Somewhere over the rainbow (um ano de Aventar)

Não fui um dos fundadores do Aventar. Apenas comecei a publicar regularmente em Junho. Nestes dez meses, muita coisa mudou. Por exemplo, eu mudei a maneira de apreciar os blogues (de céptico passei a blogo dependente) e, por outro lado, o Aventar também foi paulatinamente mudando. Quanto a mim para melhor.

A qualidade média dos posts parece-me ter subido. Um regionalismo e um clubismo exagerados, com que deparei à chegada, estão bastante atenuados. O Aventar está mais pluralista do que era no Verão passado. Mas tem ainda margem de progressão. Eu diria que era necessário erradicar completamente a futebolite e o regionalismo excessivo, sem abdicar de analisar o futebol com serenidade e objectividade e de discutir com seriedade a questão da regionalização. O Aventar deve ser um blogue de todo o País, em que um algarvio e um minhoto se sintam tão à vontade como um tripeiro ou um alfacinha.

Quanto a ideias políticas, a crenças religiosas, a princípios filosóficos, a partidos, a clubes, a regiões, o Aventar deve acolher todas as cores (menos as que neguem a democracia e o pluralismo). Como aliás e felizmente está a fazer em quase todos os aspectos. Pessoalmente, não concordo com a socratofobia reinante – acho-a tão excessiva, quanto o seria o endeusamento do primeiro-ministro. Dá, politicamente, ao Aventar um tom alaranjado. Embora saiba que nem todos os que atacam Sócrates comungam da mesma perspectiva. É, digamos, uma aliança.

Não gosto de tons dominantes. Nem de lentes de uma só cor, pois desvirtuam a paisagem. Posso garantir-vos que não colaboraria num blogue de nenhum partido, nem num blogue do meu clube, nem num blogue que apenas falasse da minha cidade. Um Aventar monocromático não me interessa. Prefiro um que caminhe sempre para um lugar acima do Arco-íris.

Parabéns, Aventar! Boa viagem!

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Carlos, quem se excede com o Sócrates sou eu, porque falo nele todos os dias. Mas tens razão numa coisa. Ele já não existe, e eu tenho razão porque este país está à deriva.

  2. Maria Elisa says:

    Parabéns aos bloggers e igualmente aos comentadores.
    Para mim são de leitura diária.
    A todos um abraço gaiense
    Maria Elisa


  3. Sim, tu és o mais obcecado; mas não és o único. Eu não disse que ele já não existia, tenho sempre dito é que, dentro deste sistema, as substituições são irrelevantes. Portanto, na minha opinião, mais do que derrubar Sócrates ou qualquer outro, trata-se de derrubar o sistema. Mas não falemos demasiado destas coisas hoje – é dia de festa. Centremos as atenções no Aventar.


  4. Muitos parabéns, Aventar e Aventadores! Espero que vão contando muitos mais. 🙂


  5. Muito obrigado, Luísa.

  6. Carla Romualdo says:

    É um bom plano de viagem, apontar a esse sítio acima do arco-íris. Bela imagem para um dia de aniversário, Carlos. Um abraço


  7. É, julgo eu, o lugar onde todos nos podemos encontrar – seja qual for a nossa terra de nascimento, o nosso clube, a nossa orientação política… Acima do arco-íris e, claro, no Aventar. Um grande abraço e parabéns pelos teus belos posts que tanto têm ajudado à subida de qualidade que aqui assinalo.

  8. Carla Romualdo says:

    Obrigada, Carlos. E sem querer transformar estes comentários numa troca de galhardetes, tenho de agradecer os teus textos, com os quais aprendo todos os dias, e as tuas deliciosas histórias de vida. Não há-de passar o segundo ano de vida do Aventar sem que tomemos aquele cafézinho adiado!


  9. Pois claro. Em Lisboa há um Arco-Íris onde se pode beber café. No Porto também deve haver. Há coisas que nunca falham. O arco-íris é uma delas.


  10. A imagem do lugar acima do arco-iris é-me muito agradável. E um café em conjunto tomado por amigos, que antes de o serem já o são, por baixo dele, será outra imagem bem agradável.
    Neste Aventar, encontrei esses bons amigos, maravilhosos amigos, e sobre isso, e sobre o meu primeiro ano no Aventar, escreverei quando fizer um ano. Dentro de dias.
    Até breve e um abraço.


  11. Um abraço, José Fernando e parabéns. estamos todos de parabéns.

  12. maria monteiro says:

    agora sempre que tomar um café no Arco-Íris, ali ao lado do Apolo 70, lembrar-me-ei de todos estes queridos aventadores


  13. Aquilo é pequeno. Cabemos lá todos? Se cabemos, é boa ideia.

  14. Carlos Fonseca says:

    Carlos Loures, eu estou sempre acima do Arco-Íris. Politicamente, sinto dificuldade em alinhamentos. Futebolisticamente, Benfica, Porto e Sporting (ordem alfabética) são-me indiferentes.
    Quando vierem ao café, digam que eu desço. Entretanto, espero que o Aventar continue sempre a subir, como o balão da outra. Um abraço.


  15. Eu cá não – sou vermelho em política (mas apartidário), benfiquista, ateu e por aí fora. Acho é que o Aventar deve estar acima dos clubes, das tendências políticas, das querelas regionais, das posições filosóficas e religiosas. Todos devemos ter o direito de exprimir livremente a nossa opinião e defender a nossa cor, mas com profundo respeito por quem gostar de uma cor diferente ou, como no seu caso, não optar por nehuma. Parece-me que estamos a conseguir. Um abraço.

  16. maria monteiro says:

    sim é pequeno. O Apolo 70 é maior, tem um espaço na cave com vista para o centro de cópias Arco-Íris. Mas pode ser feita uma visita guiada ao CCArco-Íris e depois ir para uma das esplanadas do Campo Pequeno

  17. Carlos Fonseca says:

    Sim Carlos Loures, o que escrevi foi meio jucoso. Sou apartidário e acho que é visível nos meus escritos que uso livremente a minha opinião, com respeito por quem pense diferente.


  18. Uma visita guiada ao Arco-íris é uma excelente ideia. O Apolo 70 foi um dos primeiros centros comerciais de Lisboa. A última vez que lá estive, achei-o um pouco decadente.


  19. Eu sei, Carlos Fonseca. Ser apartidário não é não ter opinião política – é apenas, perante o mostruário (ou monstruário) não encontrar nenhum produto que nos interesse. Quanto ao futebol, não ter opção clubística deve ser muito bom para a saúde.

  20. Carla Romualdo says:

    Quando o meu filho tinha 7 semanas tive de ir a Lisboa e ficar lá por uns dias. O hotel onde estava era ali perto do Curry Cabral e, nos tempos livres, eu ia até à livraria Apolo. Por essa altura, ele só dormia quando sentia o carrinho em movimento e assim que eu parava desatava a chorar. Por isso, cada vez que eu entrava na livraria, ele desatava aos berros e eu tinha de sair. Acabei por ir algumas vezes à livraria, nunca ficando lá mais de dez minutos. Na última vez que lá entrei, a senhora que estava a atender, olhou para mim, espreitou para dentro do carrinho e anunciou: “Olha, chegou o bebé que não gosta de estar parado”.
    Agora, é ele que pede para ir à livraria. Está ou não está bem ensinado?
    Agendem a ida ao Arco-íris para um fim de semana e aí vou eu.


  21. Vamos organizar a tal visita guiada ao Arco-Íris. A guia é a Maria, obviamente.

  22. maria monteiro says:

    O Apolo70 tinha um simpático restaurante e um cinema onde passavam bons filmes. No final da última sessão ainda dava para umas tostas e um batido. O cinema fechou, depois foi o restaurante… de há uns anos a esta parte foram feitas obras e o espaço começou a ter mais vida


  23. Eu bem disse – temos guia!

  24. maria monteiro says:

    e a livraria continua a existir

  25. maria monteiro says:

    Carla, estavas mesmo ali ao lado do Arco-Íris : )

  26. Carla Romualdo says:

    Pois estava, Maria, se calhar era isso que queria dizer-me

  27. Carla Romualdo says:

    que ele – o chorão – queria dizer-me


  28. Pois. As crianças sabem tudo – levamos a vida inteira a desaprender a sabedoria com que nascemos (já ouvi defender esta teoria).

  29. maria monteiro says:

    isso mesmo estava a pensar no tal lugar acima do Arco-Íris : )

  30. Ricardo Santos Pinto says:

    Fiquei curioso quanto ao «Arco-Iris», Carlos. Quanto ao nosso Aventar, lembro-me de o Luis me ter dito, em finais de Abril, que tu afinal não entravas porque não tinhas tempo. O que se ia perder!
    Sobre o que dizes: nunca vi grandes regionalismos no Aventar, até porque o sul está em maioria em relação ao norte (16 contra 15). A nível político, a Esquerda também está em maioria em relação à Direita – se falas do tom alaranjado, deve ser por causa do Fernando Moreira de Sá, esse facho. Tens razão quanto ao Sócrates, mas não foi nada combinado. Vai haver um problema quando estiver o PSD no Governo, porque o Aventar está vocacionado para ser «contra» e neste momento há vários PSD’s. No futebol, sim, tem havido picardias dos dois lados – mas se me permites, o mais assanhado de todos até é do teu clube.

    • Luís Moreira says:

      O Loures é do melhor que há. os meus (nossos) amigos diziam-me para eu não o chatear, mas eu sou cão de fila. Não largo!


  31. Ricardo, paciente amigo, estás convidado para a visita em que a nossa Maria nos guiará pelos caminhos do Arco-Íris. Quanto ao nosso Aventar, não leves a mal as minhas críticas, embora eu saiba que para os pais os filhos são sempre perfeitos. Os regionalismos, ou melhor, o nortismo, no Aventar era enorme. Havia quem me dissesse – «Então estás a colaborar num blogue do Porto?». Pelas razões que explico, incomodava-me, não que o blogue fosse do Porto, mas que fosse de uma cidade ou de uma região. Tenho declarado à saciedade a minha recusa de regionalismos quando eles se fazem contra seja o que for. Se o blogue fosse «de Lisboa», protestaria de igual modo. No futebol, era uma «casa do FCP», só faltava o busto do papa no logótipo. Tu não notavas porque se tratava de coisas familiares para ti. Mas, conforme digo no post, a situação tem melhorado de mês para mês. Sugiro que quanto ao regionalismo se promova uma discussão séria sobre o tema, com argumentos contra e a favor e com a participação dos leitores. Quanto ao futebol, eu moderaria as picardias – só lhes acha graça quem as diz e quem por elas não é atingido. São, potencialmente, um foco de problemas. E não merece a pena. Quem manda, os «chefes», como eu e o Iturra vos chamamos, deviam ocupar-se disso, limitando o campo de manobra às futebolices acéfalas. Só se aceitariam opiniões que não pusessem em causa a dignidade dos adversários. O mais encarniçado futeboleiro é do SLB? É por estar em minoria – nunca ataques um homem desesperado.

    A política é um assunto importante e devemos continuar a debater ideias. O facto de parecermos um blogue laranja, na minha opinião, até se deve mais ao empenhamento do Luís em atacar o Sócrates sempre que o homem espirra do que ao Fernando. E se o Fernando é um grande facho, eu digo: primeiro – é o «nosso facho!»; segundo: pertence a uma espécie em vias de extinção. Temos de protegê-lo (um abraço, Fernando!). A nossa amiga defensora do Sócrates, também não tem intervindo muito. É pena eu também não gostar dele, senão dava uma ajuda… Sempre quero ver como é que essa santa aliança anti-socratista se porta quando chegar aí o totó do PSD (se chegar, claro).
    Bem, percebes o que quis dizer. Sou um bocado (só um bocado?) marreta, efeitos da idade, e gostaria que o Aventar fosse uma máquina de guerra mais eficaz contra o que merece ser destruído. Tudo o que escrevo e comento vai nesse sentido.
    Parabéns Ricardo. Tens trabalhado muito e hoje não merecias críticas agudas; só parabéns e abraços. Mas, como disse o escorpião para o cavalo que ajudou a atravessar o rio, «está na minha natureza». Um grande abraço.


  32. Luís, parabéns para ti também. Oferecido o doce, sai o veneno: vê lá se moderas essa obsessão – o homem é só um político, carago (estou a ficar contaminado – é das más companhias, como dizia a minha mãe). É mentiroso? Claro, se não fosse como chegaria a primeiro-ministro? Está a governar mal? Sem dúvida, mas quem consegue governar bem, obedecendo a Bruxelas,a Washington, tendo de pedir licença a Madrid para certas coisas… Estás convencido de que o coelhinho fará melhor? Oxalá eu ainda cá esteja para me poder rir, se isso acontecer. Na «Arte da Guerra», do Sun Tzu, diz-se (ou devia dizer-se) que uma das primeira acções é identificar o inimigo. O Sócrates faz parte do inimigo, mas não é o inimigo. Não gosto de perder uma coisa que de dia para dia me vai ficando mais pequeno (honi soit…) refiro-me ao tempo. Perder tempo a atacar sócrates ou coelhos? Era o que faltava? Bem, às vezes até parece que tens apetência por cargos políticos. Fim de veneno.
    Um abraço Luís, obrigado por me teres convidado para o Aventar (embora me tenhas arranjado um vício – mas o que é uma pessoa sem vícios?). Parabéns pelo teu trabalho e pelo trabalho dos outros «chefes».

    • Luís Moreira says:

      Carlos, quando e se o PSD for para o governo cá estarei a “malhar”! É o que nos resta, vi como é, durante cinco anos fui um deles, a incompetência, as mordomias, a falta de empenho. E se eu não souber porque “malho” eles sabem!

  33. Carlos Loures says:

    Acredito que sim Luís. Aliás, o que me preocupa na tua obsessão contra o Sócrates é a tua saúde. E também o facto de, ao insistires tanto, desacreditares a própria crítica que fazes e retirares-lhe força, quando às vezes tens carradas de razão.

  34. Carlos Loures says:

    Não será bem assim. Por outro lado, há socratistas honestos (conheço alguns) e, zelando pela imagem do Aventar, é negativa a imagem que deixamos passar de que somos um blogue anti-Sócrates. A importância da personagem não justifica tanto rancor. Dentro de uns anos, estará a governar a vida dele num qualquer conselho de administração, e as pessoas nem se lembrarão de que existiu.

    • Luís Moreira says:

      Ele é um tipo sem ética para ser primeiro ministro. Um mentiroso encartado, que ainda por cima usa, abusivamente, o socialismo como bandeira…

    • Luís Moreira says:

      Claro que há socristas honestos. Nunca disse que são todos como o “chefe”. Eu próprio tenho grandes amigos, que acham que não há melhor que ele…

  35. Carlos Loures says:

    Para já uma errata – não são socristas (pode confundir-se com sacristas). O Sócrates será tudo isso. Agora pergunto-te – quem lhe pode dar lições de ética e de transparência – O Portas, a Ferreira Leite, o Durão Barroso? Ser mentiroso e não respeitar qualquer tipo de ética é a primeira condição para fazer carreira na política. Na minha opinião, ele não é pior, nem melhor do que os outros. Quanto ao socialismo, os socialistas que havia (e há) no PS, têm vindo a ser postos na prateleira. A «arrumação» começou a ser feita ainda pelo Mário Soares.

  36. Ricardo Santos Pinto says:

    Carlos, claro que não somos um blogue anti-Sócrates. Sabes tão bem como eu o que nós nos esforçámos para arranjar alguém que apoiasse o Sócrates. Até pusemos anúncios no jornal…
    Quanto a mim, prometo que não volto a atacar o Sócrates no dia em que ele deixar de ser primeiro-ministro. E no próprio dia, começarei a atacar o seu sucessor, seja ele quem for.
    Quanto à clubite, tens a tua visão. Repara que os benfiquistas estão em maioria em relação aos portistas. Ninguém tem culpa que escrevam menos e desapareçam durante semanas. E repara que o benfiquista encarniçada de que falo começou a atacar sem que ninguém o atacasse. Queres uma lista?


  37. Sei que não somos. A maioria das pessoas não é socratista, mas isso não significa que sejamos anti-Sócrates. Só disse que há dias em que o parecemos. No que diz respeito, ao facciosismo clubista, ele é mau venha donde vier. Já tenho feito comentários discordando da ideia de que o Sporting não é um clube importante. Não sabia que os benfiquistas estão em maioria; em todo o caso são menos activos, exceptuando o talibã de que falas e que não estou a ver quem seja (nem interessa). A minha contribuição para a desfutebolização do Aventar é não responder a comentários (por mais desagradáveis que os ache) e só escrever sobre acontecimentos e figuras da história do futebol português. O que já fiz com o Eusébio, o Pinga, o Pepe e o Peyroteo.

    • Luís Moreira says:

      Eu não sou faccioso…

    • Ricardo Santos Pinto says:

      E nesse aspecto, sabes que já tentei limitar o futebol no Aventar e já chamei a atenção de ambas as partes. Mas esta gente é indomável e como isto não é propriamente um emprego e eu não sou propriamente um patrão…


  38. Luís, no futebol és impecável. Claro que não és faccioso. Benfiquista e a defender o Sporting, não é para todos. Nesse campo, mereces todos os elogios.

  39. maria monteiro says:

    sim, sim Luís … tens dias

  40. maria monteiro says:

    sim, sim Luís … tens dias mas sempre simpático


  41. Claro Ricardo, quanto ao futebol, a única posição pedagógica é não alinharmos nas picardias. Pode ser que o nosso exemplo frutifique.

  42. maria monteiro says:

    Uma carreirinha de palavras em espaço vazio (02/74)

    De passo largo
    te fica
    um espaço
    vazio,
    do outro lado
    te vês
    no campo,
    no rio,
    te olhas
    e lado a lado
    tua imagem redobra,
    há sangue que ensopa
    um corpo invisível
    há todo um gesto
    que temível,
    te faz gritar,
    te faz erguer
    em protesto,
    te faz vencer
    e trepar
    por este mundo infesto
    de loucura,
    te faz ir à procura
    do que na vida
    é a imagem pura
    duma outra perdida

    Carlos Loures, o meu abraço amigo e… até ao Arco-Íris
    maria

Trackbacks


  1. […] This post was mentioned on Twitter by Blogue Aventar. Blogue Aventar said: Somewhere over the rainbow (um ano de Aventar): Não fui um dos fundadores do Aventar. Apenas comecei a publicar r… http://bit.ly/bJuA3T […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.