O que é um bom professor? O que é uma boa escola?

Quem escolheu ser professor, escolheu a mais impossível, mas também a mais necessária de todas as profissões. E sabe que não vale a pena acreditar que podemos tudo, que podemos tudo transformar. Não podemos. Mas podemos alguma coisa. E esta alguma coisa, é muitas vezes, a “coisa decisiva” na vida das nossas crianças e dos nossos jovens“. António Nóvoa

O que é um bom professor?
O que é uma boa escola?

E porque não antes…
Para que serve a escola?

E, nela ou fora dela, para que serve (se é que serve) um professor?
podemos responder às duas primeiras sem pensarmos na resposta às duas últimas?
tudo isto a propósito de um post fantástico da Professora Teresa Pombo e de alguns (muitos) comentários.
depois (ou durante) podemos discutir as tecnologias educativas, a motivação (ou falta dela) de alunos, pais, professores, escola (enquanto instituição) ou até da sociedade…

podemos pensar no modelo actual de formação inicial de professores, na formação nas universidades, institutos politécnicos, na boa e na má formação inicial mas também na boa e na má formação contínua. e má é toda aquela que não provoca melhoria dentro da sala de aula, na biblioteca, no site da escola, no blog do professor. má é toda a formação que não promove reflexão e avaliação sobre a forma como desempenhamos, ou não, o nosso papel.
e podemos pensar nas melhorias significativas ao nível do apetrechamento material das nossas escolas.
é ainda (ou não) importante repensar os horários dos professores. o que devem eles fazer nas escolas? quais são as suas tarefas? podem os professores dar 30 horas lectivas por semana? e podem fazê-lo inovando e indo ao encontro das necessidades individuais de cada um dos seus alunos? podem com tudo isso continuar a ter família a investir na sua formação?
queremos professores pensantes e reflexivos ou queremos funcionários repetidores de cassetes gastas?
queremos uma escola de conteúdos ou uma escola de competências?
uma escola onde se ensine e se aprenda a pensar, a reflectir e a discutir ou uma escola onde se memorize sem outro objectivo que não seja fintar o teste da hora seguinte.
podemos ainda discutir a adequação ou desadequação das metodologias, podemos discutir as ferramentas, os recursos, a grandeza ou a pequenez dos meios humanos ou financeiros.

mas se não respondemos à pergunta: “para que serve a escola?” andamos a construir a casa/escola pelo telhado, discutimos a rama e deixamos para depois a raiz.
porque a escola que queremos, os professores que queremos, os pais que queremos e os alunos que queremos dependem do que entendemos ser a missão, a visão e os valores da escola.

“Alice: Podes dizer-me, por favor, que caminho devo seguir para sair daqui?
Gato: Isso depende muito de para onde queres ir .
Alice: Preocupa-me pouco aonde ir.
Gato: Nesse caso, pouco importa o caminho que sigas…”
Alice no país das maravilhas

Blogger Convidado:
João José Marques
Professor de Matemática e Informática
http://joaojosemarques.net

Comments

  1. Cristina Aguiar says:

    Qual é a referência bibliográfica da citação de António Nóvoa?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.