Educação – os problemas da Esquerda, que a direita não resolve

A mania de mexer no que está quieto leva a que as escolas funcionem apesar dos ministros. À torrente legislativa que é vomitada das estruturas do Ministério da Educação, respondem as escolas com a sapiência da experiência: ignoram ou fazem de conta que cumprem. Querem um exemplo? Há uns “meses” os professores de matemática começaram a aplicar um programa e Nuno Crato já pensa em alterar programas. Estão a ver a ideia?

Ora, este contexto não é grande bisca para reflexões muito profundas. Mas há duas coisas que temos de resolver, sob pena de matar a escola pública:

sucesso e insucesso: os níveis de sucesso têm crescido de forma sustentada, mas continua a haver uma enorme carga social na sua distribuição. Há uma parte da sociedade que tem quase sempre piores resultados que a outra.

indisciplina e violência: a violência é uma realidade das nossas escolas, mas a legislação acaba por tratar esses casos com alguma eficácia. Não resolve, de todo, é a indisciplina. Aquele enorme conjunto de pequenas coisas que acontecem nas salas de aula e que dificilmente é resolvida pelos professores. É esta realidade que impede a aprendizagem e cria o verdadeiro desgaste que hoje afecta toda a classe.

Para a direita no poder, as respostas são fáceis:

– Exames = sucesso!

– Indisciplina – criminaliza-se, equipara-se Professor a autoridade pública, isto é, ataca-se depois do problema ter acontecido.

Ou seja, não resolvem nada, mas têm uma agenda bem clara: deixar andar, fazer de conta que resolvem e levar a classe média a apostar na escola privada.

E perante isto o que diz a Esquerda?

Comments

  1. mas o prograsma é deles? cientificos ao desbarato, a cada esquina um amigo, perdão, um matemático!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.