Orquídeas V: Zygopetalum

Hoje vamos  sentir a Zygopetalum.

Zygopetalum, Orquídea

Zygopetalum (Manuel Lourenço, Vila Nova de Gaia, Portugal)

Sentir?

Sim, porque quando falamos de Orquídeas falamos de apelos aos sentidos, falamos de sentir, de sentimentos!

Esta Orquídea sul americana é muito especial, uma das minhas preferidas. A zygopetalum merece este clique.

Comments

  1. marai celeste ramos says:

    Estive em casa de Burl Marx – no “SÌTIO de Burl Marx” que era pintor e escultor e adorava pantas e tinha todo o seu espaço (quinta) plantado por ele e percorreu a Amazónia e recolheu orquìdeas e tinha a maior das coleções já vistas
    Na fachada pricipal da casa tinha no local onde os “caçadores penduram os seus troféus de animais da sabana” um eztraordinária colecção de cancarras de barcos lindos e, no interior da sala – composiçºoes de flores sêcas, pendurados no tecto – fui há muitos anos
    Mesmo sem ser paisagista pois que era pintor e escutor e tapecista – foi o “jardineiro” do Museu de arte moderna do Rio (zona do aterro construída pelo Lnec) e mais tarde fez todos os jardins de brasília, onde estive, mas no Serrado as plantas crescem devagar jjá que o solo vermelho, ali, tem composição especial em que predomina aluminio e ferro, e ss plantas lá ía crecendo – fui a brasilea 10 anos depois da 1ª e no cimo da Torre das comunicações e e restaurante giratório, lá se via o descampado, a terra vermelha, a cidade planeada e riscada toda num estirador em “forma de avião” e, cá em baixo, as áreas habitacionais – as Quadras e as superquadras (ministérios) em que nas quadras havia jardins de planta quadrada onde as árvores começavam a dar flor e já havia crianças a chilrear já que a população dos FP foram trasladados para lá sem familia nem avós nem vizinhos, e era triste – ontem vi no noticíário Niemeyer de 103 anos, que desenhou a Catedral e o teatro (parecia mastaba) e creio que também a lindíssima Catedral de S.´João Bosco, com vitrais em faixas verticais do tecto ao chão, lindo – claro que não havia orquídeas que vivem em meia luz e ambiente quente e húmido que ele tinha em viveiro – ou estufa – toda em ripas pintadas de verde, onde o ar circulava bem e meia luz (como os nossos espigueiros) – tinha também uma colecção espantosa de que denominamos “costelas de Adão” de que agora não recordo o nome botânico – Aquela Quinta era um paraíso de flores e jardins onde havia várias esculturas mas as mais imppressionante eram as de “cana da índia” de grande diâmetro que enterrava no chão, na vertical, pintadas de todas as cores em faixas largas e horizontais – tenho muitas fotografias de tudo isso-Burl Marx foi “rejeitado” pelos parvalhões dos paisagistas pois que queria ser sócio – mas os cagões rejeitaram – mcor – mas de todos os paisagistas só eu tinha ido ao brasil (e creio que nem mesmo agora algum foi e é de ir) e conhecido a sua obra – odeio cagões e parvalhões e tipos de linguagem lexical suja – nem serve de cama às orquídeas – odeio palavrões que também sei dizer

Trackbacks


  1. […] viagem. Antes tínhamos viajado pela América do Sul, pela Ásia e pela Austrália. Mostramos a Zygopetalum, depois da exposição ter começado pela […]


  2. […] Não resisto. Temos que voltar às Zygopetalum. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.