Não Há Nada Como Realmente

Viva, vamos ter uma nova greve geral!

Estes senhores são uns pândegos. Mas a pãndega deles pode lixar o País.

Mais uma vez têm de mostrar que, logo que chegados ao poleiro do poder, são os maiores lá da rua deles, e que eles é que sabem, e que eles é que são bons.
Não descansam enquanto não nos colocam ao lado dos gregos.
Não poderiam aproveitar esta vontade toda e irem trabalhar? É capaz de se arranjar por aí muito para fazer, mesmo que e apesar de, com ordenados baixos,
O que vale é que os Portugueses são mais inteligentes do que eles julgam!
.

15 comentários em “Não Há Nada Como Realmente”

  1. Não se preocupe que “eles” não vão lixar o País. Já está lixado e bem lixado!
    Mesmo com greves gerais “eles” tem hoje o poder e influência dum caracol amestrado… Tudo aquilo que possam fazer não passará dum apontamento de telejornal com estatísticas de adesão contraditórias, como fica bem…
    Quanto a lixar o País poderemos antes “agradecer” aos nossos estimados governantes. Um não despertou a tempo para o dilúvio que aí vinha; o outro sucedeu-lhe com votos ganhos a troco de insatisfação e escandalosa trafulhice. Agora governa o País com a sensibilidade dum gestor bruto e insano, e com a estreiteza de vistas mais patética de que há memória. Graças a isso conseguiu meter tudo ao barulho (com as eleições precipitadas) numa altura em que Portugal precisava discrição, e depois, começou a rachar a direito afundando o mercado interno. Os trabalhadores (que já não o são) e os patrões falidos um dia ainda lhe hão-de agradecer…
    Exemplificando a “palermice” do senhor que nos governa: quanto é que o País vais gastar a mais só porque lhe deu na bolha manter aberto o “Estado” na próxima terça feira? Haja alguém que lhe ofereça uma calculadora…

  2. Ele (o Troca Passos)vai estar a trabalhar na terça e os seus lacaios também mas depois com jeitinho há sempre um fim de semana prolongado no estrangeiro uma visita oficial para ajustar contas.
    Algum jornalista já teve a coragem de dizer que a AutoEuropa vai estar fechada de sexta a terça feira de Carnaval.Se nem aqui o tempo é aproveitado para trabalhar mais para que mercados vamos nós trabalhar? O interno está rebentado por motivos ideológicos o externo a arrefecer.
    Conversa de parvos que nos fazem querer que somos tolos.
    Tolos somos por os aturar! E a bandeirinha na lapela do casaco dos comissários liquidatários mete-me nojo.Qual foi a agência de marketing que se encheu com tão infeliz ideia?Entre portugueses não faz sentido nenhum uns quererem parecer mais portugueses que outros.
    Tristes!

  3. “O que vale é que os Portugueses são mais inteligentes do que eles julgam”,Sim porque quem escreveu o post acima não prima propriamente pela inteligencia. Gostaria de o ver a atirar-se, a quem trata o povo português como uma cambada de mandriões e chulos que o que precisam é de malgas de sopa e não de emprego, da mesma forma que o faz com os sindicalistas e mais ainda se forem da CGTP. Ou tem os olhos turvos de laranja? è mais um dos que acha que é o unico a trabalhar, normalmente são os que menos fazem. Faz ideia do que é ganhar 380€? o que faria com este ordenado? faz ideia do que é ter em permanencia a ameaça de despedimento de um patrão que cada vez mais se sente com apoiado neste governo? faz ideia do que é estar ameaçado de ser enviado para bem longe de onde vive e se recusar ir para o olho da rua? faz ideia do que é ser reformado com 200€, e não poder comprar medicamentos que lhe foram prescritos? Não claro que não faz ideia nenhuma, porque é mais um parasita neoliberal que poseram o mundo nesta situação e continuam teimosos como os burros. Mas o fim destes neoliberais apróxima-se, porque como diz”O que vale é que os Portugueses são mais inteligentes do que eles julgam.

  4. Eu até propunha: fim dos sindicatos; trabalho a troco de uma malga de arroz diária; crianças a trabalhar nas fábricas. É para aí que se caminha. E o povo como é inteligente, pois só vota em laranja ou rosas, continua alegre e diz: mais vale as migalhas que nada. O pior, é que dentro em breve nem as migalhas. Um salário digno a quem trabalha, não será justo? Porque não temos um tecido produtivo e foi todo desmantelado? Em breve nem patrões haverá, pois nem eles terão dinheiro…. A morrer, que seja na luta e não vergado e acocorado.

  5. Ui tanto indignado com o post. Gostava de saber quantos trabalham no privado. É quando toca a greves, são sempre os mesmos.eu cá só gostava de saber o que é que os transportes, a saúde ou o funcionalismo público melhorou com tanta greve nas últimas décadas. Ah, é verdade, as greves são para questões laborais. E esperam simpatia por parte dos prejudicados? Temos pena.

  6. A greve passou a ser o maior abuso de quem manda e de quem obedece e fica contente de “exercer” direitos (??? como disse hoje Relvas a sorrir) e eu já estou tão farta de greves que já ne serve quem precisa de soluções e não consegue na mão de tais sindicalistas (tanto CGTO como UGT) wue muitos, nesta última, já perceberam
    Mas nem podiam ir trabalhar para ao menos não perder esse dia de ganhar a vida (embora mal) e tão fartos estão e tão mal ganham, que já nem greve quizeram fazer mas mas o que é certo que foram delicados quendo entrevistados mas não tinham, sequer, tranportes – de um lado o governa afunda-nos mas quem faz greve deveria perceber que “empobrecer ” pois que para isso também contribuem no somatório de greves, o certo é foi lema de Passos Coelho que é preciso “empobrcer” para recuperar – como os opostos usam a mesma linguagem e só os que não fizerem greve foram de facto inteligentes (independentemente de ser gorado acesso ao lugar de trabalho e voltarem para casa desiludos e em dia de frio) mas ainda não se econtrou maneira melhor e que é mais do que urgente – os governantes estão-se nas tintas – e nem o sr do sindicato dos professores já apareceu, nem a srª nem sei de quê e que grita muito – Todos vão “abandonando velhas soluções – por mim acho que trabalhar sempre é o menos mal, produz-se, não se pere o dia – mas COMERAM feriados é que não mas pode-se sempre FALTAR em diz de feriado versus-trabalho obrigatário – por bem e coerãncia e velhos hábitos, os travalhadores estão a fazer mal a si mesmos, aos outros que querem trabalhar, aos reformados e ao país – já só resulta negativo – por agora o menor dos MALES quendo se está tão mal é ocupar o espírito e trabalhar mesmo com transportes mais caros pois sempre é menos do que o preço do passe – estamos entalados de uma forma e outra, mas trabalhar mesmo entre tanta injustiça – é só o que vejo poder fazer-se – Que com este governo é pior greve do que tudo, isso é – está à vista a crueldade quanto a quem trabalha e é anónimo – está visto pelo menos desde o Natal e o ficar sem ambos os subsídis por uma unha nêgra – E eu que nunca gostei do jsPSDêzinho, ainda andava a “cheirar o ar” pelos corredores colegiais, nem de LONGE fui capaz de pensar que fosse como está já a ser (e como nunca vi em toda a minha vida) e digo-me que isto nem é verdade porque me custa de facto a crer – E agora é que se vê, melhor, que nem vão parar – E o resumo de ontem das dívidas do governo que foi noticiado na informação da TV1 e TVi24H, foi mais do que ilucidativo mas que hoje nem vi no jornal. E de repente lembro que hoje recebi carta da CGD onde consta que mais se IRÁ COMER a quem tem certo tipo de investimentos, e as taxas a cobrar que, se calhar, até nem permitem rendimento nenhum – Como não jogo em mercados bolsistas porque me espetei com a PROPOSTA desonesta de um gerente da CGD na década de 80, parecerá que estou a salvo (???) dessa situação. Mas de inicio até me asustei e recordei como nem nos empregados de CGD se pode confiar depois de anos de nunca ter usado outro banco, que nem consegui nem ler nem sequer perceber: E já que nos vão ao dinheiro sem sequer avisar – ASSUNTO CGD – Manutenção das taxas de juro dos depósitos e alteração dos preçários – depósitos “MAIS” – creio, pois até des-aprendi a ler-mcor

  7. uma semana de greve até fazia. uma ocupação do terreiro do paço por trabalhadores fazia alguma mossa nas políticas agressivas a quem é assalariado. olhem o exemplo da valadares! é assim que se faz greve, não basta abanar o cartaz durante uma tarde e berrar como ovelhas indignadas. é preciso ser carneiro rebelde que marra na testa do lobo e o faz fugir com o rabinho entre as pernas… ou isso ou até perderemos o futuro dos pequenos borregos do rebanho.

  8. Ao José Magalhães, peço que seja coerente. Vá trabalhar como recomenda, que muitos que trabalham no duro não têm tempo para blogs. O Passos e o patronato agradecem, eu também.

  9. Comer e calar não, com toda a certeza! Mas talvez devessemos calar e pensar, não?! Se o fizéssemos talvez não fossemos tão prolixos em disparates. E quando falo em disparates não me refiro ao post, que esse tem senso comum q.b.!

  10. Zé nada como

    “Atentos, veneradores e obrigados”

    Vá baixando o rabinho, eu pela minha parte NÃO

    Percebe ou quer um retrato ??

  11. Já em 2008 em conversa com pessoas ligadas ao PCP, simpatizantes/militantes, ouvia os suspiros que na Grécia é que se mexem e que cá éramos uns palermas por não irmos para a rua como eles.

    O sonho de certas pessoas é que a instabilidade da rua grega cá chegue. Basta ver que partidos estão a ganhar poder na Grécia: os extremos.

    A central sindical do PCP apenas está a contribuir para o caldo certo. Havemos de ganhar muito com essa estratégia, havemos.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.