Bukowski revisitado #2

Porque toda a gente tem direito a um Natal feliz, eis outro poema de Charles Bukowski, também simples e informalmente traduzido:

as putas de Hamburgo

as prostitutas de Akron estão em todo o lado.

vejo-as em todo o lado

nos filmes

nas outras cidades do mundo

mas vi as putas de

Hamburgo só uma vez.

.

estão lá como seres eternos

à espera.

.

naturalmente

não são eternas.

.

e estavam à chuva

as putas de Hamburgo estavam à

chuva

à espera

de nutrir-se com aquela coisa do homem

que nunca se satisfaz com

nada

à espera

de homens que procuram

aquilo que perderam:

ter uma mulher sem dor

seja para o homem seja para a

mulher.

.

as putas de Hamburgo

apoiadas nos pára-brisas dos

automóveis estacionados

à chuva

para mim eram como uma sinfonia –

a uma certa distância.

mais perto, eu sabia que haveria

engulhos e tremenda desilusão

senão dor.

.

e elas ali estavam

com um tempo mau

filas inteiras

à espera.

.

as prostitutas de Akron estão

em todo o lado.

.

mas as putas de Hamburgo eram

esplêndidas

naquele dia.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.