Juízo…

Hoje ao final da manhã, Marco António dissipou todas as dúvidas levantadas pela imprensa, o PSD reafirmou a sua posição em matéria de portagens nas SCUTs: sim para todos. Não me espanta que o tenha feito pela voz do seu Vice-presidente, bem pelo contrário. Mais tarde, foi a vez de Miguel Relvas e assim se cortou o mal pela raiz.

Ontem Rui Rio foi, finalmente, o porta-voz do sentimento de revolta existente na GAMP, um pressentimento de quem soube escutar aqueles que, desde 2008, clamam contra a injustiça desenhada por Mário Lino e cegamente seguida pelos seus substitutos. Só quem não conhece esta realidade ou anda fechado em gabinetes é que não calculou nem viu o que se estava a preparar.

Por outro lado,  o futuro candidato a Presidente da Câmara Municipal do Porto aproveitou o ensejo para dar uma alfinetada no seu vizinho. Temos de compreender, mesmo aqueles que discordam desta sua tomada de posição: quantas vezes andou Menezes, sozinho, a clamar contra o centralismo? Inúmeras e não teve a devida solidariedade do Porto.

É inadmissível e de gritante má-fé procurar confundir esta matéria com “partidos regionais” ou “regionalização”. Ao contrário de alguns papagaios que andam pela blogosfera a escrever sobre as portagens, eu conheço o caso como a palma das minhas mãos e desde 2008 que acompanho a batalha contra as mesmas na A28, A41 e A42 por parte, sobretudo, do Presidente da Maia. Aliás, o cartaz que acompanha este post e inúmeras vezes utilizado nas redes sociais, foi feito por um jovem designer da Maia (o Mazza) em 2008, por encomenda de Bragança Fernandes. Quem percorreu toda a A28, A41 e A42 percebe, perfeitamente, duas coisas: da falta de alternativas e da “estratégia político-partidária” de escolha dos locais para colocação dos pórticos.

Considerar que Rui Rio tomou em mãos esta matéria por questões de política interna do PSD e tendo em conta as sondagens favoráveis a Passos Coelho não é apenas rebuscado, entra no campo do delírio e da patetice. No PSD ninguém dúvida da capacidade e durabilidade da actual liderança. E Rui Rio sabe, melhor que ninguém, que não se vence o que quer que seja no país defendendo os interesses do Norte. Não o tomem por tolo.

Comments


  1. Sim, sim, sim às portagens..
    Mas que paguem todos ou vou ser o mouro a pagar as portagens da Beira Alta, Beira Baixa e Algarve?

    Paga, povo… querias fiado? TOMA.

  2. mjrijo says:

    Dario Silva :Sim, sim, sim às portagens..Mas que paguem todos ou vou ser o mouro a pagar as portagens da Beira Alta, Beira Baixa e Algarve?
    Paga, povo… querias fiado? TOMA.

    Eu quero fiado sim, e faço como eles que depois não pagam. E depois, pronto, se os mouros tiverem que pagar alguma coisinha pelo menos que cá os nortenhos tenham uma folguita, tá bem assim?


  3. “mouro” em sentido figurado. Mas também poderia ser em sentido literal.

  4. mjrijo says:

    Dario Silva :“mouro” em sentido figurado. Mas também poderia ser em sentido literal.

    sem ofensa claro, para mim tanto me faz ser moura como tripeira 🙂

  5. Luis Moreira says:

    O PSD que seja muito claro neste e noutros assuntos. Quanto ao Rui Rio ele sempre disse sim à Camara do Porto, não há confusão nenhuma, o que não invalida de o considerar um político dos mais capazes e melhor preparados para ser primeiro ministro. Mas ele nunca quiz!

  6. mjrijo says:

    Sim, devem ser todos muitos claros. Quanto ao Rui Rio eu fiquei a admirar o senhor quando ele proibiu, por causa da crise lá os foguetes no S. João, mas agora que estamos ainda pior parece que financiou bastante a vinda do papa…fiquei um bocado confusa com o homem, mas enfim, de política não entendo mesmo nada 🙁

  7. Luis Moreira says:

    Como quer que se deitem foguetes? Há razões? Todos sem dinheiro e a deitar foguetes?:-) o Papa pode fazer milagres…

  8. mjrijo says:

    Luis Moreira :Como quer que se deitem foguetes? Há razões? Todos sem dinheiro e a deitar foguetes?:-) o Papa pode fazer milagres…

    Não, de forma nenhuma, não quero que se deitem foguetes…aí é que eu admirei o Rui Rio. Mas nos milagres do mpapa também não acredito, afinal ele ainda não virou santo.

  9. Dario Silva says:

    mjrijo :

    Luis Moreira :Como quer que se deitem foguetes? Há razões? Todos sem dinheiro e a deitar foguetes?:-) o Papa pode fazer milagres…

    Não, de forma nenhuma, não quero que se deitem foguetes…aí é que eu admirei o Rui Rio. Mas nos milagres do mpapa também não acredito, afinal ele ainda não virou santo.

    Queres um milagre papista?
    Portugal ser governado por quem é e ainda não ter ido ao fundo, isso é um milagre. Oremos.

  10. mjrijo says:

    Dario Silva :

    mjrijo :

    Luis Moreira :Como quer que se deitem foguetes? Há razões? Todos sem dinheiro e a deitar foguetes?:-) o Papa pode fazer milagres…

    Não, de forma nenhuma, não quero que se deitem foguetes…aí é que eu admirei o Rui Rio. Mas nos milagres do mpapa também não acredito, afinal ele ainda não virou santo.

    Queres um milagre papista?Portugal ser governado por quem é e ainda não ter ido ao fundo, isso é um milagre. Oremos.

    Amén

  11. António Pires says:

    Acho graça a esta polémica. Afinal quais foram as primeiras SCUT a pagar portagens?
    eu explico:
    Tudo começou com a A8 (Lisboa-Leiria). Foi construída para ser uma SCUT, e começou a pagar portagens desde o primeiro dia. Quando se previa o fim das portagens, foram de novo impostas para que a CREL não as pagasse. E todos pagam agora.
    Para os de memória curta, lembro que os autarcas da zona apenas cederam porque um Ministro da altura afirmou que “ou há portagens na A8 ou o aeroporto não vai para a Ota”. Está-se a ver que o aeroporto está mesmo lá (não é que eu defenda o aeroporto na Ota).
    A segunda SCUT a pagar portagens foi mesmo a CREL. Começou como uma autoestrada comum, a pagar, e de repente não se pagava. À custa das portagens na A8. E hoje também se paga.
    Afinal, que perseguição é esta “ao Norte”, se os primeiros casos de portagem em SCUT foram em Lisboa e arredores? Alguém explica?

  12. maria monteiro says:

    Mas quando o “norte” for governo vai ser o fim de todas as portagens… vai ser a livre circulação de quem tiver dinheiro para o combustível

  13. mjrijo says:

    maria monteiro :
    Mas quando o “norte” for governo vai ser o fim de todas as portagens… vai ser a livre circulação de quem tiver dinheiro para o combustível

    Isso de certeza, mas pelo andar da carruagem, nem serão precisas as portagens; é melhor investir em sapatilhas que o combustível tá caro demais

  14. Nightwish says:

    Por outro lado, o Norte e o resto do país vai-vos andar a pagar um TGV, um aeroporto e uma ponte.

  15. António Pires says:

    Pode ser. Mas, no entanto, acho que o TGV vai até ao Porto, pelo menos. Deve ser um Porto no Sul, acho eu, pois parece que o TGV é só de Lisboa.
    E quanto ao Aeroporto, vamos ver quando, ou mesmo se, será construído. Pelo andar da carruagem, a Portela ainda ficará por muitos e bons anos em funcionamento, que é como deve ser.
    E quanto a pontes, estamos conversados. Se fosse um jogo de futebol, estava agora em Porto 5, Lisboa 2.

    Notem: Não moro em Lisboa, e tenho muito respeito pelo Porto, onde morei durante vários anos. Mas acho que reduzir esta discussão a uma “guerra” Norte-Sul é ridícula.


  16. 1ª pergunta: – E os estrangeiros, como se faz com eles? bichas paradas de dezenas de kilómetros nas fronteiras, obrigando-os a comprar o chip?

    2ª pergunta: – As SCUTs são à borla, o Estado é que paga, isto é, todos nós, incluindo os não utilizadores, blá-blá-blá… e os 7,5 cêntimos/litro de combustível que o Estado arrecada desde há anos em nome do denominado “pagamento” das SCUTs? que bolsos têm beneficiado e para que têm servido todos estes milhares de milhões de euros?

    3ª pergunta: – Passando as SCUTs a ser portajadas, será que os combustíveis vão baixar 7,5 cêntimos/litro, ou vamos pagar as SCUTs a dobrar?

    4ª pergunta: – Nas tais anunciadas isenções “regionais” (!), também os combustíveis vão beneficiar da isenção “regional” dos 7,5 cêntimos/litro?


  17. Esta é só para o Dario, o grande defensor do pagamento das SCUTs:

    – Será que os defensores do pagamento das portagens na SCUTs esperam vir a ser contemplados com uma redução de 7,5 cêntimos/litro, como uma isenção pela sua dedicação à “causa”?
    – Ou vão continuar a pagar as SCUTs a dobrar, mesmo que as não utilizem?
    – Ou será que eles utilizam sempre as denominadas “alternativas” inexistentes?
    – Ou será que eles se deslocam de burro, de bicicleta ou… de comboio pelas linhas do Tua, do Corgo, do Vouga, da Lousã, etc, etc ?


  18. Luis Moreira
    Desculpe, mas, independentemente da justiça ou injustiça das medidas, você não respondeu concretamente a nenhuma das questões que coloquei. Que acho absolutamente PERTINENTES!

    Além do mais, já o disse aqui, algumas das que vão ser portajadas nem precisavam de ser autoestradas (A7, A11, A41, A42); estradas IP/IC bastavam! O governo (PS) armou-se em vaidoso com os dinheiros dos outros!

    Além do mais, também já o disse, nenhuma das portajadas, e até mesmo das futuras a portajar, têm alternativas; a menos que se considerem N13, N17, N107, N109 etc, como alternativas; tão idiota esta afirmação quanto o facto de que alguns troços destas já nem sequer existem !

    Curiosamente, o inteligente do governo acaba de afirmar que a Via do Infante nunca será portajada porque não tem alternativa; pois se é a única que, REALMENTE, até se poderá considerar que tem a N125 como alternativa minimamente satisfatória!!!

    • Luís Moreira says:

      Milan a questão aqui é que as pessoas estavam a favor das autoestradas porque estavam convencidas que há um senhor em Bruxelas que pagava. Chegou o momento da factura, como chegará a factura das parcerias píblico/privadas que, segundo o governo, tambem não custam dinheiro ao Estado. As pessoas assim percebem!

  19. Dario Silva says:

    Milan Kem-Dera :
    Esta é só para o Dario, o grande defensor do pagamento das SCUTs:

    Oh Milan, grande defensor do pagamento das Scut nas condições que escrevi. Paguemos TODOS, todos sem excepção. o Algarve não é mais “pobre” que o vale do Tâmega ou Cávado para que seja EU a pagar-lhes os custos da A22 (e raras vezes lá passei).
    TODOS… juntos, todos juntos nós vamos cantar… todos juntos…

  20. maria monteiro says:

    Hoje foi uma tarde em que andei de carro e… também tive que o arrumar… no parque do Colombo (paguei 2,80); no do Marquês (paguei 3,50); no da Portela safei-me porque já passava das 20h. Por fim mais outra borla no parque do CCVGama (compras no supermercado deram-me bónus de 2horas)

    Utilizei – paguei. Tinha alternativas (autocarro/metro/táxi/a pé/ procurar em ruas interiores estacionamentos mais baratos) mas optei por aquilo que me era mais cómodo. Foi uma decisão minha e como tal paguei por ela.

    Posso fazer isto todos os dias? Claro que não. Geralmente utilizo os transportes públicos.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.