1989: os romenos tomam o seu destino nas mãos

Faz hoje 20 anos que o povo romeno invadia as ruas de Timisoara. O fim do déspota Ceausescu estava próximo. Ceausescu, o amigo de alguns aparentemente insuspeitos políticos portugueses como Mário Soares, ia ter um merecido Natal.

Comments

  1. Nuno Castelo-Branco says:

    Bem, o Conducator era conhecido pelas mais variadas razões. Uma delas, era não ser um Quisling a soldo do Kremlin, com todos os riscos que isso acarretava. O regime era brutal, despótico e quase genocida, mas foi louvaminhado por todos os Grandes deste mundo, desde os russos aos chineses, americanos e europeus das mais diversas cores.
    Episódios tristes à parte – entre os quais algumas excentricidades protagonizadas pelo casal quando visitou o sr. Costa Gomes -, o fim foi vergonhoso, espúrio. Não se começa uma democracia daquela maneira. Lembro-me sempre de Mussolini e Clara Pettacci. Não consta que os italianos tenham sido mais considerados por isso. Foi escabroso, sujo e miserável.
    O fuzilamento dos Ceausescu após uma paródia de justiça, apenas serviu para calar vozes incómodas e comprometedoras. É que a máfia Illiescu não era de fiar, como se viu.

  2. Luis Moreira says:

    Foi o último erro da ditadura ou o primeiro erro da Democracia?

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.