Mercado Medieval de Óbidos: 10 anos

Há coisas que fizemos na vida de que nos orgulhamos. Não tenho muitas, o Mercado Medieval de Óbidos, que produzi nos seus primeiros anos, é uma delas.

Partir do zero, ou quase, e construir o melhor festival de recriação histórica português deu sobretudo um grande gozo. Comecei por aprender que um bom autarca não tem partido, quanto muito tem pouca idade: Telmo Faria era então um novato que confiou noutros novatos, a Companhia de Teatro Vivarte, e tive o privilégio de ver como um moço do PSD foi dando a volta por cima à sua terra, colocando-a no mapa onde sempre mereceu estar. Em Óbidos fiz muitos amigos, e destaco um amigo de Peniche que não o é, Francisco Salvador de seu nome, com quem passei os melhores e os piores momentos, como cumpre nestas coisas dos humanos e das coisas que organizam.

Durante alguns anos ensinei História a multidões, eu sei que pouca e com erros, mas quem não vai à escola também tem direito a aprender mesmo que entre uns tintos e uns petiscos. Maria de Lurdes Rodrigues fez o favor de me recambiar para as atrofiadas salas de aula, reduzindo-me o horário e esforço de trabalho ao contemplado na lei, e essa foi a primeira de muitas coisas que individual e profissionalmente nunca lhe perdoarei.

Gentis damas e nobres cavaleiros, ide por mim ao Mercado Medieval de Óbidos que agora faz 10 anos (é sempre complicado voltar aos lugares onde fomos felizes, mas guardarei Óbidos e as suas gentes no coração para sempre). Parece que o bilhete está caro mas não se vão arrepender.

Comments

  1. Irene Pereira says:

    Tu és o João da barbicha que fazia pendant com o Mário????

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.