Uma carta imbatível


Confesso. Decidi entrar neste jogo das cartas porque, no fundo, sou um joguete nas mãos de António Nogueira Leite, sorvendo de forma ansiosa as migalhas que magnanimamente ele deixa cair. Na verdade, e basta ver a recente linha editorial do Aventar, não passo de um comunista arrependido que se rendeu às virtudes do passoscoelhismo agora que o PSD vai ser poder. Conveniente, o meu «timing» político, não?
É verdade, uma assessoria era o meu sonho.
Para além de tudo, aguardo ansiosamente por um link, um mísero link que me tire da osbscuridade. Foi por isso que decidi jogar esta carta altíssima, que me parece ser imbatível.
Já agora, há por aí, nesta sequência de «Justice Affairs», uma dama de copas que foi capaz de mudar a história dos últimos anos. E aí, pessoal do 31, do 31 e do Albergue, quem a joga?

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Arranja-me uma assessoria “não residente”! (temos que ser criativos)


  2. Eu quero duas. Sim, uma assessoria não chega que eu sou um rapaz de grande porte, para lá de uma centena dele!

    • Luís Moreira says:

      Tens mesmo que ter duas, porque eu vou lá fazer uns telefonemas, ver as juristas, o motorista levar-me ao bar mais próximo, que isto de relações públicas não é fácil.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.