O melhor do Futebol:

 

Ao segundo golo, o V. (benfiquista) levantou-se e foi comer. Ao meu lado, H. (adepto do Braga) lançou um palavrão enquanto eu gritava como um doido ao ver as redes balançar. Quando Hulk fez o passe para o terceiro golo explodi de alívio para tristeza dos meus dois companheiros/camaradas.

Um bracarense, um benfiquista e um portista foram ao Dragão ver o Porto-Braga. As nossas diferentes paixões não foram nem são motivo para deixar de ir, num frio final de tarde, juntos, assistir a um jogo de futebol. Foi, independentemente do resultado, um final de tarde bem passado. O futebol é isto. Devia ser sempre assim. Infelizmente, como se viu, ontem, na Luz, não é assim.

Eu não aceito ter de ir para dentro de uma “jaula” para assistir a um jogo de futebol. Nem aceito que, para ir ver um jogo do meu Porto a um qualquer estádio de futebol, tenha de esconder o meu fervor, a minha paixão pelo meu clube. Por isso mesmo, levo sempre o meu cascol e como não entendo estas coisas de forma diferente, preferi deixar de ir a certos estádios. Quem ficou a perder? A receita de bilheteira do outro clube (deixando de vender, no mínimo e à minha conta, dois bilhetes).

O que aconteceu na Luz, e noutros dias em tantos outros estádios, é uma vergonha e uma desgraça para o futuro do futebol. Quando vou assistir ao vivo a um jogo vou para me divertir, para assistir a um espectáculo. Não vou para agredir nem para ser agredido. Nem para me meterem numa qualquer jaula ou para incendiar cadeiras. Não.

Hoje, fui com o V. e o que me ri com as suas bocas de lampião. Fui com o H. e o que me diverti com as suas bocas de “guerreiro do Minho”. Eles foram comigo e o que se riram com o que está escrito no meu cascol. Diversão, paixão e amizade. Futebol, portanto. O contrário não é digno de “estar” no futebol.

E no próximo jogo da Champions, lá estaremos. Juntos. O do costume a sofrer com o Porto e os outros dois a rirem-se e, lá no fundo, no fundo, sempre foram do Zenit desde pequeninos 🙂

(estava a ver que no fim me dava uma coisinha má!)

Comments

  1. pedro says:

    não precisas de ir par dentro de uma jaula.
    compras um bilhete e vais para o meio dos adeptos que gostam de futebol, ninguém te fará mal de certeza. Se fores para a jaula és membro de uma claque o que a partida não faz de ti uma pessoa que goste de futebol.faz de ti uma pessoa duvidosa sejas do porto do benfica ou de outro qualquer


  2. E no fim não te cabia um feijão.

  3. Ricardo says:

    O Sr. Eduardo Barroso virou-se para a televisão e disse “vejam lá se mudam de ideias senão pode dar bronca”? Foi incendiário.

    O que ele deveria ter dito é: “apelo a todos os sportinguistas que mostrem que não merecem ser tratados de forma indigna, nós não somos animais e como tal vamo-nos portar à altura, os sportinguistas são adeptos civilizados, etc.”

    Com aquelas palavras o Sr Doutor Eduardo Barroso disse implicitamente “façam m*rd*…”

    Eu sou benfiquista e acho aquela gaiola a coisa mais estupida alguma vez inventada. Apelo aos dirigentes do Benfica que retirem aquela porcaria dali para fora, que peçam desculpa e que esqueçamos este triste episódio.

    Ou tiram aquela merda dali ou nunca mais ponhos os pés no estádio.

    Agora o Sporting que pediu os bilhetes tem de pagar pelo menos os estragos causados.

Trackbacks


  1. […] do final do clássico julgo não representarem a maioria dos adeptos do jogo de futebol e tentativas destas de superioridade moral são na minha opinião ridículas. Mas não poderia deixar de […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.