Gregos e Portugueses

(Foto: blog Defender o Quadrado)

Rui Tavares escreveu “somos como os gregos. E nós e os gregos somos tão europeus como os alemães” (PÚBLICO,15/2).
Nos últimos dias a Grécia é notícia: novas vagas de austeridade sem precedentes; violência dos protestos; incêndios (48 edifícios destruídos pelas chamas); noites de destruição; «clima de guerra urbana»; dezenas de feridos;  polícia alvo de cocktails molotov de manifestantes; remodelação do governo; eleições legislativas antecipadas; bancarrota…
 
Um jornalista grego disse hoje, contestando com razão: “Somos pessoas como outras quaisquer, não somos a ovelha negra no rebanho das ovelhas brancas. Os gregos não são os pecadores entre os inocentes alemães, finlandeses, australianos e holandeses. Os mediterrânicos não são os maus, os preguiçosos entre os muito bons”.

Nós, como os gregos, fomos e somos vítimas da incompetência dos últimos Governos.
A este propósito, Paulo Morgado (também naquela edição do PÚBLICO) pergunta com pertinência: “E se o cidadão contribuinte não estiver de acordo com a forma como estão a gerir os dinheiros públicos? Emigra? Pede alteração de nacionalidade? Quanto maior for a transparência, mais a descoberto fica a incompetência (…) uma atuação mais independente, sem medos (…) um sinal de esperança para as novas gerações.”

O que nos espera, a nós portugueses»? Noites de terror como as que vimos na televisão ou dias de esperança? O que podem eles fazer e que nunca fizeram?

Comments


  1. um herói só morre uma vez .. um cobarde morre todos os dias

    Nigel Farage aponta o dedo aos verdadeiros responsáveis pela crise em pleno Parlamento Europeu

  2. kalidas says:

    Ninguém pode ficar indiferente ao drama grego.
    .
    É uma vergonha a falta de solidariedade dos países do sul.

    A Alemanha devia ser obrigada a receber os desempregados gregos.


  3. Nas últimas duas semanas os alemães têm-se desmultiplicado em declarações sobre Portugal, ora elogiosas, ora apreensivas. Há duas explicações possíveis para tal agitação: ou acreditam que o próximo porco da matança somos nós, ou receiam que a estratégia de diversificação de alianças empreendida por Portugal desde (quem diria!) o governo de Sócrates, está a dar resultados positivos.

    OAM

    Ler texto integral em O António Maria
    Link: http://o-antonio-maria.blogspot.com/2012/02/portugal-o-porco-que-se-segue.html (via shareaholic.com)


  4. É claro que agora, têm de passar a mão “pela cabeça de Portugal”, para servirmos como “bom”. Mas só enquanto lhes interessar. Mas aguardemos…

  5. marai celeste ramos says:

    o que é aalemanha sem as artes das mãos dos “tipo do sul” que nos pagam deslocalizando e o que nunca aqui devia ter entrado e manda submarinos caros e avariados e com defeito de abrico ??
    se calhar precisam mais de nós do que nós deles – o problema são “intermediários” (os nossos goverantes) já que os portuguses que andam por lá pelos parlamentos já alguém viu o resultado do que fazem ?? ou têm apans umemprego “seguro” e já que a alemanha até “leva” banqueiros + médicos + enfermeiros ++ afinal para que prestam eles ?? sõa para governar os PIG ??


  6. olha isto tem vídeo comentário…

    pois é interessante o ponto de vista a LUAR e as FP-25 de Abril com duas dúzias de elementos
    também abriram buracos sucessivos no aqueduto que abastece Lisboa (isabel do carmo e friends)
    e os outros abriram uns buracos numas casas em évora e nos montes e num carro dum administrador da Socel (agora portucel…bons tempos olha se fossem 200 como os gregos

    aqui os putos só pegam fogo aos papelões e às casas desabitadas…temos que educá-los

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.