Dizem que a CGTP vai tentar parar o País na quinta-feira

Com uma intenção destas, deve ser por coisa séria. Por isso, fui à fonte ler sobre os motivos das próxima greve geral. São:

Objectivos da greve geral de 22 Março 2012 - clicar para ampliar

Do primeiro grupo, concordo quase com tudo  – tenho dúvidas quanto ao último tópico. Já nos restantes dois grupos, na maior parte não está em causa a defesa dos direitos dos trabalhadores mas sim ideologia política. Discordo, portanto.

Nos grupos 2 e 3 está subjacente a ideia de que o estado cria emprego, que o estado conduz a economia e que o que é público é melhor do que é privado. Mas olhando para os últimos trinta anos, o que é que temos visto? O emprego criado pelo estado foi pelo aumento da função pública e do estado paralelo; a condução da economia levou a um país sobretudo de serviços e, para mais, pouco competitivo; a discussão sobre se público é melhor do que privado apenas tem transformado monopólios públicos em monopólios privados.

A ideia do estado ser o motor da economia tem-nos feito mais mal do que bem. Tem servido para dar emprego às claques partidárias e para que se tenham feitos negócios ruinosos para os contribuintes. E isto só tem sido possível porque o estado tem um peso enorme na economia. E o por que luta a CGTP na próxima greve geral? Por mais estado na economia. Claro que discordo.

Comments

  1. Carlos says:

    Inteiramente de acordo.

  2. Zuruspa says:

    A classe empresarial miserável que existe em Portugal só trabalha com a muleta do Estado. O BPN e Bragaparques e outros casos recentes säo apenas mais uns sintomas. Näo fazem nada sem subsídios, os monopólios naturais sugam os consumidores até ao tutano, destrói-se património histórico e natural para dar lucros às construtoras dos amigos, e depois quando dá prejuízo, toma lá mais dinheiro público.

    O que existem em Portugal é um corporativismo atroz. Claro que se tem de ser contra privatizaçöes feitas de amigos para amigos. Comprar por 600 e vender ao querido por 40? Isto näo é retirar peso do Eatdo da economia, é roubar despudoradamente o Estado, que somos TODOS NÓS!

    Pois é, sr. Fliscorno, acha pernicioso que se peça a melhoria dos serviços públicos e funçöes sociais do Estado? Isso é que é mau para a economia? AH, pois, o que é bom é enterrar dinheiro público em PPPs e no BPN, pois claro. Sempre gostaria de saber quanto material médico se pode comprar com 600 milhöes de euros… ou quantos dos 5.000 mortos por semana em 2012 se poderiam salvar?

  3. João Paulo says:

    Meu caro JF e qual é a alternativa que se coloca? Quem trabalha continua a ser literalmente roubado e os mesmos de sempre continuam a acumular riqueza. Certo? O que faz quem se sente roubado? Baixa a cabeça e continua a trabalhar?
    JP

  4. marai celeste ramos says:

    Por mim faria greve uma semana mas que a fizesse também quem dá de comer e de beber aos comilões, e que fechassem mercearias e mercados do peixe e da fruta – fechar é fechado e que fossem os senhores cozinhar na assembleia a relva frente à porta de entrada da AR – mas que puzessem lá um rebano de carneiros e de cabras para eles sujarem os sapatinhos e os fatinhos – Em inglaterra todos os jardins históricos têm vacas e rebanhos a pastar pois que assim estrumam os relvados e vão comendo a erva poupando-se o trabalho -.e barulho – do corta-relva – Foi como vi não epenas em Woodstock (Blenheim) no Palácio dos duques de Malborough onde nasceu Churchil (por acaso quando da visita de sua mãe que o levava na barriga e não o pariu à beira da estrada) mas também em outros jardins históricos. Mas já em Cam-bridge os carneiros não pastam nos Back dos College, mas sim na outra margem do Cam, protegido por uma rêde, de forma a que os estudantes os vejam e percebam o que é um “carneiro”, e sendo que os meninos da cidade capital deste eis-império nem isso sabem. Mas já os patos do “Cam” se esperneiam lado a lado dos alunos deitados na relva logo que por acaso haja algum sol que por lá não abunda, e não sei assim porque é que os betinhos da AR não podem fazer o mesmo. Uma greve de arrazar até chiar como chiavam os carros dos bois do Minho quando os havia, e sendo tudo visto 24/h/dia, na alemanha e frança, pelo menos e, ainda, que o senhor mexia pagasse o dia de trabalho de todos os que fizessem greve, bem como a erva ensilada das vacas se também algum maluco resolvesse trazer as vacas, mesmo as loucas do norte, que ainda as há e se vendem para a população comer (e não há criminosos à vista, mas sabe-se que há e a ASAE que o diga pois que foram detectados casos ainda este ano e com a conivência de um técnico que se vendeu ao veterinário do matadouro) – Romaria de homens e bestas até S.Bento, seria um verdadeiro happening digno do país e de quem trabalha (de facto) e digno do 25 abril que muitos sempre pretenderam enterrar e por isso até levam os seus filhotes de 5 anos para as manif abanar as bandeirinhas laranjas – Talvez ficasse um dia a passar a ser digno de mais um “feriado” nacional, para que ninguém se esquecesse já que “eles” esqueceram os dias feriados da república e da Igreja católica. E quem quizesse podia levar vuvuzelas para os mais surdos ouvirem e já que haverá menos “polícia” nas ruas, não se daria o caso de alguém levar com o cacetete ou uma taser

  5. jorge fliscorno says:

    «acha pernicioso que se peça a melhoria dos serviços públicos e funçöes sociais do Estado»

    Isto está escrito no post? Não está. Portanto as suas conclusões partem de premissas erradas.

  6. jorge fliscorno says:

    «Quem trabalha continua a ser literalmente roubado e os mesmos de sempre continuam a acumular riqueza. Certo? O que faz quem se sente roubado? Baixa a cabeça e continua a trabalhar?»

    João Paulo, porque é que para se procurar resolver estes problemas se deve em simultâneo procurar mudar a ideologia política subjacente? Repara, tanto há pobres em Cuba como nos USA. Isto é, não é a ideologia política que acaba com a pobreza.


  7. É um dos muitos portugueses que vai ter aquilo que deseja e que merece. Bom proveito da bancarrota.

  8. jorge fliscorno says:

    Ena, já vamos na fase dos julgamentos pessoais. Argumentar com base no que está no post é que nada.


  9. O que representa a CGTP um partido que ao longo do tempo se tem afastado cada vez mais da classe que diz defender, os seus dirigentes não passam de uns burgueses mascarados de defensores do povo, têm a mania que só eles é que sabem e por consequência são prepotentes, mas a manifestação tem o mérito de tentar mobilizar as populações para manifestarem o seu desacordo com a politica vigente nos últimos anos, e que as pessoas deviam aproveitar já que a sociedade não tem dirigentes fora das organizações politicas para os defender e mostrar o quanto os portugueses não gostam dos partidos vigentes, veja-se a abstenção das ultimas eleições, os principais dirigentes do PS e PSD responsáveis por este estado de coisas deviam ir parar á barra do tribunal e responderem por todo o mal que têm feito e deveriam voltar ao estado financeiro em que se encontravam quando iniciaram a sua carreira politica e devolver o dinheiro que não se sabe bem onde o puseram, mas eles sabem.

Trackbacks


  1. […] propostas que a CGTP anuncia como justificativas da próxima greve geral correspondem, no fundo, à apologia de um sistema […]


  2. […] o que já paguei com impostos? Não me venham dizer que a greve de hoje também é para isto, pois eu li a convocatória da greve e o corpo das reivindicações são questões laborais. A uma dessas […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.