José Sócrates: O PEC(ado) da Mentira

Ontem, em horário nobre das TV’s, José Sócrates divulgou ao País as ideias gerais do Programa de Estabilidade Crescimento (PEC). Ao referir-se aos impostos garantiu explicitamente não estarem previstos aumentos, excepto para rendimentos superiores a 150.000 euros que, em sede de IRS, passam a ser tributados à taxa de 45%. Anunciou ainda que a tributação das mais-valias mobiliárias também será aumentada, assim como a imposição de limites de benefícios fiscais para os escalões de mais elevados rendimentos. Se dúvidas subsistissem quanto à interpretação do discurso do PM, ficariam inteiramente dissipadas com o texto inserido no Portal do Governo PEC.

Haverá incremento dos valores de IRS para milhões de cidadãos. A garantia do contrário é mais uma mentira do PM; e a verdade está camuflada através da capciosa frase “passará a haver limitação de benefícios fiscais para os escalões de mais elevados rendimentos”.

Com efeito, ao reduzir os anunciados benefícios fiscais, ou seja, as deduções respeitantes a despesas de saúde e de aplicações em PPR, o Governo toma uma medida que eleva a matéria colectável, a taxa efectiva de IRS aplicada e consequentemente o valor do IRS a liquidar pelos contribuintes. Mas há mais: os pensionistas que aufiram mais de 22.500 euros (1.607,14 euros / mês) verão ainda a dedução específica reduzir-se, o que equivalerá a pagar mais 489,35 euros de IRS para quem ganhe até 30.000 euros / ano – isto adicionado à redução no valor das despesas de saúde com direito à dedução significará a perda, por ano, de cerca de 1/3 de uma mensalidade. Segundo o Jornal de Negócios, as alterações previstas para pensionistas em termos de IRS representarão aumento de imposto a entregar ao Estado, para cerca de 2,5 milhões de contribuintes.

Sabe-se da gravidade situação económica e financeira das contas nacionais e da subsequente necessidade de medidas excepcionais, se distribuídas de forma socialmente justa. Usar a mentira e iludir a grande maioria dos cidadãos é condenável. Há aumento de impostos para muitos e José Sócrates não falou com sinceridade e clareza. O PM está para mim como o algodão do anúncio: já não me engana.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Ele mente mesmo quando está a dizer uma verdade. É incapaz de se cingir à verdade, sem jogos de cintura. É um aumento de impostos, evidentemente!

  2. Carlos Fonseca says:

    Luís, eu julgo que ele, os seus ministros e conselheiros mais próximos já chegaram a um estado tal que a mentira é uma arte normal na política. Então, pintam os quadros à sua maneira e os outros só têm que acreditar.

  3. ricardo says:

    Meus amigos
    Já pensaram que se calhar não foi ele que falou ao País? Pode ter sido o outro, aquele que ás vezes não ouve. Cá para mim o verdadeiro Sócrates não sabe de nada…

  4. J. Mário Teixeira says:

    Além de mentir sobre o aumento dos impostos, voltou a aumentar sobre os mesmos de sempre e a proteger os do costume.
    Continuo a lamentar que a banca seja menos tributada que as demais actividades económicas deste país. Mas deve ser isso que é socialismo (e social-democracia também, porque o mal já vem de trás).

  5. Carlos Fonseca says:

    Caro J. Mário Teixeira, esse é, de facto, um problema de injustiça fiscal, com história feita através de governos rosa e laranja.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.