1998

5,14

4,61

F.C. Porto

 1999

4,07

3,49

F.C. Porto

 2000

3,92

3,19

Sporting

 2001

1,97

1,26

Boavista

 2002

0,76

0,21

Sporting

 2003

-0,91

-1,28

F.C. Porto

 2004

1,56

1,32

F.C. Porto

 2005

0,78

0,59

Benfica

 2006

1,45

1,27

F.C. Porto

 2007

2,37

2,16

F.C. Porto

 2008

-0,01

-0,15

F.C. Porto

 2009

-2,91

-3

F.C. Porto

 2010

1,94

1,89

Benfica

Não queria interferir na leitura dos dados, mas não posso deixar de salientar que

1962

10,53

9,73

Sporting

pode ser restritivo e, por conseguinte, enganador.

Adiante.

Durante este período (1961/2010), a média da taxa de crescimento do PIB por clube campeão nacional é a seguinte:

Sporting: 4,76

Benfica: 3,98

F.C. Porto: 2,90

Boavista: 1,97

No que diz respeito à média da taxa de crescimento do PIB per capita, durante o mesmo período, temos:

Sporting: 4,32

Benfica: 3,64

F.C. Porto: 2,59

Boavista: 1,26

Outros cálculos – certamente, inúteis – poderiam ser feitos, tendo em conta os melhores e os piores resultados do PIB  e do PIB per capita.

Contudo, o intervalo da tarde, felizmente, acabou.

No entanto, se alguém testar os resultados e detectar erros (é uma possibilidade), evitemos um desaire semelhante ao de Reinhart e Rogoff e corrijamos.

Comments

  1. Carlos Guimarães Pinto says:

    O número de títulos do Sporting é demasiado pequeno para a amostra ser representativa.

    (nota: a minha “análise” também contou com 2011-12, daí os números inferiores para o FCPorto)

  2. Jarruela@reditus.pt says:

    Os títulos obtidos pelo F.C. Porto foram demasiado manipulados para a amostra poder ser considerada representativa.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.