Linguinha "Uiquiliques"


Há coisas do diabo. Até há uns dias, andava o mundo inteiro num fri-ó-fró de gozo, lendo as piadosas novidades proporcionadas pelas indiscrições da “uiquiliques”. Os americanos eram uns perversos da pior espécie, maltratavam gente de tão fino recorte social como Sarkozy, Putin ou Berlusconi. Radiantes, aí estava mais um motivo de gáudio para os teóricos da “conspiração mundial yankee-sionista”, sempre pronta a devorar povos, ouro e terra alheia.

Entretanto, algo parece estar a mudar, pois inopinadamente, começaram a surgir assuntos pouco tranquilizadores para um determinado tipo de agentes do politiquês de Expresso de fim de semana. “Más” novas em Cabora-Bassa – insisto em escrever o nome tal como me ensinaram em 1972 -, entregas de dinheiros em termos de “compensação por serviços (?) prestados”, depósito de 9.000 milhões na conta do risonho Al-Bashir do Sudão e com alguma sorte, talvez conseguiremos saber algo mais. Num ápice, a perfída dos embaixadores estadunidenses, transforma-se noutra coisa mais refinada, porque afinal, é “muito estranha” e …“o que é curioso é que tudo aquilo que se passa e tudo aquilo que se diz nada é contra a América, é tudo contra os outros”. Não nos admiremos se dentro de dias o Dr. Almeida Santos disser uma ou outra chalaça acerca do assunto.

É esta a posição que agora, o sempre atento Dr. Mário Soares vem defender no Público. A isto chama-se ataque preventivo, ou gestão de possíveis danos colaterais que estarão para vir.

Não sei porquê, de repente comecei a prestar mais atenção à tal paródia “uiquiliques” que afinal, não passa de “mais uma manigância da CIA”…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.