Más notícias para o governo: a greve correu mal

Parece contraditório mas não é. Não sendo um fracasso a greve foi fraquinha. Como era de esperar: as greves ficam caras a quem as faz, a vida está difícil, e um milhão de portugueses em idade activa não tem trabalho.

Significa isto que os sindicatos estão a perder o controle do protesto, fez no dia 12 um ano que tal começou, mas a revolta existe. A revolta é a condição natural dos humanos quando perdem direitos e agrava-se na medida em que se sentem roubados, piorando e muito quando têm fome. Funciona a revolta como todas as pressões: acumula-se, por vezes tem as suas válvulas de escape, volta a acumular-se.

A má notícia para quem rouba direitos é essa: a válvula de escape não está a funcionar. Uma chatice. É tradição nacional explodirmos pouco, mas quando explodimos, nem interessa se por boas ou más razões, partimos tudo.

Isto ainda vai dar merda, e da grossa, pois vai. E não vai ser em câmara lenta.

Comments


  1. Eventualmente, há outra explicação menos rebuscada. Talvez, ao contrário do que aqui se pretende fazer crer, não sejam assim tantos os revoltados, ou seja, por outras palavras, as pessoas não consideram estes protestos necessários ou oportunos.


  2. A ideia de que as pessoas adorem quando lhes vão ao bolso, estão apaixonadas pela ideia de só elas pagarem a crise e amem estar no desemprego é realmente muito pouco rebuscada. (editado)


  3. De andar a pagar só para outros continuarem a enriquecer, diga antes assim.

  4. Pisca says:

    As Agências de Comunicação venderam, e bem pelos vistos, as duas ideias chave nesta greve geral:

    – Foi fraca e um flop
    – Era apenas para o Arménio Carlos se promover e consolidar

    E toda a gente repete, tal como outras que andam por aí, “A greve não resulta em nada”

    E contra isto é dificil lutar, bastou ver uma entrevista na RTP ao Arménio Carlos, a menina de turno papagueava sucessivamente as linhas mestras das agências, tais papagaios/as nunca serão apanhadas por um bastão da policia, outros talvez, como se sabe


  5. E falta analisar outra hipótese. A greve não teria sido organizada pelas secretas a fim de aproveitar para treinar a polícia a fim de nunca ser tomada em falso e se mostrar à altura da polícia Síria? Os acontecimentos do Chiado merecem ser analisados. Toma, que é democrático!!! Ou tás quedo ou levas !!!
    João


  6. Pisca, eu fiz greve. Foi fraquinha. Não explico comprovamente explicado porquê, pela simples razão de que não sou jornalista nem faço fretes a agências de comunicação.

  7. MAGRIÇO says:

    Infelizmente o 1º comentário não deixa de ter a sua lógica! Ainda hoje se assiste a todo o tipo de acusações a Sócrates, com ou sem fundamento, mas a verdade é que este governo mostrou mais desrespeito e prejudicou muito mais os trabalhadores neste pouco tempo de funções do que o anterior em 6 anos, e no entanto as sondagens continuam favoráveis a esta coligação. Masoquismo, partidarite ou simplesmente burrice aguda? Um tema interessante para os especialistas em psicologia de massas e sociólogos…

  8. Pisca says:

    José João, de maneira nenhuma era dirigido ao seu post, mas que foi “vendida” a ideia isso foi até à exaustão, ainda nem a greve tinha começado, não pode negar

  9. Pisca says:

    Houve perguntas feitas ao Arménio Carlos por alguns “entrevistadeiros/as”, que tocavam a raia da pura provocação

    Aquela coisa dos auriculares comanda a boca

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.